Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Autores

Sobre a autora
Teônia Soares
Curitiba - Paraná - Brasil
1329 textos (43664 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/10/19 16:40)
Teônia Soares

Textos do autor
Perfil
 
 
Eu Sou
 
 
Sou uma filha de Deus tentando plantar o amor em meio as feridas.
Sou uma serva do Deus Vivo,
Sou um sonho desse Deus em quem acredito,
Sou a força dEle, nEle, quando penso que desisto,
Sou mais uma História dEle, com final traçado na eternidade,
Sou Sua Criança, apesar da minha idade,
Sou a carência saciada no afago de Suas Mãos,
Sou Seu braço forte, apesar do meu sensível coração,
Sou um sorriso caloroso (Ele me faz sorrir),
em meio a lágrima escondida no desgosto,
Sou a satisfação incontida em ver as bênçãos derramadas
sobre mim, sobre meus irmãos,
Sou a que vive para Deus,
Não fosse Ele, nem viva estaria,
Vivendo de sua provisão, vou escrevendo,
Trazendo novas canções,
No falar, a sinceridade do correto,

No agir, a simplicidade ao fazer o certo,
Na oração, o pedido do Seu Perdão,
No agradecer,
a alegria da Sua Misericórdia renovada na doce manhã
cantada em Salmos de gratidão...
Te amo meu Deus!

Sua filha: Teônia Soares
 

***
Meu grande prazer é escrever, 
Desde pequena, fui presenteada com esse dom,
Quem me deu, também me deu a Vida,
Como agradecimento do que recebi, e recebo, 
dou a Ele tudo que sou e tenho,
embora não tenha nada,
e tendo tudo,
que é Ele,
procuro fazer "meu mundo" como o recebo.
Não me importo com a categoria do que escrevo,
se é poesia, se é soneto, se é prosa poética,
as vezes misturo tudo, rsrs, 
contanto que tenha ética, 
sigo...

Teônia Soares

***

Primeira Página

Quando o Rio segue a tarde,
Seus cabelos conversam com o vento,
É sempre meio de alguma coisa,
O tempo é colhido na horta,
A vida, atravessando a sala, de meias,
Para beber um copo de Paz, 
A noite, chega num carro, que passa com toda calma,
Admirando a imobilidade de uma Casinha Azul,
Ligeiramente, mais azul que o Céu,
Seus olhos, Teônia,
Ora se perdiam nas águas mal iluminadas,
Ora, num conjunto de palmeiras inventadas,
Para descansar as conversas compridas,
Com certo ar de casa,
Que se apropriam do caderno,
Quase nada se mexia, 
Tudo cabia em um olhar.

De: Vânia Lopez
Para: Teônia Soares



***

Minha escrita é canção, alegre, triste,
É pulsar de Vida, no meu coração,
É tela em cores, 
Desenho do meu bem Maior,
Meu DEUS!

Teônia Soares 
 
***
 
 
 
Nem tudo que um poeta escreve é sobre ele,
há muitas histórias que os poetas escutam,
não pertencem a eles,
eles vivem cada uma para poder escrever,
fazem de cada uma,
um poema.
 
" Os homens mortos não tem dor e nada os incomoda." (Alexander Lowen)
 

Ainda há tempo da mudança,
Voltar a ser humano.

Teônia Soares
***

Site do Escritor


Última atualização em 15/10/19 16:40