Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SIMBOLISMO - CRUZ E SOUZA

JOÃO DA CRUZ E SOUZA
1861 – nasce em Desterro – Florianópolis – Santa Catarina
1898 – Estação de Sítio – Minas Gerais, para onde fora por causa da saúde

- Década de 80 Professor particular, jornalista – Tribuna Popular, pregava as idéias abolicionistas e republicanas
- formação impregnada de idéias realistas, parnasianas e naturalistas
- 1885 – com 24 anos, publica Tropos e Fantasias (prosa poética) em colaboração com Virgílio Várzea, também da Tribuna.
- viagem pelo país como secretário-ponto de uma Cia Teatral
- figura principal da Escola Renovadora
- na década de 90 – fase importante na produção literária, conhece no Rio de Janeiro Nestor Vítor, grande amigo, que exerce influência sobre ele
- integra-se no grupo simbolista juntamente com Emiliano Perneta, Ernani Rosas, Nestor Vítor e outros
- 1893 – com 32 anos reúne os poemas em prosa num livro=MISSAL, que tem repercussão entre os jovens
- também reúne poemas em verso noutro livro=BROQUÉIS, cujo 1º poema é a profissão de fé Simbolista:
                                                           Antífona
Ó formas alvas, brancas, formas claras
De lugares de neve, de neblinas
Ó formas vagas, fluídas, cristalinas
Incensos do turíbulos das aras

- 1893 – encontra no Rio, Ganita Rosa Gonçalves e casa-se com ela; ela, como ele, era negra.
- Alfonsus de Guimarães o chama de “Cisne Negro” e “Dante Negro”
- recusado em alguns cargos, assume o de Arquivista e Prontuário da Estrada de Ferro Central do Brasil
- morre o pai
- a mulher fica louca
- 1898 – fica tuberculoso, vai para cidade mineira de Sítio, onde morre com 36 anos e 6 meses.

OBRAS
- Tropos e Fantasias – prosa – 1885, em colaboração com Virgílio Várzea
- 1893 – Missal – poemas em prosa
- 1893 – Broquéis – poemas em verso
- 1898 – Evocações - poemas em prosa – obra póstuma
1900 – Faróis – poemas em verso – obra póstuma, ainda organizada por ele
1905 – Últimos sonetos – obra póstuma

CARACTERÍSTICAS DE SUA OBRA
- primeiro livro considerado importante, Broquéis, de aspiração simbolista, seu primeiro poema, Antífona, contém a profissão de fé simbolista. É o último poema composto antes da publicação do livro, ainda tem grande carga parnasiana
- na prosa foi influenciado por Baudelaire, Antero de Quental
- potência verbal, tom declamativo
- visão pessimista e dramática da existência
- musicalidade
- imagética do delírio
- cromatismo intenso (dar cor às coisas abstratas). Em Cruz e Souza isto se manifesta pela fixação na cor branca.
- vocabulário arcaico
- aliteração

BROQUÉIS
- Visão trágica da existência ligada à condição de ser negro

FARÓIS
- Visão associada à circunstância humana

ÚLTIMOS SONETOS
- Visão ligada à espiritualização



Apontamentos para o Vestibular


18/04/2007
Diana Goncalves
Enviado por Diana Goncalves em 19/04/2007
Reeditado em 24/10/2009
Código do texto: T455251
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ((Diana Gonçalves - pseudônimo) http://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=1908). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Diana Goncalves
São Paulo - São Paulo - Brasil
574 textos (718492 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/14 11:31)
Diana Goncalves



Rádio Poética