CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Estruturas Poéticas

O que caracteriza um texto poético é sua estrutura. A cada terminação, dá-se um nome: A, B, C, D, E, F, G, (...). Assim, a terminação da primeira linha da primeira estrofe, leva o nome “A”, da segunda “B”, da terceira “C”, e assim por diante. Para cada nome, ou seja, letra é dirigida a uma palavra ou sílaba de terminação: -mento, -ico, gerúndio, particípio, infinitivo, (...). Existem inúmeras variedades de terminações que combinem com as mesmas de outras palavras. Exemplo: Coraç[ão] / Paix[ão] - R[ir] / Ca[ir] - (...). E outras por som: Esc[assa] / Fum[aça], (...). Vejamos:

:: Versos :: - Tipos de versos

A - simples

AB - duetos
AA - duetos

ABB - tercetos
ABA - tercetos
AAB - tercetos

AABB - quartetos
ABAB - quartetos
AAAA - quartetos
ABBA - quartetos

AAAAA - quintetos
AAABB - quintetos
ABBAA - quintetos
ABABA - quintetos
AABBA - quintetos

Mas ainda temos os "sextetos", "septetos", "octetos", "nonatos" e "decatos".

Quando esses versos são alternados, combinados ou cruzados, cria-se um estilo de “verso”, acarretando-o um nome específico.

:: Poesia :: - Formada por versos de um só tipo (simples, duetos, tercetos, quartetos ou quintetos)

:: Soneto :: - Formado por 2 quartetos e 2 tercetos

:: Indrisos :: - Formado por 2 tercetos e 2 simples

:: Rondel :: - Formado por 2 quartetos e 1 quinteto, com versos obrigatoriamente separados em: ABab/baAB/ababA (Obs.: As letras “A” e “B” são FRASES INTEIRAS com uma terminação. Já as letras “a” e ”b” são somente terminações). Exemplo: “A paixão é como um cata-vento” – (PHS)

A:    A paixão é como um cata-vento
B:    Que pára no vento e anda no ar
a:    Onde possa um pensamento
b:    Catar vento e voar

b:    Gelado ou quente ao escoar
a:    O vento passa turbulento
A:    A paixão é como um cata-vento
B:    Que pára no vento e anda no ar

a:    Ponto estratégico barulhento
b:    Espaço de ventos a doar
a:    Voltas e voltas num ciclo ciumento
b:    Para o coração perdoar
A:    A paixão é como um cata-vento

Esses só exigem estruturas. Mas existem outros estilos de “versos” exigem MÉTRICA.

A Métrica é uma contagem de sílabas, que junto aos tipos de versos dão ritmo ao texto poético. Mas para isso, deve-se seguir a regras muito importantes: separação de sílabas e união de sílabas por vogais vizinhas. Exemplo:

Minha árvore azul céu.
Mi-nhaár-vo-rea-zul-céu. 6 sílabas métricas

Pode-se ver neste exemplo anterior, como foi feita a separação de sílabas, a sílaba –nha da palavra “Minha”, foi unida à sílaba ár- da palavra “árvore”. O mesmo ocorreu com a sílaba -re da palavra “arvore”, com a sílaba a- da palavra “azul”.

Assim, aparecem mais uma infinidade de combinações de Métrica com Versos. Surgem então novos estilos de textos poéticos.

:: Poetríx :: - Formado por 1 terceto, cuja soma das sílabas da primeira com a segunda e terceira linha, devem ser menor que 30 sílabas.

:: Trova :: - Formado por 1 quarteto, verso divididos em 7 sílabas (heptassílabo - redondilha maior) ou em 5 sílabas (pentassílabo – redondilha menor ), não tem título (o título se cria na mente da pessoa que lê a Trova): “Trova I”, “Trova II”, “Trova III”, “Trova IV”, (...) , com rimas alternadas (ABAB) ou cruzadas (ABBA)

:: Haicai :: - Formado por 1 terceto, não necessariamente deve ter rimas, seu tema deve ser dirigido à NATUREZA, com uma métrica: 5 sílabas - 7 sílabas - 5 sílabas, e não necessita de título como nas Trovas, pode-se enumerar como: “Haicai I”, “Haicai II”, “Haicai III”, “Haicai IV”, (...).
PHS
Enviado por PHS em 02/11/2008
Reeditado em 02/11/2008
Código do texto: T1262374

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
PHS
Cambé - Paraná - Brasil, 22 anos
40 textos (7197 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/04/14 03:32)