Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto









“DA MINHA VARANDA”.

        

 

 

Manhãs de sol, ou até mesmo chuva.

Que belos dias! As alamedas arborizadas cheias de sombras nas calçadas, como eu sorria... Sorria de felicidade; por isso hoje a saudade, do que eu vivi um dia... Lembro-me dos cajueiros, os maravilhosos coqueiros, dos quais o vento os soprava; o areal a beira-mar, aonde eu contente brincava.

Às vezes eu choro de saudade... Daquelas belas paisagens, daquela gente que um dia, dividiu comigo alegrias, nas minhas traquinagens.

Vejo-me naquele lugar, quando estou a sonhar na minha varanda sentado com os olhos marejados... Sonhando a recordar.    

Não há lembrança mais gostosa, para escrever numa prosa... Do que as que vivemos um dia, pedaços das nossas vidas, coisas jamais esquecidas de encantos e magia.

O sol que era mais frio, o vento mais delicado... O mundo mais encantador; não é só saudade, é amor, de um tempo que passou, daquelas velhas amizades.

Quanto mais os anos passam, mais acumulam saudade... Quanto mais vem a idade, com bem mais sinceridade o muito que se vive é pouco; todo humano é meio louco, quando se fala de saudade.







 

 

 

 

 

Antonio Hugo
Enviado por Antonio Hugo em 12/10/2007
Código do texto: T692024
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Antonio Hugo/ site: www.antoniohugo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Antonio Hugo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 60 anos
3913 textos (262287 leituras)
185 áudios (36423 audições)
9 e-livros (7461 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 04:47)
Antonio Hugo

Site do Escritor