Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PAULO COELHO: QUEM AMA E QUEM ODEIA

Paulo Coelho é um escritor polêmico. Disto não resta a menor dúvida. Você ama Paulo Coelho ou você odeia Paulo Coelho. Hoje resolvi escrever sobre ele porque ouvi uma frase que vira e mexe estou ouvindo, e que me deixa bastante intrigada: “eu odeio o Paulo Coelho, não suporto esse cara" ! Hoje a ouvi acompanhada de tamanha indignação que fui obrigada a perguntar: por que? E a resposta da pessoa me deixou ainda mais intrigada: “ah, sei lá, mas não gosto dele, nunca fui com a cara dele! Cara metido, se acha!
Resolvi pesquisar. Li tudo sobre a vida dele. Inclusive, é claro, seu conturbado relacionamento com o meu ídolo Raul Seixas. O resultado? Simples. Paulo é um fenômeno de vendas no mundo inteiro. Tem seus livros traduzidos para mais de cinqüenta idiomas e vendidos em mais de cento e cinqüenta países. Isso é fato e ninguém poderá mudar, por mais que deseje.
Em meio a tantas loucuras em sua vida pessoal, ele já afirmou (dizem) que vendeu sua alma ao diabo, viu o próprio, participou de várias seitas de magia negra, teve relações homossexuais, fumou maconha, usou diversos alucinógenos... etc.
No blog do escritor – num espaço criado por ele próprio – chamado “Ama, Odeia, Passa lá…. ” para receber ofensas, elogios, diretas, indiretas e desaforos dos seus “desafetos” é comum ler coisas do tipo: “Você finge que é um escritor”. “Você é um charlatão vendedor de livros”. “Você ganha dinheiro com a ignorância alheia”! “Seus livros são puramente lixos literários”. “Você é o melhor escritor do mundo”! “Um vigarista como você está garantindo seu lugar no inferno”! “Toda a sua obra é repugnante”. “Paulo Coelho, você é o cara”! “Paulo, O Alquimista mudou o meu ser, minha vida e visão geral das coisas para 500% melhor”. “É incrível como passei a viver uma vida mais plena depois de ler e seguir a mensagem daquele livro“! ”É incrivel como um só idiota atrai uma legião de idiotas”! E por aí afora vai...
Gente, não está claro como água que não foi por acaso que Paulo Coelho conquistou a excelente colocação que possui no ranking de vendagem de livros e de leituras pelo mundo afora? Que ele é suficientemente esperto e/ou sensível para perceber, para captar que basta escrever textos que – apesar de não contarem com revisões ou redações impecáveis – caem como uma luva no gosto do público? É claro que isso acontece porque tocam lá no fundo a camada mais simples da população! Aqueles que amam ler, mas não conseguem alcançar o sentido da escrita de muitos autores – maravilhosos, sem dúvida – mas que não são compreendidos pela maneira mais clássica e rebuscada com que elaboram seus escritos. Paulo Coelho é lido basicamente por gente que não está nem aí para o fato de que seus livros possuem temas populares; se ele conta a história de uma prostituta, de um peregrino, de um pastor de ovelhas, de uma bruxa, de uma suicida frustrada ou até mesmo de uma mulher apaixonada por um ex- (ou quase ex) padre que tem o dom de fazer milagres. Mas ele fala sobre tudo isso de modo acessível, simples e direto! E isso vai chegar direitinho ao seu (dele) objetivo principal: o gosto do povo, do povão, no sentido pleno da palavra! Isso é público, isso é popular, e isso rende muitos e muitos fãs!
Não sinto vergonha de admitir: eu gosto de ler Paulo Coelho. Tenho muitos livros dele. E muitas vezes, no meio da leitura tropeço em uma frase que se encaixa perfeitamernte à minha vida, àquilo que sinto naquele momento. Continuo perguntando: seria ele realmente um mago por conseguir penetrar dessa forma no mais íntimo dos sentimentos dos seus leitores? Seria esse o seu segredo, afinal, sua “mágica”? Se o seu “esoterismo” é raso, se suas histórias são um tanto quanto previsíveis e sem sentido... porque elas atraem essa multidão de leitores em todo o mundo? Pra mim não importa. Se ele leva tantas pessoas a lerem, para mim já é um bom motivo para não odiá-lo. Não importa o que tenha acontecido entre ele e Raul. Não importa que tantos fãs do Raul o odeiem. Eu sou Raulseixista de carteirinha e não o odeio como escritor. Se ele escreve “errado”, se comete erros de ortografia ou concordância, não me importa nada disso. A vida está aí, cheinha de erros de concordância... e precisamos enfrentá-la e vivê-la todos os dias!
Digo mais: acho que quando se chega “lá em cima” o indivíduo adquire dois tipos de seguidores: os admiradores e os invejosos! Certamente em alguma dessas categorias você se enquadra – ainda que não admita... ou não...?
Beth Joy
Enviado por Beth Joy em 18/05/2012
Reeditado em 18/05/2012
Código do texto: T3675241
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Beth Joy
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
1547 textos (206081 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/10/19 05:45)
Beth Joy