Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Autores

Sobre a autora
Pucca
Osasco - São Paulo - Brasil, 31 anos
9 textos (3965 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/05/21 14:00)
Pucca

Textos do autor
Perfil
: Eu também não sei quem eu sou. Mudo sempre e não porque quero mudar, mas sim porque as coisas mudam para que eu me molde a elas.

Tento ser aquilo que você quer que eu seja, claro que se eu realmente quiser sua companhia. Chego ao ponto de dizer que estou errada e de me culpar por coisas que nem eu, nem você somos culpados.

Tento também ser compreensiva, otimista e paciente, mas no final eu acabo sempre discontrariando tudo isso.

Estou sim em um momento da vida não muito feliz, muitas decisões e eu odeio decisões. Sempre decidiram por mim, agora querem que eu faça o que tem que ser feito. Mas muitas coisas devem ser feitas, e não tem como fazê-las ao mesmo tempo.

Não me importo com o que você acha de mim, nem me importo se te surpreendo ou não. Me preocupo com pessoas que precisam de mim, que me ajudam e que sempre poderei contar com elas.

Já não me faz diferença alguma o número de scraps e de amigos, nem o conteúdo das comunidades. Não faz diferença receber suas mensagens automáticas. Importo-me com pessoas que perdem alguns minutos escrevendo coisas para mim. E só responderei para elas.

Não sei do meu futuro, cheguei a um ponto de não mais saber o que eu gosto,o que eu quero, apenas faço, e tento não magoar as pessoas a minha volta, apesar de sempre estar magoada.

O que eu quero, ainda e neste momento não posso realizar, quem sabe depois de ter ganhado a minha vida, eu consiga.

Penso sim em desistir da vida, em estourar com tudo, mas ainda existe uma força em mim que me faz continuar: Existem pessoas em situações piores que a minha.

Amo pessoas que fazem da vida um obstáculo, que sonham com coisas que sabemos que não serão reais, ou pelo menos uma parte delas. Amo também pessoas flexíveis,que mudam de opinião mas pensam o bem, como um todo.

Faço o máximo de esforço para não ouvir brigas e discussões, e também não suporto ouvir sermões, daqueles que sempre não nos deixam argumentar. Ter que ouvir e calar. Assim você está impondo e não querendo evoluir com a capacidade ou a incapacidade da outra pessoa, que tenta te ensinar alguma coisa.

Nem tudo acaba com um final feliz. Pode ser que algumas coisas da vida, você tenha que terminar com tristezas e para sempre ficar com sua consciência pesada. Mas são sacrifícios para você se tornar alguém, para você dizer: Eu vivi.


Última atualização em 08/05/21 14:00