Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sou DDA e DDAí? - Episódio 18 - Não compre geladeiras

Depois que fiquei consciente do diagnóstico de DDA/TDAH muita coisa se encaixou na minha história.

Teve explicação, esclarecimentos. Saiu um peso das costas, dos ombros, da cabeça. Principalmente da minha alma culpada, rejeitada. Inadequada!

Ainda bem que encontrei ferramentas que deram certo para o meu caso. Não é para todos obviamente, como roupa que vestimos. Até sapatos que podem ser o nosso número mas a forma do pé não serve. Aperta ou cai do pé.

Para lidar com as sequelas do meu DDA/TDAH, lidar com a culpa dos vários acidentes, a auto-estima baixa, leve depressão, raiva contida, ira explosiva, rejeição interna, relacionamentos quebrados, imprudente impulsividade, baixa produtividade, falta focalização, mínima concentração.

Foi bom saber através de consultas com a Dra Cleise, literatura, site oficial de TDAH, que havia avanços nos estudos e pesquisas. Já existiam certos padrões que podiam ser estudados e apresentavam alternativas e orientação para uma direção.

Mas e quando certas ferramentas não davam certo? Tipo:

 “Coloque lembretes na geladeira”

E eu lá tinha dinheiro e espaço para colocar 4 ou 5 geladeiras na cozinha? Eram lembretes que não acabavam mais. Minha geladeira recebeu o apelido de HD Externo.

Não se encaixavam! Não faziam sentido! Algumas novas ferramentas de gerenciamento até que me empolguei!!...não durou alguns dias. Outras algumas horas e já estavam esquecidas para sempre. Amém!

Reconheço que coloquei exageradamente e precipitadamente uma esperança de resolver tudo. De uma hora para outra. De uma semana para outra. De um mês para o outro. Insanidades atrás de insanidades.

_Bem!!!  Vou ler agora um livro por semana.

Queria recuperar inconsciente o tempo perdido. Recuperar educação que não entrou na minha cabeça. Não queria mais me sentir “retardado”. Sim retardado era a expressão que ouvia, e muito.

Depois aprendi a denominar melhor meus pensamentos, sentimentos e comportamentos. O que eu ouvia como retardado, no final das contas era uma inadequação. Que com o tempo ficou cada vez mais controlada e gerenciável.

É mais que óbvio que qualquer técnico que arruma geladeira. Não leva um caminhão de ferramentas. Leva uma pequena “caixa de ferramentas”. Com ferramentas específicas de geladeira.

Eu fui escolhendo as minhas, que deram certo para mim. Algumas fui descartando com o tempo. Escolhendo outras novas. Um dia tive que reconhecer que carregar um caminhão de ferramentas para cima e para baixo era insanidade tamanho de um bonde.

Para quem não sabe o que é “bonde” procure depois na internet...e para não esquecer coloque um lembrete em uma das geladeiras rs.
Ricardo Olah
Enviado por Ricardo Olah em 08/07/2018
Código do texto: T6384800
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo Olah
Osasco - São Paulo - Brasil, 55 anos
46 textos (545 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/12/18 15:07)
Ricardo Olah