Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Autores

Sobre o autor
Imperador Dom Henrique I
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
919 textos (1426706 leituras)
19 áudios (3584 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 23:28)
Imperador Dom Henrique I

Textos do autor
Áudios do autor
Perfil
A vida é muito mais do que um simples passatempo; existir é muito mais sedicioso do que tentar descobrir os Segredos da Arca, ou mesmo onde ela está; não faria diferença alguma termos a mostra muitas das respostas, pois sabemos que não há bons ou maus, mas sim os extraordinários e os monótonos!

A arte da vida pode parecer pueril para muitos, abstrusa para alguns e extasiante para todos; a vida é uma arte contemplativa, enigmática e perfeita; mesmo para leprosos e portadores de indisposições terminais, haverá sempre uma chance para sorrir com pureza d’alma; da mesma forma que palhaços choram e sentem dor; este é o contrabalanço eterno e fará parte da biografia enquanto vida existir.

Escrever num papel ou computador, para alguns é um ofício, para outros, uma inópia; uma sânie; uma artimanha escandalosa que prepara o superego de todos os escritores para transpor os limites do conhecimento, abundando-se de imaginações poéticas, clássicas, úteis e vãos; na minha vida, a arte da escrita, faz-se tão necessária que eu confundo com um vício e meu superego me diz que é um ofício; sei lá, apenas escrevo e cada vez mais uma descarga de vontade de anotar me chega ao cérebro que manda meus dedos aperfeiçoarem a concepção.

Vim de algum lugar emblemático e com certeza, algo me diz que voltarei para as origens; levarei o nada que me pertenceu na chegada; não deixarei legado, mas um punhado de palavras desdenhadas em algum papiro eletrônico, isso sim, deixarei e parte de tudo, deixo registrado aqui!

Sou um apaixonado pela escrita e farei isso enquanto tiver imaginação e forças; sou determinado para falar da vida alheia de forma ácida quando elas merecerem; capaz de me auto-seduzir, deixando de lado qualquer marca narcisista, criando poemas que são oriundos de alguém insensível por razão; sou crítico intemerato de mim mesmo e muitas vezes, sou o tribuno de platéia vácua; julgo-me e me concedo à pena; jamais o perdão!

Não quero eternizar nenhum pensamento, muito menos meus escritos; não quero ser santo, muito menos uma referência para ninguém; quero ser eu mesmo e agradar a mim próprio e a única forma que consigo o êxtase pleno desta batalha diária da vida, é escrevendo e nada mais!

Quer me conhecer mais? Visite meu filho; www.irregular.com.br ou receba notícias minhas através do Twitter: imperadorminas


Última atualização em 14/12/17 23:28