Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PAPAI NOEL EXISTE!!!

    Quando crianças, vivemos rodeados de fábulas, pequenos milagres, mágicas e lendas, que nos adoçam a imaginação, proporcionando-nos fantasias inesquecíveis.
A criança, portanto, é protegida da realidade, por imaturidade, por falta de experiência e por ingênuidade.
    Crescemos porém, e a fada madrinha invisível, que nos visitava durante a noite para trocar balinhas por dentinhos caídos, deixa de visitar-nos.
O coelhinho da Páscoa, não nos traz mais deliciosos ovos de chocolate.
O nosso tão querido amigo imaginário, desaparece para sempre e o anjinho da guarda, que não cresce tão rápido quanto nós, prefere manter-se no passado, não nos acompanhando no presente.
    Mas, o Papai Noel... esse sim, continua nos acompanhando até o último dia de nossas vidas, ainda que de forma diferente. Por exemplo:
    Famílias inteiras tem como ganha pão, o ofício de catar papelão. Saem pelas ruas da cidade, procurando em lixeiras, caixas que depois de amassadas, possam caber no pesado carrinho de mão, feito manualmente, em multirão familiar, e que carrega na traseira, um aviso ao motorista irritado:
" DISCUPA, TÔ TRABALHANDO."
    Os catadores de lixo, sobrevivem do que acham em lixões, vendendo, aproveitando ou até mesmo comendo " o achado".
    Meninos de rua, ainda batem nos vidros fechados dos nossos carros, pedindo moedas, mesmo sabendo que não os atenderemos.
    Mendingos moram nas calçadas, nas portas das igrejas, dos supermercados, padarias e farmácias.
Porém, todos nós esbarramos no Papai Noel em grandes centros comerciais...
    Pelo chão dos corredores dos hospitais públicos, não há apenas doentes, mas também, mortos que não foram atendidos.
Ainda temos os hospitais particulares que deixam de atender um paciente gravemente ferido ou doente, porque esse, nem mesmo tem convênio médico.
E as músicas natalinas, são tocadas em todas as emissoras de rádio, portanto, Papai Noel está presente...
    Nas creches públicas, criancinhas da classe baixa, ganham presentes usados, ou comprados em lojas de 1,99.
    Os orfanatos recebem doações do mesmo tipo ou comidas não perecíveis.
    Os asilos, ainda conseguem algo a mais: remédios.
Bem, se ganham, recebem ou conseguem, só há um motivo: Papai Noel existe...
    Seres humanos matam uns aos outros, por dinheiro, por terras, por vingança, por sobrevivência.
    Os nossos políticos continuam roubando cada vez mais.
Mas nossos líderes religiosos, nos falam do nascimento de  Cristo e por ironia ou hipocrisia, nos vem à mente, a imagem do Papai noel...
Árvore de natal... carrinho de papelão.
Presentes... armas de fôgo.
Cristo... Papai Noel.
     Temos todo o ano para sermos solidários uns para com os outros, para nos interessarmos por nossas crianças de rua, nossos mendingos, nossos orfãos, nossos catadores de papelão, nossos catadores de lixo, nossos doentes carentes, nossos velhos esquecidos, nossos eleitores, nossos presidiários, nossos mortos enterrados como indigentes, nossos desempregados. Mas, simplesmente nos falta " tempo"...
     Recebo, agora, no final desse ano, o meu décimo terceiro: "milhar" e a minha empregada doméstica também recebe o dela: "centena."
     A injustiça social impera, favorecendo os de classe alta e prejudicando os de classe mais baixa.
     E a culpa, como adoramos dizer, é do governo, porque afinal, não são os nossos nomes  que estão sendo citados nos noticiários, não somos nós que estamos roubando do povo.
Não somos responsáveis pelo desenvolvimento do país.
     Será mesmo, que não temos culpa alguma?
Definitivamente a resposta é NÃO. (?)
     É NATAL, É ÉPOCA DE PAZ, DE SOLIDARIEDADE, DE ALEGRIA...
     PAPAI NOEL EXISTE!  
RÚBIA BOURGUIGNON
Enviado por RÚBIA BOURGUIGNON em 30/11/2005
Reeditado em 30/11/2005
Código do texto: T78765
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
RÚBIA BOURGUIGNON
Vila Velha - Espírito Santo - Brasil, 55 anos
193 textos (20241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:36)