Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Maratona de ACRÓSTICOS atualização...

ACRÓCITOS... EM CIRANDA.
ACRÓCITOS... EM CIRANDA.

Colaborem para levar o Recanto das Letras ao Livro de Records do Guiness,O QUE PRECISAMOS DE 5OO A 1OOO ACRÓSTICOS..

Pratiquem comigo!É gostoso poetar exercitar poesia em todas as frentes Pois o verbo é CONGRAÇAR, posso parecer maníaca por tanto esforçar-me...Só um drink, dosar nossos sentimentos entrelaçados no AMAR. Um sorver de harmonia embriagando escrever, misturando sentires semeado poesias, no RECANTO do SER...Obs: Participe com tantos quantos quiserem, e ao deixar o seu, deixe o titulo para o próximo,EX: FALANDO DE AMOR, próximo AMANDO O QUE SOU combine com seu parceiro poetico, como em um desfio, um pergunta e outro responde,vou atualizando. Espero o seu, vem comigo. Beijos poéticos morrendo do prazer. Deth Haak

Deth Haak ,LISBELA,Moacir et Selena, PCoelho , Nina, MOACI da Costa Junior, Denise savergnini , Flavia de Souza, Giovania Rocha, florzinha ,Vincet Benedicto, Antonio Hugo,   There Valio,Sandra Fayad,Edu - Andarilho das Letras,Daiane Rodrigues,"ÐäMå Ðë ÑëG®ö" ,Diana Goncalves,Kate weiss,Lady Smid,Vanderleis Estácio Maia,Volnei R. Braga,Sandra Ravanini,baby, Fada DAS Letras,Messina,Leila Barreto,ALBINO COSTA, Maurélio Machado,Pretacosta, ZUCA,MEG
(Amália Klopper); agora Falta você vem comigo!



FALANDO DE AMOR... 01

F lorida primavera eclode na estação do amor
A gures astros corpos almas insuflando ardor
L írica recitada no vergel versando flor em flor
A mor a buscar amor, enlevos dizimando a dor
N os córregos gotejar encantos, soprados na brisa
D ivinisando RECANTO, letras voejadas floradas
O usando congraçar poetas, versar sinfonias e arestas...

D ádiva flanar de pássaros, sibilam encantando a lida
E xaltando a arte na poesia escrita, ORFEU sou vida!

A mante do vento espargindo fantasias, solando harmonia
M inutando sentimentos ,emoções tecidas tocadas harpas
O des homilias, minúsculos versos, façam-me compânia
R ECANTO DAS LETRAS, eis uma de suas tantas crias!

Deth Haak
11/02/2006

...DE AMOR FILHOS. 02

F alar de amor não é fácil
A mor é vida
L uz
A brigo
N enhum sentimento a ele se compara
D epois ou antes é... sentir
O utrora conheci-o

D e formas diversas,máscaras distintas
E agora

A mor se traduz em meu
M undo particular
O lhares travassos
R endendo graças

F adas e anjos trouxeram me
I luminando meu caminhar!
L ótus a brincar
H oje,minha orbe brilha
O s vejo conquistando espaços,livres a voar!
S implesmente completo me amando os beijo em sua alma poeta

lisbella
em 11/02/2006

AMANDO O QUE EU SOU...03

A mando o que sou
M udando o que mudou
A rrumando o que sobrou
N oticiando o que se falou
D oando o que se desdenhou
O rdenando o que se desarrumou

O lhando em volta o que de pé ficou
Q uerendo reconstruir o que se derrubou
U rrando de dor pois que um dedo cortou
E sfriando a cabeça depois que ela esquentou

S uando com o calor que veio, e por ali se enroscou
O usando pensar se valeria a pena amar o que não seamou
U ltimando as últimas coisas para mandar o que antes não se mandou

Moacir et Selena
11/02/2006 10:59
 

VIDA MINHA! 04

E sta é uma linda estória de vida,
U ma que ninguém desfaz!

A s minhas amizades,
M eus amores...
O s abraços e beijos que ganhei e dei...

A minha vida é mesmo linda!

V ida transparente, bem vivida,
I mpério de emoções,
D e tantas coisas boas,
A braços em corações.

M eus filhos, meus tesouros
E stes nem te conto,
U m muito levado,
S empre sorrindo.

Filho mais velho,
I rmão atencioso,
L embra sempre do mais novo.
H omem feito, ainda pouco um menino,
O rgulho pra qualquer pai,
S eu esforço, sua vontade de vencer...

E studioso das ciências e da vida!

M inha vida é mesmo, só felicidades,
I gnoro as besteiras, as maldades,
N ão guardo magoa... Só saudades.
H oje minha vida é uma festa,
A legria! Vou brincar noite inteira,

N amorando, amando,
A lguma coisa que seja eterna...
M eus sentimentos,
O s meus carinhos, os amores,
R ima-se tempo todo a valores...
A inda bem que os tenho todos.
D esde que nasci, minha vida foi assim. E,
A gradeço por isso, todo os dias!

PCoelho em 11/02/2006

     
       DETH  05

D eusa menina,poeta, sempre a versejar
E nquanto estamos na lida, ela a poetar.
T anto tem pra mostrar aos amigos recantistas
H á de com teus versos todo o mundo encantar

por Nina
11/02/2006


CURUPIRA   06

C orre, corre, corre...
U m, que nunca morre...
R ápido, como água que escorre...
U m, que a floresta sempre socorre...
P iá, índiozinho, que toda a mata percorre...
I ara, a Ninfa das águas, a Ele também recorre...
R eza, ao Sol, para que a sua floresta nunca torre...
A quele que destrói a mata, na ira do Curupira incorre...

Moacir et Selena
11/02/2006
 

    VITÓRIA    O7

V enceremos o tormento
I mposto pelo sofrimento
T raduzindo o sentimento
O culto na Santa Oração
R umo ao Pai, há Salvação
I nsistamos, com devoção
A tingiremos assim a Redenção

DENISE SERVERGNINI
11/02/2006

PARA ALUISIO DE PAULA 08

A mplexo
L ouco
U nico
I nvejável
S olto
I mpossível
O timo


PARA PEIXÃO   09

P raiano
E sperançoso
I nefável
X odó
A ureo
O usado


PARA BHALL MARCOS 10

B oníssimo
H abilidoso
A tivo
L ondrinense
L épido


PARA MARCIAL  11

M aravilhoso
A paixonado
R esistente
C almo
I dolatrado
A tencioso
L egal


PARA DETH HAAK  12

D elicada
E sperta
T ravessa
H abilidosa


PARA ROBERTO AMARAL 13

R ápido
O sculo
B elo
E xplêndido
R aro
T errível
O bservador


PARA PAULO CAMELO  14

P aixão
A lacre
U fano
L eal
O pímo


PARA CAMILA 15

C alma
A mável
M eiga
I dolatrada
L igeira
A nimada


PARA LINEU 16

L úcido
I mperdivel
N ecessário
E sperto
U no


PARA LUIZA  17

L eve
U nica
I ntrigante
z elosa
A morosa


PARA LARA 18

L uz
A lma
R evelação
A mor


PARA DEBORA 19

D anada
E spetacular
B rilhante
O riginal
R adiante
A miga

PARA CARDOSO 20

C apaz
A stuto
R apaz
D edicado
O bjetivo
S abedor
O portuno


PARA IZILDA FLORES 21

I mperadora
Z elosa
I ntegra
L épida
D oce
A miga


PARA ANGELA LARA 22

A miga
N atural
G arbosa
E legante
L ivre
A dorada.

Flavia de Souza
11/02/2006



Deixe a borboleta voar... 23

D ourando o seu cantar e no sonho um acalentar
E m orações de alegrar na dança do seu bailar
I nspirada no seu néctar entre os canteiros do luar
X odó, de o poeta sonhar, entre flores de encantar.
E no coração um afagar no perfume de perpetuar...

A s suas silhuetas, por entre lírios e violetas.

B usque na natureza o seu ar de beleza
O fusque este vergel lá no azulado do céu
R adiante de ventura numa prece de candura
B rilhando o seu esplendor no campo do amor
O s anjos vão crescer como se cresce uma flor
L ibertando o seu pólen nas pétalas do seu bem...
E rguem suas asas numa canção alada,
T raduzindo cada palavra, numa semente plantada,
A o lado de uma colina, que nas folhas ela germina.

V eja como é bela a cor de sua aquarela
O reflexo de uma quimera no outono ou primavera.
A entrada de seu jardim é no broto de um jasmim
R ecanto das letras, em novenas suavíssimas!

Giovania Rocha
Gio 12/02/2006

A M O R... 24

A... mor é palavra bela e sublime
M...ar colorido de esperança e emoção
O... eterno sorriso de uma criança
R... etratando a paz que ilumina o coração.

florzinha
12/02/2006



 CURUPIRA  05

C orre, corre, corre...
U m, que nunca morre...
R ápido, como água que escorre...
U m, que a floresta sempre socorre...
P iá, índiozinho, que toda a mata percorre...
I ara, a Ninfa das águas, a Ele também recorre...
R eza, ao Sol, para que a sua floresta nunca torre...
A quele que destrói a mata, na ira do Curupira incorre...

Moacir I DA COSTA JUNÍOR
11/02/2006
 

    VITÓRIA    O6

Venceremos o tormento
Imposto pelo sofrimento
Traduzindo o sentimento
Oculto na Santa Oração
Rumo ao Pai, há Salvação
Insistamos, com devoção
Atingiremos assim a Redenção

DENISE SERVERGNINI
11/02/2006

PARA ALUISIO DE PAULA 07

A mplexo
L ouco
U nico
I nvejável
S olto
I mpossível
O timo


PARA PEIXÃO   08

P raiano
E sperançoso
I nefável
X odó
A ureo
O usado


PARA BHALL MARCOS 09

B oníssimo
H abilidoso
A tivo
L ondrinense
L épido


PARA MARCIAL  10

M aravilhoso
A paixonado
R esistente
C almo
I dolatrado
A tencioso
L egal


PARA DETH HAAK  11

D elicada
E sperta
T ravessa
H abilidosa


PARA ROBERTO AMARAL 12

R ápido
O sculo
B elo
E xplêndido
R aro
T errível
O bservador


PARA PAULO CAMELO  13

P aixão
A lacre
U fano
L eal
O pímo


PARA CAMILA 14

C alma
A mável
M eiga
I dolatrada
L igeira
A nimada


PARA LINEU 15

L úcido
I mperdivel
N ecessário
E sperto
U no


PARA LUIZA  16

L eve
U nica
I ntrigante
z elosa
A morosa


PARA LARA 17

L uz
A lma
R evelação
A mor


PARA DEBORA 18

D anada
E spetacular
B rilhante
O riginal
R adiante
A miga

PARA CARDOSO 19

C apaz
A stuto
R apaz
D edicado
O bjetivo
S abedor
O portuno


PARA IZILDA FLORES 20

I mperadora
Z elosa
I ntegra
L épida
D oce
A miga


PARA ANGELA LARA 21

A miga
N atural
G arbosa
E legante
L ivre
A dorada.

Flavia de Souza
11/02/2006

M E N I N A ... 22

M... e dizes por que estás triste
E... m teus lindos olhos, vejo uma lágrima à brotar
N... ão entendo, por que a vida
I... nfeliz te fez ficar
N... o mundo onde vivemos, ó menina inocente
A... tí, bastava apenas ter alguém para te amar.

FLORZINHA
12/02/06


MENINO   23

M... enino miúdo graúdo, que me fita com o olhar
E... nsina-nos com o teu jeito, como se aprende a amar
N... os teus jeitos e trejeitos de criança
I...ntroduz a paz e a esperança
N... os corações dos adultos, que não querem recordar
O... que deve fazer um coração, para nunca esquecer o verbo amar.

florzinha
12/02/2006

MENINOMESTRE   24

M... inha alma tu encantas, com teu jeito de amar
E... u quero ser tua aluna, vem e me ensina a amar
N... os teus puros gestos de criança
I... nfinitos, são teus sonhos de viver
N... a eterna magia dos teus sonhos
O... meu sonho , menino é você !!!

florzinha
12/02/2006

RECANTO DAS LETRAS 25

R ...ecanto que a todos encanta
E...nvolvendo o mundo com o teu jeito de amar
C ...om todos os teus amigos poetas
A...o teu lado à poetar
N ...os seus mais belos versos e poesias
T ...odos vêm se abrigar
O...uvindo Deus, nas mais puras rimas que só eles sabem expressar.

D ...e todos os povos e raças
A ...tua imagem exemplar
S...erá para sempre amada, Recanto que é o nosso lar.

L ...etras que se misturam
E ...espalhando poesia e magia no ar
T ...raduzindo a tua linguagem
R ...imando verso e poesia
A ...o teu verbo que é AMAR
S ...eguindo a tua missão, que é a luz ao mundo levar.

florzinha
12/02/2006 22:52


Personalidade  26
Vincent Benedicto

P ersonalidade não se compra! Se constrói!
E nquanto julgas o teu próximo
R evelas o que és
S omente o tempo te mostrará
O nde e como errastes em fazer juízo!
N ão sejas dono da verdade
A prendas a conviver com as divergências
L iberte-se do autoritarismo
I nimizades, contendas
D iscussões infundadas
A penas afastarão de ti os teus amigos
D e o que tens de bom no coração
E recebas em troca a felicidade e o amor


Amor Vulgar 27
Vincent Benedicto

A ntes, me querias apenas como objeto
M uitos foram os nãos que de ti recebi
O ntem porem, resolvi mudar...
R ecordarás apenas, que te esqueci

V aguei pela noite afora
U ivando como lobo faminto
L onge de ti, para que não escutasses
G uardei meu amor para quem merecesse
A gora, encontrei alguém diferente...
R asgou-me a roupa e me fez indecente


Imoralidade  28
I moral ou imposição social?
M oralidade ou convenção da sociedade?
O rgasmos? Eu os tenho! E você?
R eprime-se porque quer!
A paixone-se!
L iberte-se de seus tabus!
I nvista no amor
D oe-se de corpo e alma
A me desesperadamente!
D esta vida não levaremos nada. Apenas nossas emoções...
É tica poética? Deixe-a com a literatura!
Vincent Benedicto

   
Atletas de Orfeu... 29


A cordes sutis ecoe, poemas versejados de suas liras

T rinados harmônicos saiam dos covis, e inunde em pilhas

L iterárias e deitem-se a seus pés Orfeu! Rimando sentires, deliras

E manando ondas eletrizadas , nas asas cósmicas do orbe de suas linhas

T alamos diversos e reversos inversos permeando poetas e poetisas em trilhas

A nunciada a largada. Ousadia da “POETISA DOS VENTOS” maratona de poesias

S eja algurado intento , imensidão de mãos dadas na cumplicidade de seus filhos e filhas


D eus da arte poética e da musica, aspirações e inspiração de meus dias

E xtasie síncopes voluptuosas em poesias, cintilar plasmando sinergias orgíacas

O h! ORFEU, conduza-nos como aos trácios em arritmias amorosas

R emidos da selvageria, ao livro dos recordes “Guiness” para as bodas aladas

F aculte –nos alento,derramando sob nossas mentes, construtivos e ilustrativos temas

E rudições aloucadas, que possamos honrar sua descendência, amor a Eurídice e as rosas

U nja as mãos tecendo papiros a penas, iluminadas mensagens abençoadas e divinizadas


“Eu sou a poetisa dos ventos!”

DETH HAAK
11/02/2006

NOIVA IMAGINÁRIA (Dedicado a Nahiene) 30

N asceu para ser culta, bela

A lma cândida e pura

H oje, sofre as agruras da vida

I ntimamente resignada,mas aparência singela

E nobrece o olhar com suave candura

N aturalmente adquirida.

E este é o perfil da noiva imaginária.

Denise Severgnini


"EDUCAÇÃO DE VIDA (acróstico) 31

E vidente que, a faculdade o faz...
D outor, porém nem sempre o faz um cavalheiro;
U ns, se tornam melhores que antes, outros...
C onseguem se auto "intitular" Doutor;
A ntes mesmo de fazer o doutorado; Ou da sua
C onclusão do curso superior.
A busivamente timbram em talões de cheques
O utras vezes nas correspondências que recebem;

D outor sim, pelo esforço estudantil conquistado,
E m que, exaustivamente frequentou as aulas.

V amos respeitar sim, quem dedicou o seu tempo,
I ncansavelmente aprendendo, para conseguir o seu
D iploma, mas merecemos ser mais bem tratados, por
A lguém, que frequentou uma universidade.

Antonio Hugo
13/02/2006

AMIGOS PARA SEMPRE 32


A mizade é doação de carinho
M ergulhada em doce abracinho
I nquieta a alma, dá saudade
G otas de ternura é a amizade
O ndas de solidão amarga
S aciadas são pela amizade que se alarga
*
P ontes de entendimento mútuo
A amizade arde como fogo fátuo
R isos de alegria, de satisfação
A mizade anima um triste coração
*
S audade é dor que não justifica
E m si, a amizade cura, simplifica
M undos vazios são às vezes criados
P erdidos, sem amigos, sufocados
R amos de flores, perfume de rosa
E m tuas mãos deixo amizade primorosa

Denise Severgnini

MEU BRASIL BRASILEIRO 33

 M atas verdes cheias de encanto,
 E sse País tem demais
 Ú nico em tamanha beleza.

B rasil de imensas águas naturais
R ios tamanho do Mar
A travessando terras sem fim.
S eus pássaros com suas plumagens
I mensa beleza exibe
L indos cantos se misturam,
 
B randindo por toda a terra
R efazendo todo dia
A serenata da aurora.
Surgem belas, mata adentro,
I luminadas pelo Sol,
L indas flores reluzentes
E ncantando esse jardim
I dealizado por Deus
R echeado de mil cores
O nde tudo é lindo aqui.

 There Valio

13/02/2006 19:45


       MEU BRASIL BRASILEIRO...34

M isto de tantas raças, de samba futebol mulata e cachaça
E xplendor de um povo pirracento que ri da própria desgraça
U ngido por DEUS , celeiro da humanidade portal da sétima raça!

B rasil, pulmão do planeta por serem densas suas tantas matas.

R ios córregos, bacias fluviais, açudes lagos lagoas línguas negras...

A mazônia é a dadivosa esperança do planeta não exterminaremos suas águas

S alinas sol intenso orgulho desse povo que se torce e contorce batendo no peito congraça

I rmanados na solidariedade, desprovidos de maldade, povo varonil almas aqui encarnadas

L ibertos no fazer de conta, inventaram ta ruim para depois melhorar, povo da pátria amada!

B atucada na cozinha no quintal e também na feira, tem um jogo de cintura essa raça brasileira!

R oça no roçado de segunda a segunda-feira, come palma se tem fome, e dança de qualquer maneira...

A lmas escolhidas, nesse canto do planeta ! Berço da espiritualidade, crentes na convecção divina....

S omos nossa própria igreja debitamos o que nos contamina, duzentas milhas de litoral esse Brasil fascina!

I dealizado  pelo criador em forma de um coração, para dar e receber amor a quem esses país destina...

L aureado por tantas riquezas, abençoado solo por seus grãos, cobiçado por seu ouro negro conhecido por cantar em rimas...

E sse BRASIL de TOM, de GARRINCHA e de PELÉ, Brasil de Carmem Miranda , e Bidú Saião e de tantas meninas...

I luminada pátria de seus muitos DEUSES , dos santos adorados nos terreiros, Brasil de Chico Chavier orgulho das Gerais!

R ogo ao Cristo Redentor Senhor do Rio de Janeiro, abençoe este país e o povo brasileiro , povo valente e audaz!

O rugulho do que aqui nasceu e aqui não vive mais, te verso BRASIL, querido sou brasileira poeta, e versando sou a paz!

Deth Haak
12/02/2006


FAZENDO COMPRAS! 35


M uito legal isso tudo!
À s vezes me pego,
N as vitrines das lojas femininas,
D e alguma forma, ontem, fiquei
A ssim, olhando vitrines...

A tua imagem ia se formando,

B em perto das roupas preferidas.
O s sapatos comprei de salto, número trinta e seis,
R i um bocado ao passar pela loja de calcinhas,
B olinei numa branquinha, com uma maçã mordida,
O s meus dedos tremeram todos, só em pensar...
L inda aquela calcinha!
E ntrei em uma outra loja, onde vi uma saia,
T inha mesmo o jeito dela, suave, alegre, extrovertida,
A gora faltava a blusa, escolhi uma com botões,

P ara depois ter o prazer de ir abrindo todos...
O s meus olhos não sabiam mais o que olhar,
R eparei num cantinho, um perfume,

E ntrei e disse: Quero aquele ali,
M as aquele? Disse a moça sorrindo... Aquele é feminino,
A o escutar aquilo, ri mais um pouquinho e respondi,
I mpróprio né? Mas é esse mesmo que eu quero.
L á fazendo o embrulho, notei alguns rasinhos,

E u dei uma de nem ligo...

V oltei à loja de calcinhas,
E ntrei, comprei mais uma, essa tinha uns dizeres,
M oço, por favor, entre... A casa é sua!

J untei tudo numa sacola e fui encontrar-me com ela,
U ma noite de amor, os bons gostos da vida,
N ão ia ser uma noite qualquer, E...
T udo que eu queria
O ntem,  era mesmo despi-la!
PCoelho

Primeira namorada! 36

M inha infância muito boa... Juventude melhor ainda!
I nstinto de menino, desejos de rapaz,
N esta época tão gostosa,
H avia uma pessoa especial,
A mais linda das meninas...

P or muitos anos ficamos apaixonados...
R estam-nos hoje apenas as lembranças e a saudade,
I nda hoje, muitas recordações de beijos intermináveis...
M uitas vezes, acompanhados de suores em mãos,
E stão todos guardados, trancados em nossos corações.
I sto sim era amor de verdade!
R íamos de tanta felicidade,
A mávamos como gente grande.

N as verdades que dizemos na vida,
A você, eu disse a mais verdadeira,
M aior amor jamais existiria, pela minha vida inteira.
O  rgasmos tínhamos em beijos...
R isos, beijos e mais beijos. Minha namorada primeira!
A mor que ficou pra toda vida...
D e todos meus amores,
A o longo do tempo,jamais esquecida!

S ó nós dois que vivemos é que sabemos,
O tamanho do amor que ficou lá trás,
L á nos tempos de meninos,
A alegria e os desejos, de moça e rapaz.
N ão era um amor qualquer, passageiro...
G osto de beijo molhado, assanhado...
E ra assim o tempo inteiro!
PC. Coelho

Que pena! 37

Q ue pena, que pena...
U ma amizade tão linda,
A cabando por coisa pequena!
S e acabou, foi porque não era grande,
e se não era... Não valeu a pena!
 PCoelho

Hetero sexual! 38

N ’alma uma borboleta ferida,
I mperfeita, como quase tudo na vida. Mas,
Z eus com certeza diria...
I mpossível beleza maior!
A bre teu sorriso, mostre tua magia,

D ê a minha vida um colorido especial,
O s jeitos de menina que encantam... E em,
S entir a mulher... Nada me anima tanto!

M eus sonhos de menino,
E ntre os teus sentimentos, vão surgindo,
U ai! Quanta emoção!
S eja a Mulher-Borboleta-Mineira, desse amor tão lindo.

S erei eu, o teu amor mais forte, maior...
O ntem, hoje e pra sempre!
N ão quero, um simples encontro,
H etero sexo, êxtase e muito mais eu quero...
O lhos nos olhos, bocas em bocas... E,
S onhos lindos pra se viver... Amor eterno!


A BELEZA TEM NOME!  39
Ainda bem que você veio!

B ela como sempre,
E stacionou suas fotos em minha frente,
L á na tela do computador.
E u mais uma vez estatelado,
Z elando sua beleza,
A mando-te só de longe.

T odas eram lindas...
E foram feitas pra mim,
M as, de uma gostei mais!

N aquela casa singela,
O nde você, aparece tão bela...
M eu pensamento voou noite inteira...
E fiquei ali ao seu lado.

S enhor, seu pai? ... Avô talvez,
H omem de semblante terno,
E  você feliz,
I a acariciando, abraçando-o,
L á naquele sítio...
A lmas que se queriam, numa fotografia.

D e blusa branca e Jeans,
E um sorriso lindo nos lábios,

G osto de felicidade na boca,
O lhos que me olhavam,
I am-me levando para junto de ti!
A i! Se pudesse estar ali naquele momento,
S ua foto ficaria linda. Eu diria perfeita!

PCoelho

GANGSTER DO AMOR! 40

E u vou ser,
U m gangster sim,

V ou te prender, seqüestrar
O s teus desejos...
U ltrapassar os teus limites.

S erás minha Rainha, quando
E stiveres de pé. E
R everencio tuas belezas...

S erás minha escrava,
E stando deitada,
U ma gueixa posta em mesa,

G ostando, adorando meus abraços,
A mando-me sem medos,
N em pudores,
G uardando pro meu corpo,
S ua seiva majestosa!
Tantos olhares, tudo é sedução...
E aperto teu corpo,
R asgo-lhe a blusa, abro-te o coração.

D eito-te na cama, na mesa, no chão,
E m qualquer lugar vai ser lindo...

O teu perfume de mulher, alucina,
C ativa, aguça meus instintos,
Ú ltima gota de sua seiva, eu sugo...
L oucuras, loucuras em seus ouvidos,
O rgasmos sem fim vão brotando...
S erei mesmo seu gangster até o fim.

E sfrego-te o sexo, sentada de costas,
S uas vontades em ponta de dedos eu finco,
C afajeste, você grita, você gosta...
U ma nova seiva aparece,
R esta-lhe somente dar-se por vencida,
O lha-me de um jeito, faz cara de vítima,
S onhos, fantasias de rainha-escrava-bandida.

Ontem à noite te fiz mulher,
Uma noite de felicidade plena!

N ão vou agora, fazer-me de bonzinho,
A manhã, te seqüestro outra vez. E
O utra noite de loucuras te espera...

P Coelho


DOR DE PARTIDA! 41

L á no alto dos meus desejos,
I mprimo as vontades de ter,
N ão vontades passageiras...
G uardo ainda no peito, carinhos,
U m atrás dos outros, bem direitinhos,
A lgumas lembranças boas.
S e o amor, teima ir embora,

Q uanta saudade lá fora,
U ma gaivota passa voando,
E leva meu amor pra longe.

P assa gaivota, passa...
A ntes que a saudade aperte,
S ua boca, seu sorriso,
S eu cheiro, perfume que entorpece,
E spreita meu corpo sorrindo.
I mpossível seguir o pássaro que voa,
A i! Que saudade que sinto,
M uita dor no meu peito.

D e tudo restaram-me...
E speranças e um retrato amarelo,

M as ainda guardo também,
A s cartas de juras de amor,
O lençol ainda marcado,
S empre, pra sempre guardarei!

D eu adeus e foi voando,
A garrada nas asas de um pássaro alheio,
D ivina mulher alada,
A o menos beijou-me, pela última vez,
S orriu e partiu.

E u fiquei ali aos prantos, numa janela de canto,
M arcando o tempo...Untando o corpo em lágrimas,

C aminhando pelas estradas da vida,
E u te procuro em vão...
U m, dois amores, não mais do que três,
S entiram o apreço do meu coração.

D e todas a mais querida, a mais amada...
E u por você, nem sei...

B om seria, que em minha vida,
O seu amor florescesse outra vez!
C oisas gostosas ecoavam-me ouvidas,
A beira de minha insensatez.
S ó os loucos amam assim!

M eu desalento é cada vez maior...
O s meus sonhos, cada vez distantes...
L á nas esquinas dos meus pensamentos,
H omem e mulher juntos por alguns instantes.
A gora chegou a hora de encontrar-te,
D ar-lhe beijos de saudades. E,
A braços, sorrisos de felicidade...
S eja minha de verdade, nesse único momento.
P.Coelho

Por você! 42

P or você,
O ntem fiz loucuras...
R otulei minha vida junto a tua,

V i anjos alados, por todo lado
O mundo ficou diferente,
Com tudo e todos tão bonitos
E eu sonhando acordado.

E ra um sonho tão lindo,
U ma estória de amor eterno...

P eguei um avião,
I ndo, rumo a borboleta alada,
N a cidade combinada,
Tudo aconteceria...
O avião chegou de asas coloridas,

Os nossos corações quase explodiram...

C om o encontrar do meu corpo ao teu
E m prantos, nos abraçamos tanto,
U m abraço interminável...

D epois nos olhamos, sorrimos,
E nos beijamos...

V ontades há muito reprimidas,
E um amor, que ainda chorava,
R ostos que se olhavam,
M etades da laranja, que se encontravam.
E u precisava mesmo de você, naquele momento,
L entamente acariciei seu pranto,
H esitação foi tomando conta de nós,
O nde nos beijamos mais uma vez!

E sse sim foi o nosso primeiro beijo,
U m selo de amor perfeito!

V ocê estava enamorada, que lindo,
O meu beijo te deixou sorrindo,
U m beijo com porções mágicas de sedução à beça,

A lguma coisa aconteceu em nossos corações,

P arece que tínhamos nascidos outra vez,
É, em não me contendo, dou-lhe uns amassos,

A minha boca desliza na tua,
T er você em meus braços,
É felicidade pura!

M eu corpo cortejava o teu,
Í amos nos fazendo carinhos,
N as ruas daquela cidade,
A lgumas ruas... Parávamos
s entávamos no banco da praça.

G ulosa você pedia, pessoas passavam
E m nossa frente, Estávamos alheios a tudo,
R ostos que se esfregavam carinhosamente,
A mores, beijos e gosto de saudade na boca...
Í amos bailando ao som de nossa música,
S erenatas de anjos nos brindavam!
P.Coelho

NOVOS CAMINHOS! 43

J ogam-se vidas pelas janelas,
E m jogos de azar, em jogos de guerras,
S entam-se em ódios, explodem-se bombas,
U ntadas em óleo bento!
S omos imperfeitos. Senhor!

C orremos atrás de ganâncias,
R imos da sabedoria,
I nstigamos as maldades,
S eguimos romarias.
T udo em seu nome. Senhor!
O homem mata,

E faz o sinal da cruz!
U ma luz resplandece,

E m tempos sombrios,
S empre haveremos de estar,
T entando novos caminhos...
O  manto sagrado que sangra,
U m corpo a mais que se cala.

A o cair, putrefeito exala,
Q uantidades de hipocrisia,
U m peito cravado a balas,
I mperfeito que seja ainda...
 
P.Coelho


SER PAI! 44

S onhos, sonhos de uma vida...
E speranças às vezes perdidas,
R ealidades algumas, doídas...

P esadelos, pesadelos de um sofrimento,
A legrias das realidades vividas,
I magens de um ou dois tormentos...

É na noite que passa...

E sperando o filho que não chega,
S em reclamar da hora que tarda,
T amanha angústia no peito.
A s preces, pedindo um retorno tranqüilo,
R estando-me somente a fé, naquilo que acredito,

S er o meu anjo protetor, meu pai, meu amigo!
E é com ele que me agarro,
M uitas noites de aflição...
P ai preocupado na casa,
R ejeita o café, posto em mesa.
E m um só pensamento,

J untos, pai e filho se encontram,
U m, pediu calma, o outro diz: Por favor, cuidado...
N inguém imagina a alegria, quando
T udo chega ao fim, é o filho que chega sem jeito, É
O pai que o abraça e sorri!
PCoelho
 
ENSINANDO A PESCAR!45

E se você deixar,
Uma coisa eu lhe digo,

V ou pegar a tua vara de pescar,
O s anzóis, preparar
U ma isca boa!

E ntão fico por de trás de você,
N em quero que deus me ajude,
S ento você no meu colo,
I ndo com a vara para trás,
N ão deixando você cair.
A gora com anzol e isca dentro d’água,
R esta-me cantar em seus ouvidos.

V ocê não sabe... Mas peixes adoram músicas,
O s maiores então, vêm todos para ouvir,
C oisa muito interessante,
E caem nos anzóis facilmente.

Aí, retiro ele de lá e dou uns beijinhos, em você é claro...

Pego outra isca e coloco no rio,
E spero mais um pouquinho e mais peixinhos
S aem pra ouvir eu cantar baixinho, em seus ouvidos,
C aem novamente nos anzóis,
A proveito e mais beijinhos. A pescaria vai ser mesmo boa!
R io lindo convida-nos ao nosso primeiro banho de amor,

E u e você, debaixo da cachoeira,

D entro de águas cristalinas,
E sperando a noite chegar.
P or do sol, estrelas a brilhar,
O s nossos lábios não paravam nunca,
I sso sim foi a melhor pescaria do dia,
S ereia nos meus braços cantava em meus ouvidos.

É mesmo um amor encantado!

S ereia ia sussurrando coisas de amor, aos abraços,
O s amassos... há muitos tempos escondidos,

A mostra grátis do que viria...
M uitos beijos, muitas alegrias, muitos sorrisos.
O rgasmos em beira de rio encachoeirado,
R egavam os corpos dos amantes enlouquecidos!
PCoelho
 
AMIZADE DE POETAS!46

A migos são aqueles que...
M uitas das vezes podemos contar.
I mportante mesmo pra se ter um amigo,
Z oar, brincar, com ele sorrir e até cantar.
A migos são aqueles que...
D istribuem carinhos desinteressados,
E mprestam sabedorias,

P COELHO


 SE EU FOSSE UM ANJO!47

S empre quando venho aqui,
E scuto de você, palavras amargas, ruins,

E spero, espero em vão...
U ma palavra terna, um pouco de carinho.

P osso sentir suas insatisfações,
U ma atrás das outras,
D ando risadas, dificultando a toa,
E ainda, fazendo-se de inocente.
S empre que estou aqui,
S eus sorrisos desaparecem,
E ntram rosto adentro.

Q ueria ser um anjo,
U m desses de asas bem cumpridas,
E ntrava em sua mente,
R oubava um sorriso, um só que fosse,
I ntrometia-me em sua frente,
A inda que não quisesse.

S em um motivo aparente,
E ntregava-te o sorriso roubado,
R ecolocava-o em seus lábios.


U m sorriso só,
M as que fosse suficiente!

A njo quando ama,
N inguém dele escapa,
J uras de amor, me faça,
O ntem, hoje e sempre!
P COELHO
 

MULHER MELANCIA! 48

V icente poeta, meu amigo,
I ncertezas passam sempre, pelas
C abeças de quem escolhem,
E namorar-se de uma mulher melancia!
N as suas inquietudes, na sua plenitude...
T arântula prende, beija, acaricia...

B esteira ficar pensando tanto...
E nquanto tantos vão atentando o juízo dela.
N ão queira achar que possa dar conta sozinho,
E las, mulheres melancias, são assim mesmo,
D ifícil de comer sozinho!
I sso mesmo, mulher melancia... Todo mundo quer,
C omer ao menos uma fatia.
T a, mas o que seria uma mulher melancia?
O lha só, eu lhe digo:

V IVIANE ABREU é uma delas, é aquela que devora
O corpo e alma , pede bis e se der, ela pede outra vez...
C ome a gente com os olhos, com os braços, com um só sorriso,
E por mais guloso que sejas...

É  incapaz de dar conta sozinho,
S endo assim, meu amigo, relaxa e goza!
T antas vezes que for possível.
A té eu quero uma fatia e das grandes, risos...

F aço cortejos, insisto, danço até tango no teto,
R asgo versos, faço música,
I mperfeita que seja ainda,
T ocarei o coração da musa e acharei,
O caminho da mina!

T e digo tudo isso, porque sei que é difícil,
A gora me fale... Se fosse eu com a
M elancia nos braços, não ia querer um pedaço?
B obagem dizer que não,
E u sei, tenho plena consciência disso
M ulher melancia, impossível comer sozinho!

F az o seguinte, seja mesmo o poeta errante, livre,
O que não quer compromissos,
I sso mesmo, assim fica menos difícil.

Q uero alertar do perigo,
U ma, duas, três cantadas como a do Adão, diga não,
E sperto, sei que é capaz de fazer isso,
R etire da cartola, uma carta curinga,
E sfregue-a em cada um dos concorrentes...
R asgue, destrua rapidinho, todas as possibilidades.

L ogo vai ver, que mesmo assim,
O utro e mais outro virá, conquistar a musa,
G uerreira, linda, faceira, gostosa por inteira...
O homem, você sabe, adora isso.

U ma verdadeira máquina de fazer amor,
M ais do que isso...
A vassaladora, um furação que arrasa e fascina.

M as, mulheres melancias são assim mesmo,
E  se isso tudo acontece no verão, ninguém resiste,
L argamos tudo, armamos o bote, abrimos a boca
A espera da língua da serpente,
N a esperança de ser acariciado por seu veneno quente,
C omemos então um bom pedaço, porque como já disse,
I mpossível comer por inteira...
A lguma coisa sobrará sempre da mulher melancia!
PCoelho


AMOR PIRADO! 49

F eliz daquele que ama,
A ma e é amado.
Z angado ou mesmo triste,
E rgue na alma vontade de ter,
R emota chance para viver.

A gente quando ama,
M ostra de novo o adolescente,
O lhos brilhando por qualquer coisa
R osto bonito e pele boa.

D escobre de repente na vida,
O s lugares realmente importantes.

J untamos pedaços de vida perdida,
E esperamos para sempre se for preciso.
I nspiramo-nos de novo e
T oda força, reforça o desejo de você,
O ntem, hoje e sempre.

D e repente olhamos no espelho,
E buscamos a imagem que queremos ver.

P arece que já nos conhecemos a tanto tempo,
I maginamos coisas que só os amantes
R egistram no olhar.
A gora encontro-me com saudades,
D os beijos, abraços, amassos e,
A perto no peito a emoção para não transbordar.

PCoelho
            CIÚME  - 50

C orroe a auto-estima
I  nverte os bons sentimentos, desestimula a
U nião que tanto fortalece, conduz e
M atura a paixão, pelos caminhos
E  speciais do amor.
 
Jotabe
12/02/2006

     VALENTINE’S DAYS 51

V iva o amor em sua plenitude
A mar é muito mais que atitude
L ança sementes de plenitude
E m corações, com doce quietude
N amoro é tempo de extrema paixão
T emperando com carinho a emoção
I ntensa magia brinda o coração
N amorando, flutuamos na canção
E m fevereiro,o dia dos namorados,
‘S endo longe, Valentine’s day, é comemorado

D eixando todos repletos de amor
A qui no Brasil, também festejamos
“Y por estas cosas raras de la vida”
S omos felizes, sempre namorando

Denise Severgnini

           Nada Melhor...52
       
A  mor que gera a humanidade
M ãe, pai, filhos, todos unidos
O ram, na mesa antes do jantar
R eencontro no seio familiar

D ia após dia, o diálogo
E m primeiro plano vai estar

 F raterno e puro entre irmãos
A mor de mãe o maior... Total!
M atriarca e rainha do lar
I rmãos são amores amigos
L ibertos...Cobranças, nem pensar!
I mperfeitos maspuros amor familiar
A mor maior não há! E os amigos, muito próximos!

D eles tudo posso falar... são jóias
E stão em nossas vidas como pérolas

A tados, agarrados, como nos anéis
M iguxos, miguinhos e migões
I clusos em nossa vida como anjos
G glorificando nossos momentos todos
O rgulhosos se sentem ao dividirmos com eles
S onhos, alegrias e nossos ais

N os fazem ser menos formais
A vida com eles fica mais colorida
O rnamentam o sentido de nossa sensibilidade

T razem força para as nossas fraquezas
E nternecem os nossos sentires

M andam embora qualquer depressão

N unca falham com nossos pedidos
A mados amores incondicionais
D ividem seus sonhos conosco sem medo
A mam sempre mais e mais!

M erecedores de todos os louros da vida
E nriquecerem da fortuna Divina do Pai
L ivrarem-se de todos os aborrecimentos
H onrosas conquistas na vida e sofrerem... Jamais!
O ferendas e todas as prendas lhe sejam frutos
R ios e mares de realizações, Amor e Paz!!!

Nina em 14/02/2006

 
 
 - EULETE    53

E la sempre teve os cabelos encaracolados
U m jeito de garota inteligente, esperta  e espoleta
L ida com as pessoas sempre ouvindo os dois lados
E legante e simpática, brilha como um cometa
T em a mesma energia que tinha nos anos dourados
E ainda recebe e responde e-mails dos amigos e  apaixonados.


 
- JOSÉ MANUEL    54


J unto a ti hei de estar qualquer dia
O nde será – isto pouco me importa.
S ei que vai ser melhor do que poderia
É s a minha  nova  e derradeira porta

M as não te farei escravo dos meus desejos
A inda que queiras me coroar Rainha
N ão conseguirás reclamar dos meus beijos
U nirás tua boca e tuas mãos às minhas
E m perfeita sinfonia  de amor e de prazer
L evarás no corpo um cheiro diferente de todos que conhecias.
 
Sandra Fayad
 
 
  -ITSUO      55
 I sto sim é um sorriso matreiro
T em jeitinho de menina levada
S em maldade, vai dominando o mundo inteiro
U ma a uma, vai vencendo cada parada
O lhando para o podium, onde chegará primeiro
 
 Sandra Fayad


AGRADEÇO...56

R eaprendi a ter,
E sperança e sonhar
G ostar e lutar
I nfinitamente por algo!
A marei você para sempre
N o mundo que construiremos viveremos
E ternamente cada segundo

Eu te amo!!

E agradeço ao nosso
D eus por ter posto
U ma pessoa como você na minha vi a.

Edu - Andarilho das Letras
PARA MINHA ESPOSA REGIANE
EDUARDO PRAIA GRANDE


DUETO ACRÓSTICO (VIVENDO DE AMOR) -Dama De Negro ( PARA TODO O SEMPRE) - PCoelho 57

V-agando em meus sonhos
I-maginado belezas infindas
V-ida que flue
E-moção continua
N-ascimento de um novo eu
D-ominado pela paixão
O-ntem lágrimas hoje vida

D-evaneios múltiplos
E-speranças reforçadas

A-mor sereno
M-ansidão em meu olhar
O-uvindo o grito do amor
R-esnascendo em minh'alma

"ÐäMå Ðë ÑëG®ö"


     PARA TODO O SEMPRE...58
P-arece ecoar aos ventos
A-quele grito que não acaba nunca
R-oda moinho de prazeres
À-s vezes abafam meus lamentos

T-antos carinhos tantos desejos
O-ntem lágrimas sentidas
D-iante de um desencontro hoje
O-s teus beijos tua vinda E

O-s toques as carícias que passeiam em meus

S-eios procuram esconderijos acham abrigos
E-nrosco-me enlouqueço-me
M-uitas vezes Muitas vezes
P-arece que esse amor tão intenso ficará mesmo
R-egistrado pra sempre
E-terno na imensidão de nossas vidas


PCoelho

QUANDO DEUS NOS FALA... AMÉM! 59
...

Q.uem chora, um dia sorri,
U.m olhar já nos diz,
A.njo que ilumina,
N.as mãos vê-se o sofrimento e a dor..
D.or que acompanhou por instantes...
O.u que esteve a vida inteira ao lado...

D.eus, que sempre nos olha com grande ternura,
E.u venho até ti pedir consolo,
U.ma vez perdido, me encontro ao teu lado,
S.ua face me renova e revigora...

N.unca me esquecerei, o que fizeste por mim,
O.s mãos caminhos ficaram longe dos que percorri,
S.enão fosse teu manto, já teria desistido!

F.ale comigo, senhor... sempre que quizer...
A.mo tua voz a me dizer tão belas palavras...
L.indo és meu pai, a me olhar!
A.doro o som da natureza, que me faz em ti pensar...

A. verdade é unica, sou uma parte de ti,
M.inha vida não seria a mesma sem tua proteção...
É. com grande prazer, que digo que sou tua filha...
M.uitas vezes chorei, mas o senhor me ajudou!!! AMÉM!
!
Daiane Rodrigues



"VIVER...QUERER" 60
       (acróstico)

V er o mundo com alegria
I nteligência e amor ao próximo;
V iver o hoje, como o último dia
E ternizar os momentos felizes,
R ecuperar tempos perdidos.

Q uerer mais, que ser querido
U sufruir o que a vida tem de melhor
E ntender a quem amamos
R eviver momentos felizes
E entender para ser entendido
R ir sempre, chorar só de alegria.

Antonio Hugo


               Amor  61

A lmas que cativam o seu doce sabor
M ostrando a delicia do fruto AMAR!
O fuscando a ternura do seu olhar
R esumindo, em,Eu sei chorar!

                Giovania Rocha
Gio

                  A M I G O   62


  A ... feto  em  forma  de  verdade
  M ... ãos  estendidas  à  nos  amparar
  I ... nfinita  capacidade  de  amar
  G ... otas  de  perfume divino
  O ... nde  minha  alma  vai  se  perfumar.
             
 florzinh@



AQUI CANTO MEU CANTO   63

A qui, onde hospedo meus versos
Q uero estar sempre entre amigos
U m laço de amizade estreito
Í ntimo prazer dividido

C antando em coro
A mais linda canção
N o idioma universal
T eu canto visito
O ntem, hoje e sempre

M as se algum dia
E u calar minha voz
U m canto virtual ficará

C omentando em prosa e verso
A saudade deste canto coletivo
N as madrugadas, a toda hora
T anta coisa dita, tantas lidas
O utras apenas sentidas.


14/02/2006
Diana Goncalves


AMIZADE          64

É extremamente difícil explicar certas sensações íntimas...
Dizer a alguém toda
Importância de sua amizade na vida.


A amizade é tantas vezes contraditória,
M ais fácil, torna-se falar de sentimentos,
O u apenas, dizer o quanto se admira alguém.
R ir, cantar, amar, aliviar mágoas...
I sso não é fácil conseguir,
M as você é um ser mágico que tudo consegue.


(Dedicado a Édi Amorim)
Denise Severgnini


DUETO (DOCE RECANTO DAS LETRAS) - Kate weiss

R ecanto doce das letras,
E m ti me encanto.
C anto teus poemas,
A calanto, meus sonhos
N ino meus amigos
T omo suas dores
O lho e choro seus secretos prantos.

D as mãos de uma amiga cheguei
A o teu canto abençoado
S audades nunca terei ,porque não saio do teu lado.

L etras, desde criança, sonhei
E nos lápis de cores, meu maior sonho de consumo
T enho agora a oportunidade de
R evelar-me em verso e
A rte e divulgar-te meu Doce Recanto e
S onhando com tuas Letras, feliz hoje durmo.

Kate weiss


UM CANTO DE AMIZADES) - PCoelho 66
 

U m sonho de criança, se faz realidade
M uitas alegrias, tantas ternuras...

C omo essa, minha e tua,
A qui se conversa, expõem sentimentos,
N os entregamos por inteiro, sem pudor sem medos,
T emos mesmo que conservá-lo, protegê-lo.
O s contos desse recanto, expressam sabedorias,

D os versos, guardamos lições
E das poesias, os sentimentos...

A prendemos, evoluímos,
M uitas vezes descobrimos, que na vida
I  ndo de canto a canto,
Z oar, também é preciso... Mas o que mais importa
A qui no recanto, são as amizades que fazemos,
D e encontro a encontro, vamos desenhando,
E sculpindo, bailando nossos momentos,
S em culpa e sem medo de ser feliz!

PCoelho
15/02/2006


VALSAS DAS ONDAS  67

V em o tempo que não perdoa
A tivando relembranças à toa
L á longe,uma imagem atordoa
S omente,uma figura se esboroa
A s valsas das ondas imperam
S erenas,trazem desejos que arfam

D entro do peito e emoções choram
A s melodias, antigos amores procuram
S aciedade, o mar contempla a mim

O ndas dançam num vai e vem sem fim
N avego na recordação de um querubim
D oce amor, perdido num ilusório jardim
A s valsas das ondas ainda me dizem
S audades tantas do inesquecível bem

Denise Severgnini
15/02/2006

MINHA MELHOR AMIGA  68

M uitas vezes fazemos das coisas mais complicadas
I nventando probleminhas solucionáveis
N ão nos deixemos levar pela tristeza
H á tanto nos esperando pela frente
A lguma coisa ficaria diferente

M elhorar é sempre meu objetivo
E m relação a ti
L ouca, admito que às vezes fico,
H oras e horas pensando na vida
O u nos presentes que ela me dá
R ezo para que permaneçam em minha vida

A doro tudo o que você faz...
M ais do que uma amiga, uma irmã, um anjo...
I nimaginavel como você consegue
G anhar tudo o que eu tenho de bom
A mizade como a nossa... Duvido que haja.


EU SEEEI. Ficou mt nada a ver!!! Rsrsrs, é só uma tentativa inicial!!! Não me culpem, eu sou completamente amadora! Só tenho 13 aninhos!
Lady Smid


POLÍTICA BRASILEIRA!    69

P aís decadente, tudo complicado,
O utros tantos reais aplicados
L egalmente, talvez, para o bem dos senhores,
I legalmente bem de vida
T anto quanto nenhum de muitos
I ncapacitados de viver tão bem
C omo políticos e ricos, sorrindo para tantos,
A bominavelmente limpos, bem vestidos, falsos...

B rasil, tenho dó de você
R aramente um povo é tão humilhado
A os pés de todos ao seu redor
S ó por que a política vai de mal a pior
I gualmente caímos, perdendo tudo,
L eis que são corrompidas e esquecidas
E ntão, todos nós perdemos os direitos,
I ndios, por que não lutaram por sua terra?
R atos a dominaram em pouco tempo
A gora estamos todos perdidos em suas mãos

Lady Smid
 15/02/2006

ANJO DE ORFEU...      70

L iberdade de expressão é seu cajado
A njinho de ORFEU e Eurídice, um bardo!
D ETH deu seus primeiros passos soletrando
Y + P = a POESIA, não tinha internet quiçá livro...

S ó anseios descrever, enlevo de voar como passarinhos

M isturando matizes sentidas,transmutando vento moinhos

I nspiradas flores desabrochar,vielas no caminhar intento
desígnios..

D icertando sentimentos emocionados, ensejando SER um pássaro sibilando, pousando ninhos...


“ Poetisa dos ventos”
Deth Haak
15/02/2006

FINGIMENTO.       71
 
 F ui seguindo um caminho já trilhado,
  I nsatisfeito com aquilo que eu via
  N ada ainda poderia ser falado,
   G rande dor parecia agonia.
   I sso ia destruindo a resistência,
    M uito mais que pudesse imaginar
    E ntão eu procurava com insistência
     N ada mais importava o meu pensar.
     T udo era uma seqüência de tormento,
      O nde eu vira a outra face...o FINGIMENTO.

            15/02/06-22.08 h.
Vanderleis Estácio Maia


                      Alegria De Viver  72

A virtude do coração cheia de afeição,
L ivre na luz do renascer e não morrer!
E ntre o desejo de um sorriso penetrar,
G anhando a luta de ver o sol brilhar.
R ejeitando gemidos não permitidos,
I luminando a esperança em sentido.
A bandonando o pensar do negativo...

D epois da brandura de um ombro caído.
E squecemos da necessidade de voar...

V ivendo com o medo e a insegurança,
I ludindo os nossos sonhos de caminhar,
V indos dos obstáculos do vento soprar.
E ntre as mágoas da tristeza e do olhar,
R espire o seu ar e nunca desista de lutar!

                    Giovania Rocha
Gio
 

Meu Recanto encantado: 73

M inha casa é bem aqui.
E la e modesta, mas bonita.
U m rincão, de paz, e harmonia.

R ecanto de rara beleza
E special, por isso, eu penso.
C omo não falar de teus encantos
A gora que ainda tenho tempo.
N esta vida que busco valorizar, e.
T ento, ser justo com a natureza.
O nde me espiro, e escrevo, poesia.

E ntre matas, rios e pássaros.
C ontei em prosas, em versos, fiz.
A mais bela, serenata, para a lua, que.
N o céu, me escutava embevecida
T emendo, ser surpreendida, pelo sol.
A o terminar, sua ronda espacial.
D espediu-se de mim ao amanhecer.
O rdenando-me, para, eu voltar outro dia.


 Volnei R. Braga!

 16/02/2006




GATO QUER GATA!      74

G ostamos de quem gosta da gente,
À s vezes nem sempre. Mas poder
T er quem gostamos por perto,
O lhar nos olhos, sentir afeto,
S em dúvida é mesmo muito bom.

G ostar, amar, sentir, gozar...
O ntem foi assim, prazeres que eu
S enti e você também!
T antos desejos, vendo você de bruços,
A inda mais bonita, curvilínea,
M ais gostosa ainda!

D e repente, você estava deitada
E m barco, rumo a ilha de praias lindas.

G uloso, apertava meu corpo contra o seu,
A s carnes entravam, você gritava, gostava, você gozava...
T eus líquidos fluíam em cachoeiras,
A minha língua aquecia a fonte. E a
S ua boca acariciava a minha.

P or uns instantes ficamos
O ntem, deitados, contemplando a vida,
R imamos, falamos besteiras, brincamos,

I sso mesmos rimos e contamos estrelas,
S entimos as ondas batendo no barco,
S entia suas coxas batendo nas minhas e
O silêncio nos brindava, mas o barco, esse não para...

V amos indo, entoados naquele balanço, com
O s braços e pernas entrelaçados, quietinhos quase parados,
C om respirações ofegantes, corações acelerados,
E u e você sentindo, os gostos e o perfume do amor ao vento.

T antas carícias, tantas loucuras,
E ntramos em êxtase, dançamos, cantamos, gritamos, estávamos
M esmo sozinhos... Eu, você, o mar e as estrelas.

U ma noite de rei, uma noite de princesa,
M as nós queríamos mais! Seguimos...

N as areias da praia, escutávamos
As cantorias, nativas cantavam, dançavam,

S erviam peixes, frutas e vinhos,
U ma festa para celebrar o amor e
A sua vinda. Você estava radiante, feliz.

C omeu dos peixes, bebeu dos vinhos,
A festa era mesmo sua, cantou, dançou, depois de
M uitos beijos, muitos olhares, alguns desejos,
A inda faltava dizer-lhe... Te quero morena linda!

P COELHO


                   C A R N A V A L 75



    C ... onfetes, serpentinas e fantasias


      A ... legram  e  dão  cores  ao  mundo


  R ... ostos disfarçados, se transformam em mascarados

 
    N ... uma tentativa de esconder sua real identidade


A ...mores de momento,que trocam falsas juras de paixão
 

  V ... erdades que se escondem em meio às multidões


   A ... legria fantasiada que tenta inundar a vida


          L ... ágrimas que rolam nas faces,
             na quarta-feira de cinzas.



                     florzinh@
.

              ALEGRIA... 76

J orram em teu nome todas as belezas das turmalinas
O ásis entre areia, se da pedra traduz o brio carrossel
I mpério que de tuas mãos escorrem o ouro das minas
C entelha embriagada, prata da noite e na lua um anel
E ldorado imaginário, tão longe do fel e das esgrimas

G uardiã do sorriso, sempre em etérea alegria
U ngindo a tristeza com o bálsamo da doação
I nterlúdio ecoando um arquilho de harmonia
M ulher domando as secas, assim como aluvião
A tando a esperança na fé, em branda calmaria
R emindo a cancela, todo dia, numa agraciação
A aurora adentra a filha da vida, tal a ventania
E nquanto a estrela te guia às vias de iluminação
S oprando essa amizade que te dôo nessa poesia

Sandra Ravanini

12/02/2006

Joice – deriva do latim e significa “A que está sempre cheia de alegria”

   HOMENAGEM À DELASNIEVE DASPET - GRUPO LUNA'S 77
 
D a idéia, surgiu o sonho fremente
E do sonho, a realidade
L una's se tornou decididamente
A morada dos poetas de verdade
S empre acolhendo os amigos
N o site e no grupo, com fraternidade
I ncitando-os a soltarem seus anseios contidos
E m forma de poemas de grande sensibilidade
V islumbrando em cada verso, em cada escrito
E moções, amores, dores, alegrias e saudade


D elasnievando vamos todos nós lunáticos
A o sabor de poesias, carinho e amizade
S eguindo o coração num ritmo acrobático
P oetando sem parar e voando em liberdade
E spargindo versos de modo enfático
T ecendo com letras os fios da felicidade!

baby

23.11.2003
Vitória-ES


RECANTO DAS LETRAS - 78

R emando contra a maré geral
E nvolvente em poesia e afecto
C orações entrelaçados em letras
A mizades cultivadas em poemas
N oções de literatura aprendidas
T omara não sejam já esquecidas
O lvido aqui jamais será fatal...

D epois que importa seja absurdo
A linhando palavras encadeadas
S ejam como forem classificadas

L endo e relendo nossas emoções
E ncandeando poesias ou paixões
T ransparentes ou confusas como saber
R aivas, ciúmes, amores, queixumes
A mando, sofrendo e chorando
S omando temos o Recanto das Letras

Fada das Letras
17/02/2006



FARRAPO HUMANO      79

F-az-se de amigo mas não é
A-lma negra
R-umina  fel
R-asteja entre os seres de bem
A-gride por ser perverso
P-oço de inveja e maldade
O-usa achar que é melhor que toda a humanidade

H-umildade desconhece
U-m ser sem luz, doentio
M-ente, engana, ofende sem motivo
A-migo nunca foi, nunca será
N-ão sabe o que amizade
O-ro a Deus que o ilumine

 "ÐäMå Ðë ÑëG®ö"

 17/02/2006




          Falando das Flores.... 80

F lui o meu olhar como as águas do riacho
A calentando minhas íris, colorindo imaginário
L írios enamorados das acácias amarelas, antúrio
A margurado inciumando jasmins. Matizam agapanto
N adando tormentas de meu flumen, ornamentando mundo
D álias em pétalas perfeitas esculpidas na lida. Fúcsias rindo...
O ntem o jardim emudeceu, percebeu a camélia pereceu um cravo.

D e chorar um amor, afogado nas lágrimas ,carpindo desvelado
A mor- perfeito não correspondido murchas samambaias em luto
S ífedes vestiram-se de violetas mofadas, consolando gira-sol encarnado...

F unebres notas tocavam os colibris! No cortejo seguido de margaridas

L ótus recitando epitáfio, taciturnando açucenas na languidez das petúnias

O ravam mirras recitar das magnólias, e de mãos dadas ao sentimento às rosas

R ogavam as flores ao criador, umedecendo solo na dor do momento, sempre-vivas

E nforcando cipreste da cerca ,irando urtigas vislumbrando ipê lilás odorando hortênsias

S olo arado morto cravo ao sol, aquecendo sementes sopra brisa germinam as prímulas.


“ Poetisa dos Ventos”
Deth Haak
16/02/2006


ALMAS AMOROSAS (DUPLO ACRÓSTICO)81

A lma longínqua minha amad   A
L igada por afecto inacessíve L
M anhã de férvidos que ama   M
A lcançando tal paixão radios A
S íncrona reunião de coraçõe  S

A través da distância ilimitad A
M ar, espaço, estrelas, o alé M
O lvido alcançado, te amand  O
R omance eterno de meu amo   R
O lhando por sobre o ocean   O
S em dúvida doçura de uniõe  S
A lterosos esforços de magi  A
S em desfalecer, suas paixõe  S

Fada das Letras
em 18/02/2006



Homenagem à DETH HAAK HAAK 82

D ama dos ventos poetisa do universo
E m versos traz seus mistérios
T rilha o caminho dos mares,
H achura a superfície da terra

H adith das palavras
A ssombra a solidão
A travessa oceanos
K elvin das águas cristalinas

H amadríade dos bosques
A flor do lis
A expressão da alma
K ummel saboroso da poesia

Vincent Benedicto
 em 18/02/2006


MEUS CAMINHOS   83

Minha estrada é deserta
Estou sempre em busca de algo que não encontro
Uma vez na vida terei que ser feliz pois
Sempre há caminhos a percorrer

Compreendendo todas as dificuldades
A serem encontradas
Mas mesmo assim é
Impossível desistir
Não quero deixar de acreditar pois sei que uma
Hora meu momento vai chegar
Onde eu encontrarei minha felicidade,então
Só posso lutar,e acreditar...

Messina
em 18/02/2006


Leila Barreto          84


L uar no céu
E stou sozinha, esperando que a lua
I lumine os caminhos que
L evam a felicidade do coração de alguém
A paixonado

B obagem!
A char que seremos felizes ao lado de alguém
R ealmente, tolice!
R elevo, pois sei o quanto nos faz bem ouvir
E u te amo pertinho do ouvido
T errível não ter aquele calor
O h! Aguardo ansiosa... pelo teu calor

D emais?
A cho que não. É pouco diante da paixão
S ó penso em você e só olho para você

V iajo... quando te vejo
I lumino-me quando me olha
R odo quando me toca
G aranto-te que te amo muito
E spero que me ame também, pois
N ada me separa de você
Situação alguma me fará deixar de te esperar...


escrito em 02/03/05
Leila Barreto

              Beija-flor 85

B eijando os seus lábios
E em segredo o coração
I nvoco-te o meu amor
J urando minha paixão
A o som de uma canção

F lorindo os meus sonhos
L indamente com a sua cor
O meu bálsamo perfumado
R evivendo o nosso amor!

         Giovania Rocha
Gio
 18/02/2006

VOCÊ É ESPECIAL    86

V amos pensar em Deus
O stentar, nossa esperança.
C om amor elevarmos, a fé.
E nquanto ainda nos resta luz.

É e será uma amiga especial.

E ntre nós aqui na terra.
S enhora mãe, de Jesus.
P ela nobreza de seu coração.
E ncarou, de frente aqueles, que.
C ondenaram seu filho a cruz.
I mpedindo-o de viver entre nós
A cusado, por pregar o amor, este.
L egado que o Senhor seu pai deixou

             
Volnei R. Braga:

      Amor você tem mel  87

Adocicando os meus lábios
Molhado no seu favo
O meu coração é só agrado
Redistribuindo o seu fado

Valorizando o seu sabor
O doce de grande valor
Certeiro em meu ser
Entre linhas de saber

Traduzir e expressar
Está delicia pelo ar
Mistura do cultivar

Mesmo, se eu orvalhar
Eu já sei valorizar
Laços de abraçar!

     Giovania Rocha
Gio
em 19/02/2006


UM NOVO AMOR       88

U-ma nova chance de reviver e amar
M-isto de euforia e alegria

N-ovo desperta de mim
O-uvindo a voz que vem do coração
V-oz que é canção
O-onde a vida se refaz

A-lma livre, leve e solta
M-undo novo, cheio vida e calor
O-nde tudo é paz e mansidão
R-enascendo para o amor e a paixão

***
Dama De Negro
em 19/02/2006



                    SENHOR !!!   89

 S ...ois o meu Pastor, o meu amparo

E ...m Tí me refugio, pois sois a luz da minha vida

N ...unca me desampares, pois necessito de Tí

H ...oje e sempre fica comigo,

O ...teu amor, é minha fonte de vida

 R ...esplandece a Tua luz sobre meus caminhos.


                    florzinh@

                                         90
A mo-te....Sem medo de te amar...
M uito mais que minha própria vontade...
O coração entregue no seu sonhar...
R edescobrindo a felicidade...

V enha fazer parte desse meu Mundo...
E assim podermos dividir a alegria e aflições...
R eunindo forças para entendermos a vida...
D o jeito que mandar nossos corações...
A té onde podemos acreditar???
D estinados a sermos felizes...
E nquanto soubermos respeitar...
I ndividualismo e confiança...
R egados com a arte de Amar...
O s nossos sonhos de criança...




FARNEY MARTINS        91




F Fico parado e minha mente viaja longe
A Alvorada que se descortina para a vida
R Reluto, talvez por receio, o desconhecido é inevitável
N Nada pode deter este momento
E Eternidade que se resume em poucos instantes
Y Yes, si, sim, não importa como

M Mas não posso negar nem me esquivar deste momento
A Algo que tenho que enfrentar na superação para a evolução
R Regredir me faria um perdedor e isto eu não sou
T Tomo a decisão de enfrentar esta batalha
I Imaginação ou não, este é um pequeno flash da própria vida
N Nada nos é definitivo, a não ser aquilo que nos soma
S Sabedoria adquirida, uma benção que Deus nos concede.

ALBINO COSTA
 em 19/02/2006

Maurélio
 
 
     ACRÓSTICO - RUBIA  92
 
 
R  aio de sol, nascestes poetisa,
U  ngida fostes em óleo de rosas
B  ela, querida e formosa
I   integras nosso canto, no recanto
A  s pessoas, todos, te amam tanto!
 
 Maurélio Machado
19/02/2006
 


BRASIL..... 93

Batalha nossa de cada dia


Rasgando a clareira da vida


Aumentando nossos limites do saber


Somando luz ao que era breu


Iluminando quem se apagou


Levando a diante a BANDEIRA DA PAZ

Pretacosta
 em 19/02/2006


BANDEIRA DA PAZ!!!!!!!!!    94

B elas praias do litoral
A ndando na claridade da areia
N ada me incomoda neste lugar
D istrai-me entre conchas e coqueiros
E mbriago-me diante da beleza
I magino toda a paz num só momento
R azão que me faz relaxar
A bsorvendo a energia do sol

D ia mais lindo não me recordo
A ves marinhas desfilam para mim

P eixes dançam os mais singelo balé
Á guas cristalinas refletem o azul do céu
Z iguezagueando conforme o vento sopra.

Pretacosta
em 19/02/2006

F abriquei uma boneca            95
A ndava, chorava, ria, falava
B astava um toque de mão
I ntacta, ela ficava
A cabou a graça
N ão tinha brilho nos olhos,
    nem tampouco coração
A h, bendita sabedoria, só Deus
    chegou à perfeição!

ZUCA
19/02/2006

VÁCUO POÉTICO...     96
VÁCUO POÉTICO...

D ecreto de um EU fortalecido
E ntristecido no versar amante
S olidão na noite mora comigo
I luso há sinfonia cada instante
L acrimejar do sereno combalido
U lulam as ondas marés distantes
S oluçar as conchas do individuo
A mor cintila, e carpi dilacerante
O lhares desiludidos lousas e luas ...

D estino que queres de mim?
A ndarilho em brumas macilentas
N ublando perigrinar meu resistir
Ç iscos riscos escarpas andejantes
O lho metamorfoseando horizonte assim!


E u poetizo! Sou poeta, faço versos
U nicamente redimindo a mim, para ti...

D ando ao senso destemperança
A lentados verbos de esperança
N avegando pelagos infortúnios
Ç ariciando ondas de o meu existir
A mando sou amor, versejando a ti...

V ou seguindo a trilhar meu desígnio
O uvindo a dança, dizendo versos
C onto em linhas meu SER taciturno
E xpurgando dores mágoas e restos...

A manhando AMOR em meu viver!

D igo ao vento sou cantar, a musica
A ninar cantigas em meu pobre SER
N o soprar do vento leste, vetadas
Ç onsoantes em nostaugia de você,
A teio pontos acentos e vírgulas...

D ígrafos ... E parágrafos no ditado
A mando o amante (???) brado bardo...

S olitude é combustivel a mim inspira
O lho orbe estrelado sinto-me astro
L ua cheia a mim encanta destina
I lusas poesias, refazem-me nos traços
D ou-te versos e poemas mitigo sonetos
A mo tão bem! A poetisa decretando prosas
O ntem era solidão, despetalar de rosas...

“Poetisa dos ventos”
Deth Haak
18/02/2006

GETULIO VARGAS      97



G rande Presidente foi:
E levou o Brasil, a estado novo.
T ratou, criou leis e normas.
U sando-as, em beneficio do povo.
L utou, e conseguiu seu espaço.
T ornou-se, um grande ditador.
O usado, sua gente, conquistou.

V iveu entre o Sul e o Norte.
A o lado do povo, foi, valente.
R echaçou, velhas e arcaicas leis.
G arantiu ao povo, a soberania.
A dquirida, com o novo estado.
S eguiu sua saga, foi, Presidente!


Volnei R. Braga:
19/02/2006

Acróstico Recanto das Letras     98



R eflexão que nos remete aos recônditos do coração
E xperiência sem par que engrandece nosso sonhar
C ânticos que vem, cirandas que vão
A mor retilíneo desenhado pelo alfabeto
N atas criaturas que vivem para compor
T  udo aqui cheira a poesia, obra do criador
O nde o mais forte é o verbo, expressão mais sábia do amor

D ádiva de Deus, vocábulo literário
A cademia da mais pura arte, arremate do saber
S om silencioso, verso solitário


L ínguas que se misturam
E encontro e desencontro de idéias
T eto que abriga o amador, o escritor...,
R aridades de formas que se completam e que brilham
A lmas que se unem para falar e escrever o amor
Sedução das letras que alimentam a cabeça do poeta e cantador

MEG
(Amália Klopper)
20/02/2006

AUREA DE NINA....         99


A_ura de luz irradiante dos entes, amigos e amantes
U_m sorriso quente e marcante, sempre a irradiar
R_aiz de origem européia, num coração tropical
E_estrela maior, uma vênus sensual, ama por amar
A_urora, poente, ama carnaval, adora mar e am(a)mar!

B_onita, sapeca, tem garra, é brejeira
O_lhos de esperança, mesmo nos desencantos
N_ascida na roça, criada no mato, mas luta
A_ssume o papel de mãe muito cedo, trabalha, estuda
S_uscita seus versos chamando seu anjo, seu intuito
S_erve aos céus os teus méritos poéticos em absoluto
A_tiça a fome mais gulosa na sua arte de versejar!

N_estes versos singelos um carisma, eis que reaparece
I_ntensões mais significativas não há de versejar, por muito amar
N_outros tempos em dormência seus textos amarelavam
A_flora de repente e faz a todos sonhar com seu jeito de rimar

NINA
20/02/2006.


Insensibilidade....                                100

P oetando harmonia em versos revisados em sua companhia

O rfeu, não impôs regras, somos aprendizes ao escrever poesia

E scolas não fazem poetas, se fizesse bom seria emocionando a primazia

S e assim o fizesse, o mundo seria das flores eclodidas não da desarmonia

I sso meus amores digam aqui vieram, soprem poemas e versos por amor á poesia

A os insensíveis que não ouvem nem falam as flores, seguem olhos a minha POETISA!


“Poetisa dos Ventos”
Deth Haak
20/02/2006

AMOR NOVO...             101
Aurora do meu olhar
Meu fruto de amar
Ocupas o meu coração
Renovando a paixão

No chão estendido
O luar está florido
Voltado de gemidos
Ofuscando um grito!

  Giovania Rocha
Gioem 20/02/2006






 


                         




Repasse o convite a todos,por favor a cada novo texto que publicarem em suas escrivaninhas, deixe sempre o convite aos outros em suas páginas, assim você estara contribuido para divulgação deste evento, acrescentando essa frase "EU JA ESTOU LÁ VEM COMIGO"
DETH HAAK HAAK
Publicado no Recanto das Letras em 11/02/2006

Vamos poetar esta semana os estados do BRASIL, suas economias, legados culturais sua gente e seus costumes!!!
Deth Haak
Enviado por Deth Haak em 13/02/2006
Reeditado em 20/02/2006
Código do texto: T111399
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Deth Haak
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 57 anos
547 textos (65368 leituras)
50 áudios (9719 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 02:11)
Deth Haak