Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NO ESPELHO

Sei quem sou nesta saga de mortes confusas,
leio certo entre linhas tão tortas e turvas,
vou além de meus tombos nas dobras e curvas;
até mesmo onde os rumos viram parafusos...

Minhas mãos nunca perdem seu jeito prás luvas;
quando a vida em doer é moinho de abusos,
tenho mil esperanças e sonhos intrusos;
sou raposa que sabe abocanhar as uvas...

Ninguém porta o poder de arrebatar meus passos;
abracei o desejo de atingir um ponto,
a tal ponto que fi-lo extensão de meus braços...

Nada pode calar a certeza tão densa
que já tem no projeto algo nítido e pronto,
considera que a lida já é recompensa...
Demétrio Sena
Enviado por Demétrio Sena em 01/10/2007
Código do texto: T676136
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Demétrio Sena
Magé - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
3148 textos (63145 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 20:34)
Demétrio Sena