Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fragilité

Fragilité

" Vie à laquelle nous aspironms comme la paix dans la fatigue" ( Fragilité)

           ***

Poderia escrever os versos mais tristes,
mas deixo-me levar pela certeza incerta de que,
ao amanhecer,
as palavras seriam como folhas secas

       e
    s
        p
            a
     l
          h
              a
          d
              a
                    s

pelo jardim florido.

Corro meus olhos ao redor,
em busca de algo capaz de firmar minha âncora,
enquanto

d
     e
          s
              l
                   i
                          z
                               a

       
                               l
                               e
                               n
                               t
                               a
                               m
                               e
                               n
                               t
                               e

a caneta pelas folhas virgens do caderno.

Não há sedução.
Apenas o ritmo compassado,
o velho hábito
de desafogar o coração, sossobrado de interrogações,
nas silenciosas folhas de um caderno..

Poderia ler IMENSOS textos,
decorar poesias,
queimar cartas antigas
ou me emocionar ao ver fotos e albuns com aroma de naftalina...

Por que o novo assusta?

              a
            i
          u
     
        g
Quero ser á
levantar vôo e não ter que retornar ao ninho,
mas eis que me aguardam os passarinhos.

Será tempo de trocar de penas,
ferir com próprio bico a pele em busca de renovação?
Afinal, sou águia ou fênix?

Indagações de um solitário coração que se descobre no
           BEIRAL.

veronica eugenio
Enviado por veronica eugenio em 14/02/2006
Código do texto: T111802


Comentários

Sobre a autora
veronica eugenio
Cachoeiro de Itapemirim - Espírito Santo - Brasil, 60 anos
39 textos (2567 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/04/21 15:44)
veronica eugenio