CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

EMPREGO DO VERBO HAVER IMPESSOAL

_______________________________________________________

Verbos & Dúvidas

Todo verbo que se usa apenas na terceira pessoa do singular se diz impessoal. Sendo assim nenhum deles tem o sujeito.

O verbo haver pertence à família dos impessoais, embora possa ser usado de forma pessoal. Como impessoal ele permanece sempre na terceira pessoa do singular seja qual for o tempo e o modo verbal.

O VERBO HAVER É IMPESSOAL QUANDO SIGNIFICA:

1. Existir – é muito freqüente o uso de haver no sentido de existir:

   muitos pobres no Brasil. [há = existem]

   Nas duas cabeças havia as mesmas idéias. [havia = existiam]

   Quantos sonhos havia na ingênua cabecinha. [havia = existiam]

Neste caso, o substantivo que acompanha o verbo haver é objeto direto e não sujeito. Na primeira frase, por exemplo, pobres é objeto direto de .

Fique, porém, bem claro que a permanência do verbo na terceira pessoa do singular se refere a haver, não a existir. Se empregarmos existir, a concordância se fará normalmente: Existem muitos pobres no Brasil. Pobres é o sujeito de existem (o verbo com ele concorda).

2. Acontecer, Suceder, Realizar-se:

   Houve lances heróicos na vida de Tiradentes. [aconteceram]

   Não haja desavenças entre vós. [haja = aconteçam]

   Houve [realizaram-se] mais dois simpósios para discutir o tema.

   Houve festas e jogos. [houve = sucederam]

3. Decorrer, Fazer, com referência a tempo passado:

   meses que não o vejo. [há = faz]

   dois dias que não chove. [há = faz]

Quando o verbo que acompanha haver estiver no pretérito imperfeito ou mais-que-perfeito, deve-se usar havia e não . Regra prática: substitua o verbo haver por fazia e se for possível à substituição, use havia:

   Ele estava ali havia [fazia] muito tempo. (e não há)

   Ele estivera ali havia [fazia] muito tempo. (e não há)

   Havia [fazia] meses que a escola estava fechada.

   Morávamos ali havia [fazia] dois anos.

Observe que nesses exemplos temos ações que se encerraram; o "há" indicaria que elas prosseguem.

4. De Há Muito (= desde muito tempo, há muito tempo):

   De há muito que esta árvore não dá frutos.

   De há muito não vou a sua casa.

   De há muito que não saio de casa.

5. Haja Vista = Veja, é absolutamente invariável no português contemporâneo, portanto nunca haja visto, hajam visto:

   Haja vista os acidentes que tem havido.

   Haja vista as reformas efetivadas na casa.

   Haja vista o temporal ontem.

6. Transmissão de Impessoalidade – O verbo haver transmite a sua impessoalidade aos verbos (auxiliar) que com ele formam locução. Estes, por isso, permanecem invariáveis na terceira pessoa do singular:

   Deve haver muitas pessoas ali.

   Começou a haver reclamações.

   Não costumava haver muitos acidentes naquela esquina.

OBSERVAÇÕES FINAIS:

1. Há Cerca De deve ser usado no lugar de aproximadamente, desde mais ou menos: Há cerca de dois anos estive em São Paulo.

   Partiu há cerca de 20 minutos.

2. Há... Atrás – O uso do rejeita o atrás quando se refere a tempo:

   seis anos atrás fui contratado pela empresa. (redundante):

   seis anos fui contratado pela empresa. [correto]

   Seis anos atrás fui contratado pela empresa. [correto]

3. Há / A – Não empregue há, mas sim a preposição [a], para indicar distanciamento no tempo ou no espaço:

   As eleições ocorrerão daqui a dois meses [distância = 2 meses]

   O avião voava a mil metros de atitude.

   O atirador estava a dois metros de distância.

4. Há Tempo / A Tempo – Na locução há tempo, o pode ser substituído por faz ou existe: Ele chegou (faz) tempo. / (existe) tempo de sair e tempo de ficar. Na locução a tempo o [a] é preposição. Para fazer a verificação basta substituir o [a] por outra preposição (e nunca por faz):

   Chegou a [com] tempo de assistir ao jogo.

   Saiu a [com] tempo de não participar da briga.

Outra distinção é que, nas indicações de tempo, emprega-se o verbo haver quando relacionado com o passado. Se a idéia é de tempo futuro, desaparece a forma verbal [há] para ceder lugar à preposição [a]:

   Daqui a tempos ocorrerão novidades.

Observe que o verbo da expressão temporal há tempo não se alterará se a palavra tempo vier no plural: Há tempos que te procuro.

5. Ter Por Haver – É freqüente, até nos meios mais cultos, o emprego vulgarizado do verbo ter por haver (no sentido de existir). Não é raro encontrarmos frases como: Tem (em vez de há) determinados assuntos...

   Não tem (em vez de não há) verba suficiente...

Em situações informais é possível o emprego de tais frases. Entretanto construções como estas devem ser evitadas. ®Sérgio.

__________________________________

Para maiores informações sobre o assunto ver: Eduardo Martins, Manual de Redação e Estilo. / Domingos Paschoal Cegalla, Novíssima Gramática da Língua Portuguesa; Editora Nacional, 2005.

Se você encontrar omissões e/ou erros (inclusive de português), relate-me.

Agradeço a leitura e, antecipadamente, qualquer comentário. Volte Sempre!

Ricardo Sérgio
Enviado por Ricardo Sérgio em 05/11/2008
Reeditado em 28/06/2013
Código do texto: T1268177
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Ricardo Sérgio
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 66 anos
1281 textos (14113448 leituras)
7 e-livros (5914 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/07/14 19:31)