Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Hífen 

(Manual de Redação da PUCRS – com adaptações ) 


As regras de emprego do hífen são muitas e das mais complicadas da Língua Portuguesa. E com várias exceções, incoerências e omissões. Indispensável, por isso, o recurso constante a um dicionário, a um manual de redação ou a um guia ortográfico. Observe:

Co-proprietário com hífen
mas coabitar sem hífen

Pré-vestibular com hífen
mas preestabelecimento sem hífen

Pós-escrito com hífen
mas poscéfalo sem hífen

Pró-aliado com hífen
mas procônsul sem hífen

Bem-me-quer com hífen
mas benquisto sem hífen

Extra-oficial com hífen
mas extraordinário sem hífen

Sobre-saia com hífen
mas sobresselente sem hífen


Hifens e Prefixos 

Particularmente útil é a sistematização que os manuais de cultura idiomática fazem a respeito do emprego do hífen com prefixos, apresentando três situações distintas:



1. Prefixos e elementos prefixados sempre seguidos de hífen.

Prefixos - Exemplos

Além- além-túmulo; além-fronteiras; além-mundo

Aquém- aquém-fronteiras; aquém-mar

Bem- bem-aventurado; bem-querer;bem-apresentado

Co(m)- co-autor; co-educação; co-produção

Ex- ex-aluno; ex-prefeito; ex-diretor

Grã- grã-cruz; grã-fino; grã-ducado

Grão- grão-mestre; grão-duque; grão-rabino

Pós- pós-datar; pós-escrito; pós-guerra

Pré- pré-alfabetizado; pré-datado; pré-história

Pró- pró-reitor; pró-americano;pró-britânico

Recém- recém-chegado; recém-nascido; recém-fabricado

Sem- sem-vergonha; sem-fim; sem-amor

Vice- vice-diretor; vice-reitor; vice-prefeito

Observações:

a. O prefixo "bem" exige hífen quando o vocábulo que segue é morfologicamente individualizado, isto é, quando tem vida autônoma na língua.

Formas com hífen:                       Formas sem hífen:

Bem-estar                                      Benfazejo

Bem-me-quer                                  Benquisto

Bem-vindo                                      Benquerença


b. Os prefixos "pós", "pré" e "pró" escrevem-se com hífen em palavras tônicas (acentuadas graficamente). Quando estas são átonas (não acentuadas graficamente - "pos", "pre" e "pro"), ligam-se diretamente aos elementos seguinte:

Tônicos (com hífen):                   Átonos (sem hífen):

Pós-natal                                        Poscéfalo

Pós-escrito                                      Posfácio

Pós-datar                                        Pospor

Pré-nupcial                                      Predeterminar

Pré-colonial                                      Predizer

Pré-vestibular                                   Prefixo

Pró-aliado                                        Procônsul

Pró-governo                                     Procriar

Pró-britânico                                    Promagistrado


A grafia correta de várias formas que empregam esses prefixos oferece dúvidas, uma vez que se desconhece freqüentemente sua tonicidade. Por isso, muitas vezes é melhor consultar um dicionário.

c. Segundo alguns autores, o prefixo "co" exige hífen quando significa "a par", "juntamente". A regra, no entanto, não se aplica facilmente e de forma coerente, razão por que, em caso de dúvida, é sempre melhor consultar um dicionário.

Com hífen:                                       Sem hífen:

Co-administrador                                Coabitar

Co-avalista                                       Coirmão

Co-fiador                                          Coocupante

Co-redator                                        Coadjutor

Co-estrelado                                      Colateral


2. Prefixos seguidos de hífen antes de... 

Prefixos      Antes de           Exemplos com hífen   Exemplos sem hífen 

            Vogal    H R S B
AB-                     X                 ab-rogar                   abjurar
AD-                     X         ad-renal advérbio;             adjunto
ANTE-              X X X     ante-histórico; ante-solar   antecâmera; antediluviano
ANTI-               X X X      anti-herói; anti-social            antiaéreo; anticristo
ARQUI-             X X X      arqui-rival                     arquiinimigo
AUTO-       X     X X X    auto-estima; auto-retrato  autobiografia; autocontrole
CIRCUM-    X     X           circum-adjacente         circunscrever
CONTRA-   X     X X X      contra-ataque; contra-senso        contracheque
ENTRE-            X                  entre-hostil               entrelinhas
EXTRA-     X    X X X    extra-oficial; extra-regimental       extraconjugal
HIPER-             X X     hiper-humano; hiper-raivoso    hipermercado
INFRA-      X    X X X     infra-estrutura                      infracitado
INTER-            X X       inter-humano; inter-regional     intercolegial
INTRA-      X    X X X    intra-ocular; intra-regional       intramuscular
MAL-         X   X           mal-educado; mal-humorado      malcheiroso
NEO-              X X X X      neo-humanista; neo-republicano      neoclássico
OB-                   X           ob-rogar                              obdentado
PAN-         X       X          pan-americano                     pandemônio
PROTO-          X X X X      proto-história                      protoplasma
PSEUDO-        X X X X       pseudo-herói; pseudo-sábio          pseudopoeta
SEMI-        X  X X X         semi-selvagem                      semifinal
SOB-                X              sob-roda                            sobpor
SOBRE-          X X X          sobre-humano; sobre-saia    sobrecapa
SUB-                 X    X   sub-ramo; sub-bibliotecário       subchefe
SUPER-           X X         super-homem; super-requintado      supermercado
SUPRA-     X   X X X        supra-hepático                     supracitado
ULTRA-     X    X X X         ultra-humano; ultra-som        ultranatural



Observações

a. Com o prefixo "extra", a única exceção é "extraordinário", que se escreve sem hífen.

b. Com o prefixo "sobre", escrevem-se sem hífen: sobressair, sobressaltar, sobressalto, sobressalente.

c. Na tabela anterior, existem prefixos que apresentam a seguinte regularidade: escrevem-se com hífen antes de H, Vogal, R e S (H.O.R.A.S.).

Veja a tabela:

Prefixos Vogal    H R S        Exemplos
AUTO        X     X X X     auto-educação
CONTRA     X     X X X     contra-indicação
EXTRA       X     X X X     extra-regimental
INFRA        X     X X X     infra-estrutura
INTRA        X     X X X      intra-ocular
NEO           X     X X X      neo-republicano
PROTO       X     X X X       proto-história
PSEUDO     X      X X X      pseudo-herói
SEMI         X      X X X      semi-selvagem
SUPRA       X      X X X      supra-sensível
ULTRA       X      X X X       ultra-rápido



3. Radicais e prefixos nunca seguidos de hífen:

Prefixos  - Exemplos

Aero- Aerotransporte

Agro- Agroindústria

Ambi- Ambidestro

Anfi- Anfiteatro

Arterio- Artérioesclerose

Astro- Astrofísica

Audio- Audiovisual

Auri- Auricular

Bi(s)- Bicentenário

Bio- Biossocial

Bronco- Broncodilatador

Cardio- Cardiovascular

Cata- Catabiótico

Centro- Centroavante

Cis- Cisandino

De(s)- Desfazer

Di(s)- Distrofia

Ego- Egolatria

Eletro- Eletrocardiograma

Endo- Endovenoso

Estereo- Estereótipo

Filo- Filogenético

Fisio- Fisioterapia

Foto- Fotogravura

Gastro- Gastropulmonar

Geo- Geopolítico

Hemi- Hemiciclo

Hepta- Heptacampeão

Hetero- Heterossexual

Hexa- Hexacampeão

Hidro- Hidroginástica

Hipo- Hipoderme

Homo- Homossexual

Idio- Idioadaptação

Ido- Idolatria

In- Infeliz

Intro- Introjeção

Iso- Isométrico

Justa- Justapor

Labio- Labiodental

Linguo- Linguodental

Macro- Macroeconomia

Mega- Megassismo

Micro- Microcomputador

Mono- Monocultura

Morfo- Morfossintático

Moto- Motocasa 

Multi- Multiangular

Neuro- Neurocirurgião

Octo- Octocampeão

Oni- Onipresente

Orto- Ortocentro

Para- Parapsicologia

Penta- Pentacampeão

Per- Perpassar

Peri- Pericentral

Pluri- Plurianual

Pneu- Pneumococo

Poli- Poliácido

Pos- (átono) Posfácio

Pre- (átono) Predeterminar

Pro (átono)- Proclítico

Psico- Psicomotor

Quadri- Quadrigêmeos

Quilo- Quilograma

Rádio- Radioterapia

Re- Refazer

Retro- Retrovisor

Rino- Rinoceronte

Sacro- Sacrossanto

Sesqui- Sesquicentenário

Socio- Sociolingüístico

Tele- Telecomando

Termo- Termodinâmico

Tetra- Tetracampeão

Trans- Transcontinental

Traqueo- Traqueotomia

Trans- Transamazônico

Tres- Tresavô

Tri- Tridimensional

Turbo- Turbomotor

Uni- Unicelular

Vaso- Vasodilatador

Xanto- Xantocéfalo

Xilo- Xilogravura

Zoo- Zootecnia


Saiba Mais

1. Travessão e hífen

Não confundir travessão com hífen: o travessão é um sinal de pontuação mais longo do que o hífen.

2. Hífen e translineação

Havendo coincidência de fim de linha com o hífen, este se repete no início da linha seguinte: exemplo guarda-/-chuva. Isso não é consensual. Há quem defenda a dispensa do segundo hífen: guarda-/chuva.

3. "Não" como prefixo

O uso de "não" como elemento de composição de vocábulos é recente e extremamente útil e produtivo, já que podemos criar muitas oposições:

Como o NÃO é advérbio, palavra que não se relaciona com o substantivo. Apenas neste caso, usa-se o hífen. Exemplo: não-comparecimento.

Quando o segundo elemento for um adjetivo, palavra que normalmente se relaciona com o advérbio, então não se usa hífen:

optante X não optante
fumante X não fumante
alfabetizado X não alfabetizado
marxista X não marxista

Essa regra não é consensual. Há quem defenda a presença do hífen nas duas situações.



4. Hífen e "extra"

"Extra" é uma redução da forma adjetiva "extraordinário". Por essa razão, não admite hífen. Escreva-se, pois,
• horas extras
•edição extra



5. Hífen e "mirim"

"Mirim" é palavra de origem tupi, e significa "pequeno". É, pois, um adjetivo e, como tal, não admite hífen.
Exemplos:

• eleitor mirim
• prefeito mirim
• governo mirim



6. Hífen e "geral"

Emprega-se hífen quando o adjetivo "geral" entra na formação de uma palavra composta que designa cargo, função, lugar de trabalho ou órgão correspondente.
Exemplos:

• Diretoria-geral
• Secretário-geral
• Secretaria-geral
• Procurador-geral
• Procuradoria-geral

A propósito do assunto, leiam-se as considerações que seguem:

1. Com a seqüência substantivo + adjetivo ou adjetivo + substantivo, observe a seguinte situação:
Se o adjetivo perder seu sentido original, passando os dois termos a transmitir um novo conceito, configurar-se-á uma nova palavra, composta. Dois exemplos esclarecem o caso: cachorro quente x cachorro-quente; mesa redonda x mesa-redonda.

Quando o adjetivo não transmitir idéia diferente, não se usará hífen. Vejam-se os exemplos: assessor especial, assessor lingüístico, assessor jurídico, diretor administrativo, diretor adjunto, auxiliar técnico, etc.

Por isso, o adjetivo "geral" entraria neste caso, uma vez que, nas palavras compostas, continuaria a significar "geral", "global", etc. A rigor, portanto, se4m hífen: Procurador Geral, Diretor Geral, etc.

2. O dicionário eletrônico Hóuaiss (UOL) registra diretor-geral, cônsul-geral e secretário-geral, todos com hífen.
O Manual da Redação da Presidência da República (1991) estabelece a regra que adotamos aqui, regra que parece estar incorporada a nossos manuais de cultura idiomática.

3. Não se deve usar o mesmo procedimento para consultor jurídico, assessor jurídico, pois se passaria, do mesmo modo, a empregar hífen em professor adjunto, professor catedrático, professor horista, secretário executivo, gerente financeiro, gerente econômico, Gerência Financeira, etc.

4. A hifenização clama, há muito tempo, por uma revisão ou simplificação. Nossa esperança é / era o Acordo firmado em Lisboa, em outubro de 1990, pelo 7 países que têm o português como língua oficial. O novo Acordo introduziu alterações significativas na questão do hífen. (Veja-se A nova ortografia da língua portuguesa, de Antônio Houaiss, Ática, 1991). Mas, infelizmente, o referido Acordo não foi ainda votado (será um dia?) em todos os parlamentos dos países de fala portuguesa, para se tornar lei.

7. Hífen e "abaixo-assinado"

"Abaixo-assinado" é substantivo composto; significa petição ou requerimento coletivo.

"Abaixo assinado" (sem hífen) é adjetivo; indica cada pessoa que assina um abaixo-assinado.
Exemplos:
O abaixo-assinado foi encaminhado à Pró-Reitoria de Ensino de Graduação.

Os alunos abaixo assinados requerem a Vossa Senhoria...


8. À toa/ à-toa

• "À toa" (sem hífen) é advérbio, isto é, modifica um verbo; significa "a esmo", "ao acaso", "sem fazer nada", "inútil", "sem rumo". Andar à toa: andar sem rumo.

• "À-toa" (com hífen) é adjetivo, isto é, modifica um substantivo; significa "inútil", "desprezível", "insignificante". Sujeitinho à- toa: sujeitinho desprezível.


9. Dia a dia/ dia-a-dia
• "Dia a dia" (sem hífen) é advérbio, isto é, modifica um verbo; significa "diariamente": Ele melhora dia a dia.

• "Dia-a-dia" (com hífen) é substantivo; significa "cotidiano": O meu dia-a-dia é muito estressante.

(http://www.portrasdasletras.com.br/pdtl2/sub.php?op=gramatica/docs/empregodohifen)
Hélio Consolaro
Enviado por Akasha De Lioncourt em 06/09/2006
Reeditado em 01/10/2012
Código do texto: T234247
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar Autoria e Link para a Obra Original). Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Akasha De Lioncourt
São Paulo - São Paulo - Brasil, 45 anos
706 textos (1035209 leituras)
72 áudios (109737 audições)
30 e-livros (56853 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 03:54)
Akasha De Lioncourt

Site do Escritor