Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Autores

Sobre a autora
DNinha
Teófilo Otoni - Minas Gerais - Brasil, 94 anos
46 textos (5136 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/04/21 22:43)
DNinha

Textos do autor
Perfil
Meu nome:Ana Cordeiro Fernandes, mas desde ainda jovem sou chamada de Dona Ninha, tenho a honra de ser prima do Cardeal Arcebispo de Belo Horizonte, Dom Serafim Fernandes de Araújo, nasci em um pequeno distrito chamado Lorena, no Município de Itamarandiba, no Vale do Jequitinhonha em Minas Gerais, Sou bisneta de Senhor de escravos, e ainda criança, lembro-me que conheci alguns deles, já libertos, mas que continuavam a morar com seus senhores, pois lá se sentiam bem. Conto atualmente com 80 anos de idade, nasci em 22 de maio de 1926, na zona rural, naquela época tudo era difícil, eu não conhecia igreja, nem padre, mas meus pais, meus irmãos muito católicos, sou católica e orgulho-me de minha religião, não cheguei a freqüentar escolas, não conhecia cidades, e nem sabia o que nelas existia, mas admirava a sabedoria de meus pais, e com eles aprendi a ler e escrever precariamente, mas com o tempo aperfeiçoe-me um pouco mais com meus próprios esforços. Graças a Deus fui sempre estimada por todos que me rodeavam, casei-me aos 24 anos com um rapaz que morava na cidade de Capelinha, também em Minas, só então vim a conhecer, carros, ônibus, e luz elétrica àquela época bem diferente de hoje, lembro-me que todas as tardes vinha o funcionário da companhia de força e luz, que ligava as lâmpadas das ruas com uma haste, em um poste de cada rua, eram coisas simples, mas que me trazem saudades. Mas a cidade não me intimidou, passei a relacionar-me muito bem com todos, Meu casamento durou onze anos, pois Deus levou o meu esposo aos 45 anos de idade, e eu tinha 35 anos na época, com 05 filhos todos ainda novinhos, o mais velho tinha oito anos de idade, foram a razão de minha vida, vivia em função deles, muito trabalho para cria-los, tive um único homem que foi meu esposo, nunca mais me interessei por nenhum outro. Sempre gostei de escrever minhas singelas e simples poesias desde que aprendi a ler e escrever da forma que acima citei,. Aos oitenta anos que hoje tenho, não me sinto idosa, meu espírito continuo a preservar sempre jovem, já passei por diversas cirurgias, a saúde meio precária, claro que todos nós temos momentos tristes em nossas vidas, mas apesar dos momentos tristes que já tive, sinto-me uma pessoa feliz.
...
Foto do perfil retirada a pedido da homenageada, logo, que possível postarei uma nova foto somente com minha imagem.


Última atualização em 16/04/21 22:43