Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Saga de Constâncio e Fabiana (7)


A sede do Cedro Esporte Clube ficava numa esquina quase em frente ao portão principal da Fábrica de tecidos. Depois de um lance de escadas, uma espécie de varanda enorme onde ficavam mesas e cadeiras para os freqüentadores. Atravessando entre elas saia-se no Salão de baile retangular com janelas que davam pra rua e à esquerda um palco tamanho médio a meia altura. Naquela hora o zelador já estava lá e puxou gentilmente duas cadeiras para Dr Alexandre e seu convidado.
Bom Constâncio aqui está o contrato de gaveta, que você deve ler com calma e depois, se concordar com as clausulas todas assinar.Basicamente diz o seguinte: A partir de hoje você terá direito a receber dois Salários mínimos mensalmente por sua participação no time de futebol, mais um salário como ajuda de custo para moradia e alimentação ,que você pode usar até pra alugar uma casinha por aqui quando estiver pensando em se casar. E ainda tem os bichos(gratificação em dinheiro) por cada vitória do time de Futebol. A partir de amanhã, vamos providenciar sua carteira profissional de trabalho, pra você começar imediatamente a trabalhar na Fábrica.
Vou te dar um cargo de chefia da “Sala de panos” que é o local onde se faz a conferência e controle de qualidade do tecido fabricado por nós. Os operários de lá já sabem o que fazer;Você vai cuidar da ordem entre eles, não permitir atrasos, corpo mole, essas coisas assim. Nos dias de treino do time estará dispensado do trabalho na Fábrica.Pra isto, vai ganhar mais dois salários por mês; Pra começar, não está nada mal,né? Pra atuar na banda de Música você receberá outro salário mínimo pelos ensaios e apresentações em público.Tem dois ensaios obrigatórios por semana, pra manter o repertório sempre atualizado.Aliás, quero parabenizar você pela sua participação brilhante no ensaio de hoje.Zebedeu também gostou muito,posso te garantir!
Constâncio estava deslumbrado com aquela conversa. Bendita a hora que aceitou a proposta de se mudar para o Cedro.Então quando o doutor disse “alugar uma casinha quando estiver pensando em casar”,pensou imediatamente em Fabiana,de quem até agora, não sabia nem o nome.Depois de ler todo o contrato e assinar, passou com o patrão pela Fábrica de tecidos pra conhecer as dependências, por dentro.Achou tudo muito grande e muito organizado.Sentiu-se repentinamente orgulhoso de fazer parte daquela comunidade.O Patrão dirigiu-se ao Escritório e Constâncio voltou sozinho  pé para a pracinha da Igreja,onde ficava a pensão de Dª Santa.No caminho encontrou com Fabiana que tinha vindo fazer compras no Armazém de “Seu”Juca Abriu um sorriso e se aproximou dela, o coração aos pulosOi, você é a irmã de Fulo, né? “Sou sim me chamo Fabiana” disse ela com a voz levemente trêmula.Prazer... O prazer é todo meu, eu sou...”Já sei.interrompeu ela.Você é o Constâncio, do rio São Francisco que veio morar e trabalhar no Cedro trazido por Dr Alexandre! Isto mesmo aliás vim de lá agora, apontou para a Fábrica, onde fui assinar meu contrato de trabalho.
De repente surgido niguem sabe de onde, Surge na frente dos dois, Fulô,com cara de poucos amigos.”Fabiana! mãe pediu pra eu vir olhar porque você está demorando tanto com essas compras. Ôi, meu irmão já tou indo .Só parei um minutinho pra trocar dois dedos de prosa com Constâncio, que você já conhece,né?
"E o que é que o moço quer, que eu não posso explicar pra ele?"Falava olhando pra Constâncio.sabe o que que é, companheiro É que nem mãe nem Eu queremos que ela fique de conversa com estranhos na rua Se quizer conversar com ela tem de ir lá em casa nas presenças minha e de mãe.”Tudo bem,Floriano, respeito sua opinião, você sabe o que é melhor pra sua irmã” disse Constâncio, meio sem graça;
“Floriano,não! Me chama de Fulô, como todo mundo me trata!
“Com licença, Constâncio, disse Fabiana e apressou o passo em direção á sua casa; Como já estava na pracinha, Constâncio se despediu de Fulô e se encaminhou pra pensão onde as três formosuras estavam “assuntando” tudo,curiosíssimas...”Tarde... resmungou Constâncio, e foi direto pro seu quarto.
"Boa tarde Constâncio," respondeu o Trio Calafrio.
Aecio Flávio
Enviado por Aecio Flávio em 13/09/2007
Reeditado em 13/09/2007
Código do texto: T651214
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aecio Flávio
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 76 anos
139 textos (21132 leituras)
117 áudios (22415 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 06:08)
Aecio Flávio