Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RELIGIÕES & ECONOMIA

Religiões, seitas, crenças, cultos, magia e outras manifestações humanas na busca do transcendental, surgiram desde as antigas civilizações.

O homem, em milênios, acreditou em algo superior, até o deus uno vir a prevalecer diante da evolução mental da humanidade que, em sua maioria, deixou de adorar bezerros e animais menos nobres.

Na Grécia Antiga, os astros eram cultuados como deuses. Os egípcios, além de adorarem animais, cultuavam o "divino" Faraó; no Império Romano, atribuía-se divindade aos astros e ao próprio imperador - César...

Nos nossos dias, ainda persistem animais sagrados, a exemplo do boi, na Índia...

A religião judaica deu origem a várias outras, a exemplo de católicos (Cristo) e muçulmanos (Mohamed).

Os judeus não crêem em Jesus Cristo e até hoje aguardam o seu Messias.

A insurreição do alemão Martin Lutero, então monge católico, contra a venda de indulgências, resultou na fundação da Igreja Batista, por longos anos difundida como Igreja Protestante, da qual nasceram milhares de outras denominações.

No Brasil, a liberdade de culto deu lugar a centenas de denominações de igrejas cristãs. Algumas funcionam em locais compatíveis com suas intenções: antigos cinemas, supermercados e armazéns... sediam a "venda de indulgências" no século XXI. Se houver vida eterna, Martin Lutero deve estar cada dia mais triste com os caminhos tomados por seus seguidores...

A Economia é a mola mestra de todas as igrejas, que cobram dízimos dos fiéis para a sua manutenção, há milhares de anos... Além dos obrigatórios dízimos (décima parte de tudo quanto ganha o fiel), grandes doações coletadas com a assinatura de doentes terminais "in extremis", sob testemunhos, doações testamentais, doações por graças alcançadas, doações estatais, doações de verbas públicas para construção e manutenção de igrejas, mosteiros, colégios, asilos, seminários, ofertas durante os cultos, campanhas beneficentes, etc...

O celibato de padres e freiras católicos, liga-se diretamente à economia.
Segundo os críticos, a Igreja com sede em Roma e cadeia hierárquica espalhada em todo o mundo, teria dificuldades para sustentar seus sacerdotes com mulher e filhos, bem como promover transferências de párocos e bispos para longínquas regiões em todo o planeta. O Vaticano que sempre recebeu sua parte em ouro com a arrecadação das paróquias e bispados, não quer por em risco sua hegemonia econômico-financeira.
Há séculos integrando o poder estatal em todo o mundo, o Estado do Vaticano, limítrofe de Roma, capital da Itália, representa a sede do império cristão.

Em dezenas de séculos, reis e rainhas eram coroados pelo Papa ou seu representante, cardeal devidamente credenciado pela diplomacia vaticana.

A Santa Inquisição foi criada para expurgar bruxos e bruxas, na Idade Média. A matança foi grande, em nome de Deus! Os bens das vítimas eram confiscados pela Igreja.

Após a queda do Império Romano, cada grande cidade italiana passou a ser independente. E a exemplo da Grécia, advieram as cidades estado. Os Papas negociavam com outros países a invasão das cidades italianas, mediante participação econômica antes e no pós guerra.

Não é de hoje que as igrejas teimam em participar do poder, elegendo seus pastores em todos os níveis de governo. É que as igrejas, através dos tempos, sempre foram consideradas o Quarto Poder, perdendo este lugar para a Imprensa no Mundo moderno. Diga-se, a bem da verdade, que os chamados "evangélicos" vêm ganhando esta batalha contra a igreja católica, acomodada no Brasil com a hegemonia de séculos, sem uma liderança firme para enfrentar os "milagres" e os artifícios de algumas denominações religiosas que afrontam a nossa inteligência com promoções ridículas, veiculadas com alarde nas suas emissoras de Rádio e TV, doadas pelo governo federal, sob o respeito complacente do desinteresse público...

As igrejas são organizações econômicas. Tudo custa dinheiro nos templos. E haja dinheiro para sustentar pastores e suas famílias! São alunos aplicados da Igreja católica, que sempre vendeu de tudo para manter sua opulência...

"Que seria da Igreja - devem pensar os seus mandatários, se os irmãos católicos tivessem de manter os templos, sustentar padres, bispos, cardeais e ainda suas respectivas famílias..."

Que será do homem, objeto de toda essa engrenagem? - pensamos nós...
Ricardo De Benedictis
Enviado por Ricardo De Benedictis em 18/06/2005
Reeditado em 23/07/2005
Código do texto: T25411

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo De Benedictis
Vitória da Conquista - Bahia - Brasil, 77 anos
1214 textos (272308 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:46)
Ricardo De Benedictis