Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TRISTEZA



                                          TRISTEZA


                      Ó indesejável tristeza,
                      Que escondida no teu covil,
                      Atacas com subtileza,
                      Mostrando teu ardil.

                      A ti, mais tarde ou mais cedo
                      Ninguém consegue fugir,
                      Sentes prazer em pôr medo,
                      E disso, ficas a sorrir.

                      Gozas com o mal alheio
                      Por saberes da humana fragilidade,
                      Fazes do teu comportamento, um passeio,
                      Do qual nunca deixarás saudade.
Povo Lusitano
Enviado por Povo Lusitano em 02/11/2007
Código do texto: T720763

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Povo Lusitano
Portugal, 62 anos
311 textos (24350 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 16:19)
Povo Lusitano