Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ensinem-nos...

Hoje vocês estão se formando. A alegria é geral. E eu não vim aqui atrapalhar a festa falando em aula. Tivemos tantas, não é mesmo?
Eu quero agradecer e pedir. O agradecimento é pela oportunidade que me deram de tê-los como companheiros ao longo desse tempo.
O pedido... bem... para falar do pedido, tenho de lembrar aquilo que o Leo Huberman usa para finalizar seu livro História da Riqueza do Homem, que li há muito tempo. Creio que vocês também o leram.
Ele conta como os indianos caçam macacos, se lembram? Eles pegam um coco. Fazem um buraquinho de pequeno diâmetro no coco –só o suficiente para passar a mão magrinha do primata. Dentro do coco eles jogam torrões duros de açúcar. Os macacos, guiados pelo faro apurado, descobrem os torrões e metem a mão. E eles são tão gulosos pelo açúcar, que jamais soltam os torrões. Ficam presos ali. Nisso, os indianos chegam, pegam os animais e vão fazer uso deles da melhor maneira possível -já mortos, evidentemente...
Curioso, não? O macaco prefere morrer a abrir mão...
Andamos tão individualistas nessa nossa sociedade de mercado! Às vezes, somos tão apegados ao nosso torrão! Uns poucos chegam a possuir o que nunca vão consumir. Multidões não têm sequer o que comer. Essa realidade me preocupa, caros formandos.
Dito isso, aqui vai o meu pedido: agora que se formam e vão lidar com a prática social que é o ato de ensinar, por favor, ensinem-nos a abrir a mão -não podemos continuar nos igualando a primatas...
Sim, contribuir para que desaprendamos o egoísmo?... Isso agora é com vocês! Parabéns e coragem! Muita coragem!
Abraços, sempre!
Wilson Correia
Enviado por Wilson Correia em 16/11/2006
Reeditado em 14/07/2011
Código do texto: T292536

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Wilson Correia
Amargosa - Bahia - Brasil
1192 textos (498979 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 12:06)
Wilson Correia