CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Escrevendo um romance do começo ao fim - 8 recomendações práticas

Você teve aquela ideia brilhante para um romance, mas não sabe por onde começar, ou o que é pior, na minha opinião, já escreveu algumas páginas, mas não consegue avançar ou acabá-lo?

Então, seguem 8 recomendações práticas para escrever um romance do começo ao fim. Não é garantia alguma de sucesso, mas já o ajudará bastante a organizar o pensamento e avançar um pouco na escrita.

<1 - Acredite na sua ideia>

Seja autêntico e escreva uma história na qual você acredite.

De nada adianta você tentar seguir as modas literárias, falar sobre vampiros, cavaleiros medievais, bruxos adolescentes, romances românticos ou infanto-juvenis se você não acredita realmente no que está fazendo.

A princípio, qualquer escritor deveria escrever aquele livro que ele gostaria de ler, que chamaria a atenção dele na livraria e com um estilo que o agrade.
Gostar de Terror, mas escrever histórias românticas porque é o que vende, ou adorar Sidney Sheldon, mas tentar escrever como Proust é a fórmula para uma obra malfadada.

Uma hora, você se cansará e sentirá que a sua alma não está naquelas páginas, então acabará abandonando o romance ou jamais terá orgulho dele.

<2 - Saiba como a história começa, desenvolve-se e termina>

Ter um caminho traçado para seu enredo sempre ajuda a manter o foco.

Para mim, o que funciona, antes mesmo de começar a escrever o livro, é anotar, ponto por ponto, os principais momentos da trama até o desfecho.

Isto não quer dizer que você esteja condenado a escrever o romance exatamente como o planejado inicialmente. Muitas vezes, ou melhor, quase sempre, assim que você imergir na escrita do livro, a história criará vida e ditará seu próprio ritmo, chegando até a contrariar totalmente a ideia original.

Não saber aonde você pretende chegar dificultará bastante várias decisões durante a narrativa, quando e como será clímax, e também qual será o momento de encerrar o enredo.

<3 - crie personagens que movam a história>

Existem dois tipos básicos de protagonistas: aqueles que movem a história, e aqueles que são movidos por ela.

É muito mais fácil criar personagens do segundo tipo, pois basta que o autor engendre situações mirabolantes, um arquiinimigo ou uma sequência de obstáculos externos, e aguardar para ver qual será a reação do personagem. Nestes casos, eles são como marionetes nas mãos do autor, sem vida e sem personalidade.

Já personagens do primeiro tipo são mais raros e muito mais difíceis de serem concebidos. É preciso insuflar-lhes um espírito, tornando-os tão reais como se eles fossem pessoas de verdade. Geralmente, estes personagens tem uma motivação tão poderosa e visceral que eles mesmos são os motores do enredo, agindo por conta própria e solucionando seus próprios problemas. Nesta situações, a tarefa do escritor é mais a de traduzir em palavras os anseios dos personagens, ao invés de ser alguém que dite o que eles devem fazer.
Personagens orgânicos são o sonho de quaisquer escritores, mas exigem respeito e compreensão, pois nem sempre eles vão querer obedecer o roteiro planejado, agindo de maneira imprevisível.

<4 - trabalhe com diálogos>

A técnica mais eficaz para criar tensão e fazer uma história fluir é utilizando bem os diálogos.

O ideal é ser o mais realista possível, tentando dotar cada personagem com um vocabulário próprio. Os personagens revelam muito sobre si próprios através do que eles falam e, às vezes, mesmo uma conversa trivial pode trazer à luz aspectos importantes sobre eles.

É extremamente complicado escrever diálogos verossímeis, sem recair na banalidade ou na artificialidade.
Em romances históricos, o trabalho é dobrado, pois deve-se evitar utilizar um vocabulário anacrônico, com palavras, gírias ou expressões que são utilizadas hoje, mas que não eram na época no qual o romance se ambienta.

<5 - disciplina é fundamental>

Estabeleça um horário exclusivo, por exemplo, uma hora por dia, apenas para escrever seu romance.

Mesmo que você não esteja com a mínina vontade, sem nenhuma ideia boa, escreva pelo menos um parágrafo. Esta disciplina é essencial para criar uma rotina, além de ser uma estratégia para criar sempre.

Se você escrever um parágrafo por dia, todos os dias, num ano serão 365 parágrafos, que já devem dar quase 70 páginas, ou seja, em dois anos você tem um livro pronto.
No entanto, se você conseguir produzir uma ou duas páginas ao dia, em menos de seis meses você já terá um romance em mãos.

E, durante este horário, evite acessar internet, assistir TV ou qualquer outra atividade que o distraia. Concentre-se em sua tarefa e não desista.
Quanto mais você escrever, mais você vai querer escrever.

<6 - resista a tentação de mostrar aos outros um romance inacabado>

Eu entendo muito bem a sensação de querer um parecer dos outros enquanto estamos escrevendo um livro, pois, em alguns momentos, você questionará a qualidade da obra.

Resista! Dividir com os outros um romance inacabado pode ser um grande equívoco por várias razões:
1 - nem sempre teremos uma resposta positiva dos leitores, o que pode nos desanimar bastante;
2 - o romance ainda não estará revisado ou editado, ou seja, muita coisa ainda poderá mudar;
3 - ler um romance pela metade é ler um romance pela metade, você gostaria de ver um filme inacabado?

Você descobrirá com o tempo que é muito mais fácil começar um romance do que concluí-lo, e acumulará uma porção de histórias inconclusas.
Isto é normal, por isto, só mostre aos leitores um livro quando ele estiver pronto, revisado e com todas as arestas aparadas.

<7 - não fique relendo ou revisando um romance enquanto não o houver concluído>

Revisar uma obra inacabada é contraproducente. É um tempo que você estará desperdiçando, ao invés de estar escrevendo, de fato, o romance.

Deixe para revisar e fazer qualquer alteração num romance depois de ter posto o ponto-final. Concluir uma obra não significa que o trabalho terminou.

Frequentemente, o trabalho de revisar, recortar, editar ou emendar um romance é tão ou mais difícil do que o de escrevê-lo.

Enquanto você estiver escrevendo a história, releia uma ou duas páginas anteriores para relembrar onde você parou e continue deste ponto em diante.
Só releia o material inteiro caso você tenham interrompido a escrita por um tempo mais longo, ou deseja evitar a repetição de alguma cena ou diálogo, o que pode ocorrer, principalmente se você não houver feito um bom planejamento prévio do enredo.

<8 - descanse um pouco ao concluir um romance, mas não descanse demais>

Se você conseguir terminar seu romance, tire algumas semanas ou até meses para descansar.
Aproveite para reler obras antigas suas, escrever contos ou ler bastante.

Mas não se acomode nem deixe a preguiça dominá-lo. A escrita é uma prática, se você não estiver exercendo-a sempre, aos poucos começará a perder a mão e a deixará de lado.

Enquanto não esiver escrevendo um romance, continue escrevendo outros trabalhos, mesmo que seja e-mails.

E depois de concluído o livro, você também descobrirá que começa a pior parte deste ofício, conseguir publicá-lo e vendê-lo.
Esta é nesta hora que você terá a certeza que escrever um livro foi a tarefa mais fácil.

(Publicado originalmente em http://blogdoescritor.oficinaeditora.com/2012/06/escrevendo-um-romance-do-comeco-ao-fim.html)
Henry Alfred Bugalho
Enviado por Henry Alfred Bugalho em 14/06/2012
Código do texto: T3723925
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Henry Alfred Bugalho
Estados Unidos, 33 anos
293 textos (48417 leituras)
1 áudios (172 audições)
39 e-livros (3370 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/07/14 07:42)