Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Nós, os noctívagos

Incompreendidos seres nós somos,
porque vivemos a madrugada.
Nosso jantar é uma ceia
sob o céu estrelado,
nosso café da manhã,
é refeição
sob as doze badaladas do meio-dia.
                         
Somos dos poucos que sorvem
a brisa da noite estupenda
penetrando madrugada adentro.
Podemos ouvir o pio da coruja
debaixo da lua rosada,
assim como o gorjeio de pássaros,
sob o sol pálido do amanhecer.
Apenas nós conhecemos o parto da manhã,
e a mutação das sombras em cores.
Somos como guardiães do sono,
dos que vivem a partir da manhã,
e que pouco após o cair da noite,
já adormecem sem viver.

E nessa solidão da noite,
Nós, os noctívagos seres,
grávidos de nós mesmos
somos plenos.
É quando mais acompanhados estamos,
em nossa única companhia.
Comungamos com o silêncio,
dele extraindo rara sabedoria.
Nesse momento sagrado
somos como Deus no ontem tão distante
que criou o hoje e o amanhã.

E como criatura,
 creamos um momento eterno
nesse mundo tão particular
como é o nosso.
E só depois do orgasmo, gestação e parto,
caímos no sono reparador
guardado pelos anjos que acordam
para colorir de arco-íris
nossos sonhos mais secretos.
Izabel Martho
Enviado por Izabel Martho em 23/06/2005
Código do texto: T27007

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Izabel Martho
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil
22 textos (2712 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:56)
Izabel Martho