Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DEUS! TOMAI DE CONTA DOS NECESSITADOS! AMÉM!

DEUS! TOMAI DE CONTA DOS NECESSITADOS! AMÉM!

INCRA FRAUDOU ASSENTAMENTO RURAL EM COSTA MARQUES RONDÔNIA

José Miranda, pioneiro de São Domingos do Guaporé - Distrito de Costa Marques - RO, um cidadão que enfrentou a malária criando seus filhos no seio da floresta, onde a União (Estado), por meio do INCRA - Instituto de Colonização e Reforma Agrária -  assentou muitas familias, executando o Projeto Federal de Assentamento chamado de PA Conceição.

Anos mais tarde o Estado resolve criar Unidades de Conservação em terras públicas, ou seja, onde não houvesse colonos.
Então editaram Lei atinente denominada SNUC (SISTEMA NACIONAL DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO).

A União delegou poderes para que cada Estado demarcasse sua área.

O Estado de Rondônia, por sua vez, não cumpriu a Lei que manda indenizar os particulares que tivessem suas posses ou propriedades inclusas na  área demarcada para tal.

Rondônia tirou os assentados do PA Conceição de forma cruel e fraudulenta.

Para alguns que possuiam pequenas áreas o Estado os assentata em outra fazenda tomada à força na maior truculência por meio da sua polícia, onde tiveram que reiniciar do zero, tendo que morar embaixo de lonas.

Mas aos que possuíam áreas maiores, em razão de terem justamente adquiridos de forma onerosa das mãos daqueles que, por medo de morrer amarelos, vendiam e voltavam para o Paraná, a esses o Estado fez um tratamento diferenciado e covarde.

O Estado embolsou o recurso destinado ao pagamento das indenizações, e pagou aos militares antigos para retirar os colonos saqueando seus bens, tais como tratores, caminhões, moto serras, giricos, motocicletas e cereais.

Como se isso não bastasse, mandou destruir benfeitorias tais como lavouras, casas e cercas. Resta os vestígios a quem queira checar in loco.

Mandou prender qualquer que estivesse portando armas de fogo, até mesmo as de cano longo, usadas legalmente para subsistência na floresta.

Por fim mandou atear fogo nas moradias dos colonos pobres sobreviventes da floresta, para que eles desistissem de suas terras.

Aplica multa de $5.000,00 (cinco mil reais) a qualquer pessoa encontrada dentro dos limites da Reserva Extrativista denominada RESEX Estadual do Rio Cautário, bem como confisca, com apoio do Agente da SEDAM, e Representante da Associação dos Seringueiros - Aguape,  conhecido por Galego, que reside na RESEX.

Outro Agente da SEDAM que reside em Porto Velho, que se chama Wiliam Gastão Hoppen Lindener, mais a Polícia Ambiental. Essas autoridades Administrativas e Militares referidas não respeitam os direitos adquiridos e solidificados dos verdadeiros homens do campo. Agridem, torturam e saqueiam os pobres, seguindo ordens hierárquicas.


Foi por isso que José Miranda hoje não está bem financeiramente como seus vizinhos que não foram prejudicados pelo Estado.

O.Governo de Rondônia vem perseguindo JOSÉ MIRANDA há anos. Por meio da SEDAM, escoltada pela Polícia Militar Ambiental e Grupo de Operações Especiais e Exército Brasileiro, furtou seus pertences, destruiu suas benfeitorias, arruinou o Sitio Águas Brilhantes, arrazou a Fazenda Reserva da Onça, e denegriu a imagem de JOSÉ MIRANDA DA SILVA que foi acusado de invasor.

Rondônia mandou prender o Procurador Voluntário de JOSÉ MIRANDA, o seu sobrinho ELIOZANI MIRANDA COSTA, que mantinha em sua posse -  lá no seio da floresta, onde nem há logradouro público, nem vizinhos - um velho rifle enferrujado, relíquia da família, mas os Policiais Militares mentiram no Boletim de Ocorrência atestando covardemente que abordaram o acusado portando um Fuzil em Vias públicas, só para induzir o Juízo ao erro, como ocorreu e a Defensoria Pública não defendeu o cliente, mesmo ciente da mentira que restou exclarecida em audiência,  onde os militares afirmaram terem prendido o acusado em seu domicílio na Fazenda Reserva da Onça, onde o mesmo se encontrava construindo cercas.

Que se trata de ocupação antiga, ou seja, desde antes da criação da Lei SNUC, antes do Governador de Rondônia, Valdir Raupp de Matos criar a RESEX.

Isso os promotores que se dizem fazedores de justiça, isso eles não viram, mas quem sabe o novo Promotor possa investigar e ver.

Não viram que o INCRA enganou o povo de São Domingos do Guaporé, simulando doar novos lotes aos simples colonos daquela região, que chegaram há anos e adquiriram pequenas propriedades rurais onerosamte.

Alguns líderes políticos acompanharam o caso na época,  mas não tiveram coragem de defender o povo oprimido porque o político que defende direitos do povo acaba sendo intimidado pelo governo.

Só houve político peitudo para enfrentar o Raupp é defender os colonos do km 33 ao Norte da BR 429 em Costa Marques, aqueles, mesmo estando junto à margem do Rio Cautário, não foram expulsos, estão lá até hoje, onde o INCRA de Porto Velho chama de Setor Canutinho.

Trata - se de Propriedades Rurais de atividades pecuárias legais dentro da fictícia Reserva, tendo que adentrar mais de 12 km de Floresta supostamente protegida para se chegar ao Setor Canutinho, cuja área é lacrada via Satélite para que o Google Earth não consiga atualizar imagem.

Porque não fizeram igual aos colonos da Linha 17 e outras próximas?
Porque esse tratamento desigual?

O INCRA, a mando de Dilma e Confúcio, em época de campanha eleitoral ,de 2014 simulou loteamento rural, mas embolsou os recursos destinados para assentamento legal.

Enganou o povo, prometeu terras em troca de votos e se elegeram.

Os lotes? Nem falo nada, mas a Polícia Federal não é idiota e já está investigando o caso desde 2014, mas políticos fortes negociam com os delegados para retardar o processo.

O INCRA simulou bem, forjou assentamentos fictícios denominados PA Rio Azul I, II, III e IV, onde já existe o PA CONCEIÇÃO.

Dilma e Confúcio entregaram Títulos Falsos denominados "Títulos Provisórios" com validade de 5 anos, sem nome dos responsáveis pela demarcação e medição dos supostos lotes novos.

Os titulos falsos não revela o real local dos supostos lotes, não consta neles nenhuma coordenada geográfica, e resumiram apenas em indicar a Linha com quilômetro aproximado, mas sem revelar o sentido cardeal.

Ocorre que o INCRA forjou FINANCIAMENTO repassando aos pobres ludibriados uma migalha dos milhões, fingindo ajudar com as custas necessárias à abertura dos lotes fictícios.

Os R$2.000,00 (Dois Mil Reais) poderia ser gasto como quisessem, porém o INCRA exigiu NOTAS FISCAIS de uma lista de ferramentas a ser retiradas nas Casas Agropecuárias de Costa Marques passa parecet verdade.

Ninguém comprou nada da lista do INCRA, mas todos entregaram as NOTAS FISCAIS aos servidores do INCRA, envolvidos na fraude.

A essa migalha deram o nome de "APOIO INICIAL I".
O INCRA garantiu que seria repassado mais valores depois com outros nomes.

Que ninguém teria que pagar o FINANCIAMENTO.

Mandou o Instituto TERRA LEGAL recolher os antigos Contratos Particulares de Compra e Venda ou Os Títulos Definitivos, deixando com eles apenas os falsos TÍTULOS PROVISÓRIOS.

Isso o Promotor de Justiça de Costa Marques não sabe ou finge não ver.

Mas manda prender ELIOZANI MIRANDA COSTA.

PODERIA PRENDÊ-LO JUNTO COM A DILMA ROUSSEFF e CONFÚCIO AIRES DE MOURA.

ISSO A POLÍCIA FEDERAL DE RONDÔNIA NÃO FAZ.
A culpa de muita coisa errada é a morosidade investigativa

Ou talvez a ininvestigação atrasa pra não atingirvamigos da Polícia. Daí então sabem dos crimes e tão um TEMPO.
Léo Nardo Costa
Enviado por Léo Nardo Costa em 14/09/2019
Código do texto: T6745179
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Léo Nardo Costa
Campo Novo do Parecis - Mato Grosso - Brasil
548 textos (46050 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/11/19 18:18)
Léo Nardo Costa