Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O REPENTE MATOU O CANTADOR

Sítio Bom Nome, na zona rural dos Cafundós, rancho do Coroné e chefe político da região. Homem truculento, guardião da moral e bons costumes da redondeza. Certa vez promoveu uma noitada de viola. Contratou violeiros famosos, convidou toda vizinhança. Uma cantoria de grandes desafios, “Martelo Alagoano, Galope a Beira Mar, Dez Pés em quadrão...”. Um convidado grita: - Poeta, uma rima com “CORNO”.  O menestrel não hesitou e proferiu o mote.

Oxalá com tanto Corno;
Corno vai e Corno Vem;
O dono da casa é Corno
E eu sou...

O maldito Coroné não esperou o trovador fechar a rima. Rebolou um tamborete contra o desgraçado, acertando bem no meio da sinagoga do infeliz partindo o quengo em dois pedaços, matando o cantador de repente.
Chiquimribeiro
Enviado por Chiquimribeiro em 10/04/2006
Reeditado em 12/03/2015
Código do texto: T136780
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Chiquimribeiro
Fortaleza - Ceará - Brasil
653 textos (100278 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/04/21 09:12)
Chiquimribeiro