Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Autores

Sobre a autora
PANDORA AEDO
Tangará da Serra - Mato Grosso - Brasil, 35 anos
30 textos (2735 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/07/19 08:55)
PANDORA AEDO

Textos do autor
Perfil
ESTERTORES
Convenhamos carcarás devoram miralos
Na arcada sutil da soberba
Caretas deslizam na alba funesca
Culminando em si um catride de erros
Carnaúbas em sales e vinho
Granido na clava urrante de veros
Clumata de trovadores berrecos
Abutre pequeno e sem cheiro
Ribalta em passos seguros no coito
Punhal de farpas na seiva amarga
Que potrefa na alfa cadeia da luz
Brindemos à farta sugestão
O sumo olente que vos observa
Contemplem meus ossos, castos e entregue aos corvos
A vida é um mastro de sentimentos e vicissitudes
Onde a abiose se reflete no éter da mente
Que a todos pertence
Más só um aedo observa
Na sua profundeza o recuo do medo
O homem no berço da casaca da alma
É um homem incalcado em pensares de parma.
Perdoar o antagonismo é subjugar a si mesmo
Assim, numa sanha em rubro idílio
Morrinhento suplico uma morte lenta e dolorosa
Surreava no Supor da Alavanca Universal.


Última atualização em 18/07/19 08:55