Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
      

        Vou te dizer algo bem claro, quase olhando para você: Eu sou preconceituoso  e você também!!! E digo mais, qual o problema de ser preconceituoso? Que preconceito hein!!!

        O negócio é o seguinte: o preconceito faz parte de nós como o amor, o ciúmes ou orgulho. Esse sentimento tão espezinhado (nunca escrevi esta palavra!!!) pelo mundo afora, às vezes é usado como forma de calar-nos. O preconceito tal qualquer veneno ou medicamento, dependem da dose administrada. O que é ruim, fica bom em contrapartida o que é bom nos faz um mal terrível. Veneno e antídoto são da mesma natureza, diferenciam-se na concentração.

        Pois bem, antes que você já comece a imaginar um texto radicalizador, anti-qualquer-coisa, vamos esclarecer que só quero opinar sobre uma matéria que preconceituosamente não é muito abordada nas rodas, sejam elas de cerveja, amigos, ou qualquer outro tipo de reunião.

       Eu diferencio a palavra pré-conceito de preconceito. Para mim, pré-conceito denota um feeling, um sentimento sobre algo que você nunca experimentou, viu, ou tocou. Nesse caso não há histórico. O pré-conceito é negativo, no sentido de que reagimos a algo sem conhecimento de causa, um medo sem fundamento. Assim sendo,  o pré-conceito é danoso pois priva  o outro lado de qualquer relação, porque você imaginou coisas que muito provavelmente serão equívocos. O pré-conceito sugere a negativa antes de qualquer coisa.

    O preconceito é uma forma de defesa que aprendemos com nossos semelhantes e que de uma forma ou outra a experiência faz parte desse histórico. O preconeito já salvou a vida de milhares!!!  Porém matou outros milhões por todo o planeta.
    Se você vê alguém estranho caminhando em sua direção, alguém realmente suspeito (imagine, construa a figura dessa pessoa, mentalmente), que tem um potencial enorme em te machucar, o que você faz? Preconceituosamente falando, você se protege, de alguma forma teu corpo reage a esse estímulo e toma certas medidas.  Esquiva-se, curva-se, enfim reage.

Intervalo:

    Uma pergunta: descreva-me como era a pessoa aque você imaginou......homem?....mal vestido?...... cheirando mal?....bêbado? Eu aposto os testículos do barbudinho que mentalmente 90% das pessoas pensariam em alguém negro, mulato ou pardo!!! Porque? Porque a maioria dos que estão no mundo do crime assim o são.
Isso se chama estatística, uma ciência que é usada por alguns como forma de tentar prever o imprevisível. Lógico que há muitos de tez branca que também o são, mas a justiça os trata diferentemente, algo de país não muito democrático.

    Voltando ao tema......

    Quando do meu sequestro, a grande maioria, me perguntou antes de qualquer coisa, qual era a cor do meliante. Juro pelas minhas filhas, que foi assim mesmo. Porquê? Pela experiência, se não nossa, a de outrem. Todo mundo já ouviu histórias de quem foi vitíma algum dia da bandidagem e isso entra no sistema cerebral como um programa de computador e retira-lo de lá é bastante difícil.

    Sou preconceituoso em muitas coisas, porém não tenho pré-conceito de nada, afinal o novo, o diferente são o nosso contra-ponto. Sem isso a vida não teria a menor graça, seria como comer torta de chuchu todo dia. Eu prefiro um buffet completo e diferente todos os dias.

PS: Ahh sim, ia me esquecendo....o meliante era branquinho, quase um norueguês tupiniquim. Viu....como o preconceito é forte em alguns aspectos da vida?  No caso da violência é assim: a cor diz mais que o berço!!!!





       

JOSÉ MIGUEL DELGADO
Enviado por JOSÉ MIGUEL DELGADO em 02/11/2007
Reeditado em 02/11/2007
Código do texto: T720394

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (José Miguel Delgado - www.jmdelgado.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JOSÉ MIGUEL DELGADO
São Caetano do Sul - São Paulo - Brasil, 57 anos
224 textos (35438 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 01:46)
JOSÉ MIGUEL DELGADO