Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Estudo da crase 

(Manual de Redação do Estadão ) 


A crase indica a fusão da preposição a com artigo a: João voltou à (a preposição + a artigo) cidade natal. / Os documentos foram apresentados às (a prep. + as art.) autoridades. Dessa forma, não existe crase antes de palavra masculina: Vou a pé. / Andou a cavalo. Existe uma única exceção, explicada mais adiante.

Regras práticas

Primeira- Substitua a palavra antes da qual aparece o a ou as por um termo masculino. Se o a ou as se transformar em ao ou aos, existe crase; do contrário, não. Nos exemplos já citados: João voltou ao país natal. / Os documentos foram apresentados aos juízes. Outros exemplos: Atentas às modificações, as moças... (Atentos aos processos, os moços...) / Junto à parede (junto ao muro).

No caso de nome geográfico ou de lugar, substitua o a ou as por para. Se o certo for para a, use a crase: Foi à França (foi para a França). / Irão à Colômbia (irão para a Colômbia). / Voltou a Curitiba (voltou para Curitiba, sem crase). Pode-se igualmente usar a forma voltar de: se o de se transformar em da, há crase, inexistente se o de não se alterar: Retornou à Argentina (voltou da Argentina). / Foi a Roma (voltou de Roma).

Segunda - A combinação de outras preposições com a (para a, na, da, pela e com a, principalmente) indica se o a ou as deve levar crase. Não é necessário que a frase alternativa tenha o mesmo sentido da original nem que a regência seja correta. Exemplos: Emprestou o livro à amiga (para a amiga). / Chegou à Espanha (da Espanha). / As visitas virão às 6 horas (pelas 6 horas). / Estava às portas da morte (nas portas). / À saída (na saída). / À falta de (na falta de, com a falta de).

Usa-se a crase ainda

- Nas formas àquela, àquele, àquelas, àqueles, àquilo, àqueloutro (e derivados): Cheguei àquele (a + aquele) lugar. / Vou àquelas cidades. / Referiu-se àqueles livros. / Não deu importância àquilo.

- Nas indicações de horas, desde que determinadas: Chegou às 8 horas, às 10 horas, à 1 hora. Zero e meia incluem-se na regra: O aumento entra em vigor à zero hora. / Veio à meia-noite em ponto. A indeterminação afasta a crase: Irá a uma hora qualquer.

- Nas locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas como às pressas, às vezes, à risca, à noite, à direita, à esquerda, à frente, à maneira de, à moda de, à procura de, à mercê de, à custa de, à medida que, à proporção que, à força de, à espera de: Saiu às pressas. / Vive à custa do pai. / Estava à espera do irmão. / Sua tristeza aumentava à medida que os amigos partiam. / Serviu o filé à moda da casa.

- Nas locuções que indicam meio ou instrumento e em outras nas quais a tradição lingüística o exija, como à bala, à faca, à máquina, à chave, à vista, à venda, à toa, à tinta, à mão, à navalha, à espada, à baioneta calada, à queima-roupa, à fome (matar à fome): Morto à bala, à faca, à navalha. / Escrito à tinta, à mão, à máquina. / Pagamento à vista. / Produto à venda. / Andava à toa. Observação: Neste caso não se pode usar a regra prática de substituir a por ao.

- Antes dos relativos que, qual e quais, quando o a ou as puderem ser substituídos por ao ou aos: Eis a moça à qual você se referiu (equivalente: eis o rapaz ao qual você se referiu). / Fez alusão às pesquisas às quais nos dedicamos (fez alusão aos trabalhos aos quais...). / É uma situação semelhante à que enfrentamos ontem (é um problema semelhante ao que...).

Não se usa a crase antes de

- Palavra masculina: andar a pé, pagamento a prazo, caminhadas a esmo, cheirar a suor, viajar a cavalo, vestir-se a caráter. Exceção. Existe a crase quando se pode subentender uma palavra feminina, especialmente moda e maneira, ou qualquer outra que determine um nome de empresa ou coisa: Salto à Luís XV (à moda de Luís XV). / Estilo à Machado de Assis (à maneira de). / Referiu-se à Apollo (à nave Apollo). / Dirigiu-se à (fragata) Gustavo Barroso. / Vou à (editora) Melhoramentos. / Fez alusão à (revista) Projeto.

- Nome de cidade: Chegou a Brasília. / Irão a Roma este ano. Exceção. Há crase quando se atribui uma qualidade à cidade: Iremos à Roma dos Césares. / Referiu-se à bela Lisboa, à Brasília das mordomias, à Londres do século 19.

- Verbo: Passou a ver. / Começou a fazer. / Pôs-se a falar.

- Substantivos repetidos: Cara a cara, frente a frente, gota a gota, de ponta a ponta.

- Ela, esta e essa: Pediram a ela que saísse. / Cheguei a esta conclusão. / Dedicou o livro a essa moça.

- Outros pronomes que não admitem artigo, como ninguém, alguém, toda, cada, tudo, você, alguma, qual, etc.

- Formas de tratamento: Escreverei a Vossa Excelência. / Recomendamos a Vossa Senhoria... / Pediram a Vossa Majestade...

- Uma: Foi a uma festa. Exceções. Na locução à uma (ao mesmo tempo) e no caso em que uma designa hora (Sairá à uma hora).

- Palavra feminina tomada em sentido genérico: Não damos ouvidos a reclamações. / Em respeito a morte em família, faltou ao serviço. Repare: Em respeito a falecimento, e não ao falecimento. / Não me refiro a mulheres, mas a meninas.

Alguns casos são fáceis de identificar: se couber o indefinido uma antes da palavra feminina, não existirá crase. Assim: A pena pode ir de (uma) advertência a (uma) multa. / Igreja reage a (uma) ofensa de candidato em Guarulhos. / As reportagens não estão necessariamente ligadas a (uma) agenda. / Fraude leva a (uma) sonegação recorde. / Empresa atribui goteira a (uma) falha no sistema de refrigeração. / Partido se rende a (uma) política de alianças.

Havendo determinação, porém, a crase é indispensável: Morte de bebês leva à punição (ao castigo) de médico. / Superintendente admite ter cedido à pressão (ao desejo) dos superiores.

- Substantivos no plural que fazem parte de locuções de modo: Pegaram-se a dentadas. / Agrediram-se a bofetadas. / Progrediram a duras penas.

- Nomes de mulheres célebres: Ele a comparou a Ana Néri. / Preferia Ingrid Bergman a Greta Garbo.

- Dona e madame: Deu o dinheiro a dona Maria . / Já se acostumou a madame Angélica. Exceção. Há crase se o dona ou o madame estiverem particularizados: Referia-se à Dona Flor dos dois maridos.

- Numerais considerados de forma indeterminada: O número de mortos chegou a dez. / Nasceu a 8 de

janeiro. / Fez uma visita a cinco empresas.

Locuções com e sem crase

- Distância, desde que não determinada: A polícia ficou a distância. / O navio estava a distância. Quando se define a distância, existe crase: O navio estava à distância de 500 metros do cais. / A polícia ficou à distância de seis metros dos manifestantes.

- Terra, quando a palavra significa terra firme: O navio estava chegando a terra. / O marinheiro foi a terra. (Não há artigo com outras preposições: Viajou por terrra. / Esteve em terra.) Nos demais significados da palavra, usa-se a crase: Voltou à terra natal. / Os astronautas regressaram à Terra.

- Casa, considerada como o lugar onde se mora: Voltou a casa. / Chegou cedo a casa. (Veio de casa, voltou para casa, sem artigo.) Se a palavra estiver determinada, existe crase: Voltou à casa dos pais. / Iremos à Casa da Moeda. / Fez uma visita à Casa Branca.

Uso facultativo

- Antes do possessivo: Levou a encomenda a sua (ou à sua) tia. / Não fez menção a nossa empresa (ou à nossa empresa). Na maior parte dos casos, a crase dá clareza a este tipo de oração.

- Antes de nomes de mulheres: Declarou-se a Joana (ou à Joana). Em geral, se a pessoa for íntima de quem fala, usa-se a crase; caso contrário, não.

- Com até: Foi até a porta (ou até à). / Até a volta (ou até à). No Estado, porém, escreva até a, sem crase.

a álcool

à altura (de)

à americana

à argentina

à baiana

à baila

à baioneta calada

à bala

a bandeiras

despregadas

à base de

à beça

à beira (de)

à beira-mar

à beira-rio

a bel-prazer

a boa distância de

à boca pequena

à bomba

a bordo

a bordoadas

a braçadas

à brasileira

à bruta

à busca (de)

a cabeçadas

à cabeceira (de)

à caça (de)

a cacetadas

a calhar

a cântaros

a caráter

à carga

a cargo de

à cata (de)

a cavalo

a cerca de

a certa distância

à chave

a chibatadas

a chicotadas

a começar de

à conta (de)

a contar de

à cunha

a curto prazo

à custa (de)

a dedo

à deriva

a desoras

a diesel

à direita

à disparada

à disposição

a distância

a duras penas

a elas(s), a ele(s)

a eletricidade

à entrada (de)

a escâncaras

à escolha (de)

à escovinha

à escuta

a esmo

à espada

à espera (de)

à espora

à espreita (de)

à esquerda

a esse(s), a essa(s)

a este(s), a esta(s)

a estibordo

à evidência

à exaustão

à exceção de

a expensas de

à faca

a facadas

à falta de

à fantasia

à farta

à feição (de)

a ferro

a ferro e fogo

à flor da pele

à flor de

à fome

à força (de)

à francesa

à frente (de)

à fresca

a frio

a fundo

a galope

a gás

a gasolina

à gaúcha

a gosto

à grande

a grande distância

a granel

à guisa de

à imitação de

à inglesa

a instâncias de

à italiana

à janela

a jato

a joelhadas

a juros

a jusante

a lápis

à larga

a lenha

à livre escolha

a longa distância

a longo prazo

a lufadas

à Luís XV

a lume

à luz

à Machado de Assis

a mais

a mando de

à maneira de

à mão

à mão armada

à mão direita

à mão esquerda

à máquina

à margem (de)

à marinheira

a marteladas

à matroca

à medida que

a medo

a meia altura

a meia distância

à meia-noite

a meio pau

a menos

à mercê (de)

à mesa

à mesma hora

a meu ver

à mexicana

à milanesa

à mineira

à míngua (de)

à minha disposição

à minha espera

à minuta

à moda (de)

à moderna

a montante

à morte

à mostra

a nado

à navalha

à noite

à noitinha

à nossa disposição

à nossa espera

ante as

à ocidental

a óleo

a olho nu

à ordem

à oriental

a ouro

à paisana

a pão e água

a par

à parte

a partir de

à passarinho

a passos largos

a pauladas

à paulista

a pé

a pedidos

a pequena distância

a pilha

a pino

à ponta de espada

à ponta de faca

a pontapés

a ponto de

a porretadas

à porta

a portas fechadas

à portuguesa

a postos

a pouca distância

à praia

a prazo

à pressa

à prestação

a prestações

à primeira vista

a princípio

à procura (de)

à proporção que

a propósito

à prova

à prova d'água

à prova de fogo

a público

a punhaladas

à pururuca

a quatro mãos

à que (=àquela que)

àquela altura

àquela hora

àquelas horas

àquele dia

àqueles dias

àquele tempo

àqueloutro(s)

àqueloutra(s)

à queima-roupa

a querosene

à raiz de

à razão (de)

à ré

à rédea curta

a respeito de

à retaguarda

à revelia (de)

a rigor

a rir

à risca

à roda (de)

a rodo

à saciedade

à saída

às apalpadelas

às armas !

à saúde de

às ave-marias

às avessas

às bandeiras

despregadas

às barbas de

às boas

às cambalhotas

às carradas

às carreiras

às catorze (horas)

às cegas

às centenas

às cinco (horas)

às claras

às costas

às de vila-diogo

às dez (horas)

às dezenas

às direitas

a distância

à distância de

às doze horas

às duas (horas)

às dúzias

a seco

a seguir

à semelhança de

às encobertas

a sério

a serviço

às escâncaras

às escondidas

às escuras

às esquerdas

a sete chaves

às expensas de

às falas

às favas

às gargalhadas

às lágrimas

às léguas

às mancheias

às margens de

às marteladas

às mil maravilhas

às moscas

às nove (horas)

às nuvens

à sobremesa

à socapa

às ocultas

às oito (horas)

à solta

à sombra (de)

a sono solto

às onze (horas)

às ordens (de)

a socos

à sorrelfa

à sorte

a sós

às portas de

às pressas

às quais

às que (=àquelas que)

às quartas-feiras

às quatro (horas)

às quintas-feiras

às quinze (horas)

às segundas-feiras

às seis (horas)

às sete horas

às sextas-feiras

às sete (horas)

às soltas

às suas ordens

às tantas

às terças-feiras

às tontas

às três (horas)

às turras

à sua disposição

à sua escolha

à sua espera

à sua maneira

à sua moda

à sua saúde

às últimas

à superfície (de)

às vésperas (de)

às vezes

às vinte (horas)

às vistas de

às voltas com

à tarde

à tardinha

a termo

à testa (de)

à tinta

a tiracolo

a tiro

à toa

à-toa

a toda

a toda a brida

a toda força

a toda hora

à tona (de)

a toque de caixa

à traição

a três por dois

à tripa forra

a trote

à última hora

à uma (hora)

à unha

à vaca-fria

a valer

à valentona

a vapor

a vela

a velas pandas

à venda

avião a jato

à Virgem

à vista (de)

à vista desarmada

à vista disso

à volta (de)

à vontade

à-vontade

à vossa disposição

a zero

à zero hora

bater à porta

beber à saúde de

cara a cara

cheirar a perfume

cheirar a rosas

condenado à morte

dar à estampa

dar à luz

dar a mão à palmatória

dar tratos à bola

dar vazão à

de alto a baixo

de cabo a rabo

de fora a fora

de mais a mais

de mal a pior

de parte a parte

de ponta a ponta

descer à sepultura

de sol a sol

de uma ponta à outra

dia a dia

em que pese a

exceção à regra

face a face

falar à razão

faltar à aula

fazer as vezes de

folha a folha

frente a frente

gota a gota

graças às

hora a hora

ir à bancarrota

ir à forra

ir às compras

ir às do cabo

ir às nuvens

ir às urnas

jogar às feras

lado a lado

mandar às favas

mãos à obra

marcha à ré

meio a meio

nem tanto ao mar, nem

tanto à terra

palmo a palmo

para a frente

passar à frente

passo a passo

perante as

pôr à mostra

pôr à prova

pôr as mãos à cabeça

pôr fim à vida

quanto às

recorrer à polícia

reduzir à expressão

mais simples

reduzir a zero

sair à rua

saltar à vista

terra a terra

tirar à sorte

todas as vezes

uma à outra

umas às outras

valer a pena

voltar à carga

voltar à cena

voltar às boas 

http://www.portrasdasletras.com.br/pdtl2/
Hélio Consolaro
Enviado por Akasha De Lioncourt em 06/09/2006
Reeditado em 01/10/2012
Código do texto: T234238
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar Autoria e Link para a Obra Original). Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Akasha De Lioncourt
São Paulo - São Paulo - Brasil, 45 anos
706 textos (1034999 leituras)
72 áudios (109735 audições)
30 e-livros (56853 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:20)
Akasha De Lioncourt

Site do Escritor