Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Paixão Incógnita

Percebeu que não teria mais tempo. A única maneira era ir ao aeroporto e procurar pelos seus olhos nem que fosse pela última vez.
Precisava revê-lo e dizer o quanto o amava...
Saiu desesperada, invadindo sinais de trânsito, quase atropelando um cachorro que, coitado, não entedia o que estava acontecendo.
Chegou ao aeroporto ofegante, num misto de medo, apreensão e saudade.
Entre tantos passageiros foi fácil reconhecê-lo. Sentado próximo ao portão de embarque ele procurava ler alguma coisa que visivelmente não prendia sua atenção. Seus olhos se encontraram. Surpreso ele sorriu e foi ao seu encontro. Mal acreditava que, a mulher da sua vida, a maior paixão de todos os tempos, estava ali, frente a frente. Os seus olhos arregalaram buscando melhorar o foco e confirmar a presença daquele oásis ótico. Não podiam ser vistos ali. Ela puxou-o pelas mãos e num misto de insanidade e desejo  puxou-o para o banheiro fingindo passar mal. Beijaram-se loucamente.
Do lado de fora anunciavam seu vôo. Já estava chamando pela última vez. Não queria se separar. Mas, naquele momento, não haveria outro jeito. Ignorando se alguém poderia ter visto, saíram e se olharam novamente com os olhos marejados de saudades.
Ela ficou ali parada recuperando os sentidos e imaginando como seria sua vida dali em diante. Um pedaço dela ficara com ele para sempre e ao mesmo tempo sabia que teria que viver com seu verdadeiro sentimento mutilado.
Ele, por sua vez, saiu com o coração apertado... Sabia que estava deixando, naquele hall de aeroporto, um grande e verdadeiro amor.
A viagem foi rápida. O avião aterrisou, mas o seu coração ainda continuava nas nuvens...
Precisava revê-la, pensou. Precisava entender melhor aquele turbilhão de sentimentos.
Não queria mais perdê-la.... Não podia mais perdê-la ... Não conseguiria mais viver sem ela...
A noite parecia interminável. O sono não chegava. As cenas repetiam-se na sua cabeça deixando seu corpo quente de desejo. Desejo de revê-lo, abraçá-lo, beijá-lo outra vez...
Os dias agora pareciam intermináveis. Quando poderia vê-lo novamente? A expectativa de um novo encontro tomava conta de seus pensamentos, mas esperaria o tempo que fosse, contanto que pudessem viver novamente momentos como aqueles. Nada mais parecia ter tanta importância, o mundo agora girava em torno desse amor.


TACIANA VALENÇA
Enviado por TACIANA VALENÇA em 23/09/2007
Reeditado em 24/09/2007
Código do texto: T664645

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
TACIANA VALENÇA
Recife - Pernambuco - Brasil
1956 textos (149081 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 06:29)
TACIANA VALENÇA

Site do Escritor