Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

1471-CABAZ DE RIMAS -Apreciação em TROVAS, do livro de João Quintino Silva

1471-CABAZ DE RIMAS -Apreciação em TROVAS, do livro de João Quintino Silva

Por Sílvia Araújo Motta
Proponente de João Quintino Silva
Aprovado na Cadeira 39
da Arcádia de Minas Gerais.

Um “cabaz” é cesto aberto
com ou sem tampa amovível,
tem duas pegas, por certo,
de remoção susceptível.

João Quintino, o seu “Cabaz”
tem suas pegas reais,
para a união leva a paz
de amizades e ideais.

Este “Cabaz” traz beleza,
Sonetos com ricas rimas
transporta amor, com certeza,
os versos, grandes estimas.

Bendita literatura
que me permite aplaudir
de João Quintino, a cultura
que lhe faz sorrir na vida.

Na rima, a grandiosidade
tão difícil de fazer
traz sábia simplicidade
aprendida no viver.

Ó divina faculdade
de poder ler e sentir
de exercitar dignidade
e consciente discutir.

Ó bendita relação
de equilíbrio interior,
de inteligência e ação,
pois atrever-se é valor.

Bendito amor e respeito
com enorme admiração,
Quintino é sempre o eleito,
dialoga na construção.

“Cabaz de Rimas”, do João,
nos recantos do saber!
A Camoniana lição,
aqui nós podemos ler.

À medida que fui lendo
devagar, a analisar
fui, afinal, entendendo:
“Cabaz” exige cuidado!

“Cabaz de Rimas”, por certo
traz  pujança de poesia,
cristalizada e é certo:
tem alta categoria.

A forma do classicismo
de Camões-lição eterna-
traz no SONETO, o lirismo,
a exatidão sempiterna.

A lírica é definida
de maneira singular,
tempo presente da vida,
de uma pessoa ao falar.

Gênero pode ser “lírico”
se predomina a emoção,
de fundo histórico: “épico”...
“dramático: muita ação...

Soneto de João é ético
registra autenticidade,
remete ao prazer estético
a clássica antiguidade.

Patriarcas exuberantes,
eruditos, com certeza,
arcaizantes, permanentes...
Jo-ão retira a beleza.

No “eu-lirismo, alma faz
os Juízos subjetivos
e na sensação que traz
esclarece objetivos.

“Cabaz” tem rima bonita
sonora, rica, completa!
João Quintino é bom na escrita,
por isso, ótimo poeta...

“Cabaz” é cadenciado,
cheio de força e leveza!
“Cabaz de Rimas: legado”
para a Língua Portuguesa.

Demonstrou inteligência
e na estrutura, grandeza!
O João tem experiência
usa da Língua, a beleza.

“Cabaz de Rimas” tem prece!
João Quintino é fervoroso
nos seus versos agradece
ao Deus Todo-Poderoso!

“Cabaz” na rima enriquece
a Poesia Brasileira,
o nosso aplauso merece
porque tem fonte mineira.

“Cabaz de Rimas” tesouro-
é jóia rara e eleita
traz no brilho, a cor de ouro,
tem forma; segue a receita.

“Cabaz de Rimas” riqueza-
é obra-prima para o mundo,
quinhões de bens e beleza
encerram saber profundo.

“Cabaz de Rimas” revela
encanto, graça e magia
em nossa Língua tão bela
demonstra sabedoria.

“Cabaz de Rimas”  é taça
onde se bebe o amor,
brinda a beleza e a graça
do João-Desembargador!

“Cabaz” - amor acrescenta
à maravilha da rima,
a emoção que experimenta
lapidação, bem acima.

“Cabaz de Rimas”- saudade-
são elos do amor-perfeito,
pois todos, na realidade
tem seu amor por direito.

“Cabaz de Rimas”-Rainha-
Obra-prima sonetista
merece altar, onde aninha,
literatura altruísta.

“Cabaz” tem Rima de sábios,
cheira mel, é adocicado,
porque transporta dos lábios
os frutos do bem-amado.

“Cabaz de Rimas” -retrato_
de uma vida em harmonia
porque revela de fato,
paz, sorrisos e alegria.

“Cabaz” de versos, inteiro
mostra-nos seu cabedal,
um tesouro verdadeiro
não tinha visto outro igual.

“Cabaz” rimas entrelaça,
competência pra rimar,
na amizade que perpassa
é capaz de emocionar.

Cabaz de Rimas, agora
tem rumo predestinado,
segue para o mundo afora,
porque já está divulgado...

“Cabaz” é todo singelo,
mas agiganta lições,
escolheu o caminho belo
de Luiz Vaz de Camões.

“Cabaz” traz rimas notórias
dos medievais Trovadores
e contam belas histórias
dos seus secretos amores.

Da infância, as travessuras,
sementes da mocidade,
hoje são frutas maduras,
doces, na melhor idade.

“Cabaz” é rima a cantar
uma afeição natural;
faz no coração brotar
bondade comunial.

Cabaz de Rimas, embora
difícil de ser trilhado,
tem turma séria, que o explora:
“Vale aplicar, o estudado.

“Cabaz” traz toda a certeza
da Língua Mater, canção,
sinônimo de pureza
que toca no coração.

Todo o “Cabaz” de Quintino
saiu da sombra real
e na chamada do sino
convoca e agrada, geral.

Homem culto e aplaudido
a quem tanto nós prezamos,
nesta sala, tão querido,
hoje é ÁRCADE e brindamos!

Hoje ao SONETISTA rimo:
caro Desembargador:
Seu trabalho, João Quintino
distingue aplauso e louvor.

Diante de tanta beleza
aos céus quero agradecer
vem de Deus, tenho a certeza,
os dons que vejo crescer.

Hoje ao SONETISTA rimo:
caro Desembargador:
-Seu trabalho, João Quintino
distingue aplauso e louvor.

“Cabaz” é um belo instrumento!
trechos da vida passada,
Transportam ensinamento
à memória consagrada.

No céu tem tantas estrelas
no “Cabaz” tantas poesias
e quem pode merecê-las,
só pode ter alegrias.

Parabéns desta escritora
bem feliz aposentada,
Violonista e escritora
pela Vida apaixonada.
-
Belo Horizonte, 5 de setembro de 2007.
Silvia Araujo Motta
Enviado por Silvia Araujo Motta em 05/09/2007
Código do texto: T639322
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Silvia Araujo Motta
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 66 anos
6947 textos (699416 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/17 20:19)
Silvia Araujo Motta