CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

CARTA PARA MEU FALECIDO PAI JOSÉ GREGÓRIO DA ROCHA

   Nunca pensei em escreve-te uma carta, mas eis-me aqui, com caneta e papel apostos, esparramando-me em idéias soltas.
   Gostaria que pudéssemos estar, frente à frente, muitas vezes mais, porém, não nos é permitido.
   Talvez eu nem conseguisse dizer-te, nenhuma palavra dessas que estou a proferir. Aqui eu sei, que minhas lágrimas não são visíveis, e não nos fitamos olho no olho.Aqui minha emoção, fica quase imperceptível, é camuflada pela composição das linhas que se seguem.
   
   Deleito-me nessas frases, para escrever-te da minha saudade. Relatar a falta que sinto da sua presença física.
   Minha vida transcorre normalmente, mas muita coisa mudou, desde a sua partida.
   Em muitas situações, quis correr e refugiar-me em teus braços, e me aninhei no vazio que me consumia a alma.

   Quantas noites, no silêncio do meu quarto, eu sentia tua presença, que mesmo ausente, se fazia presente dentro de mim. Como um filme, as cenas da história da minha vida com você, foram passando. Em cada novo acontecimento, uma lágrima surgia.

   Quanta saudade ! Quanta saudade !
   
   Que vontade de voltar no tempo, para reviver cada sorriso perdido, cada passeio anulado, cada abraço desviado, até mesmo cada briga, cada discussão por bobagens.
   O medo da criança, com o passar do tempo, transformou-se em respeito, depois quando já me sentia mais adulta, acumulei admiração; e hoje madura, o teu exemplo e esta saudade que jamais sara, esta agonia que aperta no peito.

   A vida é mesmo, uma lição após a outra. Quem diria... eu, que achava saber de tudo e poder tudo, hoje aqui te dizendo que compreendo que nada sou e que pouco posso. Quem dera, eu tivesse o dom de poder trazer-te de volta pra mim, sem tempo de permanência.Quem dera pudesse eu mais uma vez, usufruir dos teus afagos.

   No meu entender(como um ser em eterna evolução), partiste cedo demais.Mas meu espírito pouco evoluído, ainda não consegue compreender, os desígnios de Deus.
   Sei que estás bem, gozando das glórias celestiais, poiis foste a melhor pessoa que conheci neste plano. Um ser tão amoroso, de olhar tão transparente.

   O carinho que dedicaste-me por toda tua existência, estou a te retribuir, sendo hoinesta, honrada, digna em todos os sentidos.Meu coração é teu coração. Meu sangue o teu sangue. Orgulho-me muito disto.

   Te amo. E tanto, quanto amo a mim mesma. A saudade é grande, mas em minhas orações tu vens me visitar, não vem?


   Interceda junto a Jesus Cristo, pela mulher que doou seu ventre, para gerar teus filhos, e a todos eles, que criaste com dedicação e amor. Tanto quanto eu,todos os teus outros filhos, são orgulhosos, por serem parte viva do teu ser. Sementes que jogaste no solo da vida.Todas essas sementes, germinaram, cresceram e todas deram bons frutos.

  Quando você partiu, tua filha mais velha tinha lá seus 39 anos, e hoje esta com seus 50, e a tua caçula 32. Todas tuas sementes trilham um bom caminho, andam seguindo os teus ensinamentos. Tua herança é valiosa e será levada por gerações.

   Pai... meu amado Pai, tua lembrança é viva entre nós. Em cada dia que amanhece, uma gota de saudade é acrescentada aos nossos corações.
   Escrevi esta carta, para desabafar, homenagiar-te e agradecer-te.

   Agradecer o muito que fizeste em tua vida.O pai amoroso, o marido íntegro, o amigo fiél e companheiro. Os conselhos. A alegria, marca registrada da tua pessoa, do teu amor a vida. Os muitos momentos em que te tornaste o meu porto seguro.

   Não encontrarei palavras, com significado suficientemente válidos, para expressar a minha gratidão, o meu amor e a minha saudade.

   Fica meu Pai, junto ao Nosso Senhor Jesus cristo, e interceda a ele , por todos nós, seres frágeis e impotentes.Como tu bem podes ver, e como não poderia ser diferente, esta carta é uma carta de CORAÇÃO PRA CORAÇÃO.
Uma carta que ultrapassa os limites do universo e alcança a tua pessoa, esteja  você onde estiver.Porque não há meu Pai, distância que me separe  da tua alma e nem tampouco que apague a chama do amor que tu plantou dentro de mim.

   De quem te ama e sente eternas saudades de você. Sua filha Mirles Rocha Valle.
milizinha
Enviado por milizinha em 01/09/2006
Reeditado em 20/05/2011
Código do texto: T230295

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
milizinha
Rio do Sul - Santa Catarina - Brasil, 50 anos
618 textos (87067 leituras)
1 áudios (268 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 31/08/14 05:14)