Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Autores

Sobre a autora
Day Moraes
Angra dos Reis - Rio de Janeiro - Brasil
137 textos (4906 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/11/19 13:10)
Day Moraes

Textos do autor
Perfil
Nasci Ferraz, e nestas muitas voltas que o Mundo dá...

"Roda Mundo, roda gigante, roda moinho, roda pião, o tempo rodou num instante, nas voltas do meu coração..."

Retorno as origens com a vida nua, livre das aparências e das masmorras secretas...
Livre das mentiras bastidoras! Serena e senhora de mim...


Poeta, minha entrega absoluta!

Escrever nas folhas nuas, tanto quanto na alma e no íntimo, pontilhando nas entrelinhas, tantas formas dedicadas, como letras delicadas esbaldando sentimentos...

Tantos sonhos e convites, no olhar pela janela, onde o tempo não existe, onde tudo se revela em perfeita sincronia, na existência pura e simples, de um voar de passarinho...

Vivo, e assim desperto numa corda bamba, numa roda gigante, sem parque de diversão, onde o meu referencial de vida, nada mais foi, que amanhecer Poeta...

Deixo então que esta certeza, seja a veia e o complemento, e que olhares do momento, sejam tudo que me abraça, já que a vida, vem de graça, nos mudar a cada cena...

E entre letras e dilemas, vou nascendo das certezas, que viver é uma estrada, onde tudo tem começo, onde o fim é a chegada e onde a carruagem, infelizmente, só passa!


Pari filhos pelo Mundo e o meu Mundo de filhos...

São amores insubstituíveis!


Rompendo laços e rasgando abraços...

Tento me reconstruir, do TUDO que restou de mim. (Um individuo nunca é pouco, a não ser quando assim ele se considera perante aos outros. Estar vivo é sempre MUITO, TUDO, DEMAIS...)
Amigos raros, amigos poucos, amigo um, verdadeiro amigo.
O que ficou quando todos os demais foram embora,como se a amizade fosse descartável como aquele papel higiênico usado...


Ah, esta Minha FÉ!

Neste DEUS, que nas aflições chamo Meu, e assim pratico meu mais primário ato de capitulação egoísta!

Para aquele a quem rogo misericórdia nos momentos de aflição, sem lembrar de agradecer as bênçãos que já recebi...

Aquele a quem firo os mandamentos, nos momentos em que não consigo amar a todos os próximos como a mim mesma... Ao menos não sou hipócrita!

Minha fé que pratico nas andanças, com gestos de caridade sem praticar doutrinas.

Amando a DEUS sobre todas as coisas, sem dizer aos olhos DELE, que sigo todos os seus passos, que vivo a vida respeitando todos os seus Mandamentos, que não minto, por exemplo, deixando escapar a mais banal mentira, isso não faço, porque para mim, DEUS é a VERDADE!


Do amor, por hora me calo...

Melhor não dizer nada agora, e não me arrepender depois...


Última atualização em 12/11/19 13:10