Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Se eu pudesse ...




Se veneno que me deste, amiga amada,ainda grato te sou,pois que os meus anseios me exigem tratá-la carinhosamente...
Mas temo ser este amor sufocante aos teus olhos,
sejam perdidos na mortalha da amizade que a mim transfigura.
Se te beijar é sonho,amar-te desejo que os sonhos
invocam em demasia te buscam e no aconchego te
imagino;
Direito não me é dado...houve por sorte quem as
pedras do rio tirara com as ondas acabou, tornando correnteza e depois como belo é o despertar,
buscou nas ondas tuas,no gozar da vida tua que
por certo direito dado aos anjos.
Não se i se é meu direito alternar teus sentimento,
não que seja o meu,mas em ti despertar a atenção,
fazer-me não ídolo,mas sim além amigo que na expressão,almejo chamar-te bela,quando a tantos
outros a palavra gostosa é mais acessível.
A sensação que me dá o teucorpo,minha pobre e
amargurada alma sofre e meu ser que na tentativa de emaranhar aos meus sentimentos,como num depositar em favoritos...
num tentar buscar a verdadeira paz para
o meu interno,que num abandono eu o vejo
e no sentir da tentação que me és,sofredor
tornei que para o meu solitário e impaciente
o coração que em alavanca elevar de você,
a tua imagem ,que de mim tomou conta e
meus olhos não sabem mirar a outra sem
que seja você, que como sempre singela,na
gentileza que aguça é que faz o meu
sangue ferver.
Toca em mim e por amor ,ainda que deste
amor torne mais que sofredor um pecador
sem perdão,assim não digo,mas o Pai vê...
Desta paixão que cega ao cego, dando luz e na luz deste luzir me apossando para me terdes nas tuas
faces douradas,
tua lua busco não para ir...mas para nela
a pousada que na hospedaria imagino -te
dez estrelas !
Ainda que sem poder na realidade saber o teu pensamento,envio para o mesmo que arda
em pesada a que são João inveje e que seja
o espeto todo ele que no fogo do amor,teu mais
abrasador,que no retirar o assado espera-me
em ânsias pela cru que te aproximo.

Ainda apaixonado!


Carreta de abraços;

Antonio Israel Bruno

antonioisraelbruno
Enviado por antonioisraelbruno em 15/10/2008
Reeditado em 22/10/2008
Código do texto: T1230275
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
antonioisraelbruno
Barrinha - São Paulo - Brasil
1962 textos (102472 leituras)
8 áudios (816 audições)
178 e-livros (13463 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/05/21 19:52)
antonioisraelbruno

Site do Escritor