Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Artista e a Arte

A arte é um presente, um dom divino para aqueles que têm. Todos nós temos o dom para arte, cada qual do seu jeito. Ser um artista não é fácil.

Para querer chegar até lá a de ter dedicação, constante persistência, todo amor, pensamento positivo e muita paciência para retirarem cada obstáculos, colocadas no caminho.
 
Não desistir jamais de seus sonhos, é importante criá-los e recriá-los sempre. Nada é tão satisfatório e arrebatador quanto o belo e a arte que de tal modo nos entregamos a eles, chegamos a nos esquecer de nós mesmos e da dor que devora o mundo e por não dizer a própria dor da alma quando esta está ferida.
 
O mundo da arte seja ela qual for, nos enche de satisfação e alegria. Caso o mundo desaparecesse, qualquer um de nós seria capaz de recriá-los.

Toda forma dentro de nós já está pré-formada, pois ela procede da alma, cuja essência se desconhece e que, entretanto, dá a nós, sobretudo como força de amar e poder de criar.
 
Todo talento artístico que começa tem suas raízes nos sentidos da alma e do espírito. O talento se corresponde a um caráter; a um impulso e disciplina.

Tudo que é muito fácil é pouco duradouro e nem "Tudo que brilha é ouro”, tudo que sobe muito rápido pode ter uma descida dolorida e sofrida.
 
Artistas sejam alerta, porque tudo que triunfa sobre a estética as pessoas não costumam perdoar facilmente o talento que se equivocou.

Mas se seu trabalho se destacar tenderão a serem generosos e relevarão os defeitos da forma. A arte é o que o esplendido escritor, uns dos meus favoritos diz...
 
"A arte apresenta novas faces. Fala línguas novas. Cria vozes diferentes e novos gestos. Está farta de sempre falar a língua de ontem, do passado.

A arte quer também dançar na corda bamba, quer pôr o chapéu de bicos na cabeça e caminhar em ziguezagues. Por isso, enfurecem-se contra ela os burgueses: sentem-se por ela zombados e criticados em sua arrogância; lançam-lhe insultos e baixam sobre os olhos e ouvidos a viseira de sua soberba forma.
 
Entretanto, esse mesmo burguês que corre aos tribunais ante o mais leve ataque e lesão de sua dignidade ofendida torna-se agora inventivo: Cria as mais terríveis afrontas à Arte”.(Hermann Hesse).

30/08/2005

SBernardelli
Enviado por SBernardelli em 17/11/2005
Reeditado em 21/12/2010
Código do texto: T72908
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
SBernardelli
Caraguatatuba - São Paulo - Brasil
914 textos (345154 leituras)
25 e-livros (11569 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/20 16:14)
SBernardelli