CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

REGÊNCIA VERBAL – PARTE UM

______________________________________________________

Verbos e Regências

 

Regência verbal é o mecanismo que regula as ligações entre um verbo (termo regente ou subordinante) e seu complemento (termo regido ou subordinado) que lhe completa ou amplia o sentido:

   Assistimos (regente) ao desfile (regido = complemento).

Na realidade o que estudamos na regência verbal é se o verbo comporta-se como intransitivo, transitivo direto e/ou indireto, e qual a preposição relacionada com ele. Para saber mais: O Verbo Transitivo na Regência Verbal (clique no link).

ALGUNS VERBOS E SUAS REGÊNCIAS

Este estudo relaciona apenas a regência mais usual dos verbos; para os que possam dar maior margem a dúvidas, definimo-nos, em alguns casos, por uma delas, entre duas ou mais possíveis.

Abreviaturas usadas na Regência dos Verbos: TD (= transitivo direto). TI (= transitivo indireto). / TDI (= Transitivo direto e indireto).

Abraçar (= apertar entre os braços / adotar / seguir / escolher) é TD:

   Muitos ainda abraçam as idéias comunistas.

   A população abraçou a causa.

Abraçar (= pronominal) é TI: Marilena abraçava-se no tio.

   Quando melhorou, abraçou-se à menina.

   Abraçou-se contra o seio da mãe.

Observação: Segundo Rocha Lima¹, admite este verbo variadíssimos empregos. Aqui não estão assinalados por serem uns arcaicos, e outros pouco usados.

Acordar (=tirar do sono, fazer despertar) é TD:

   Acordamos debaixo de um temporal.

Observação: no sentido de ajustar, combinar, acertar, resolver (de comum acordo), prefira uma destas formas acima: As partes combinaram, resolveram...

Abdicar (= desistir, renunciar ao poder, cargo, título, dignidade) pode ser TD e TI (preposição de): Não abdicarei meus direitos.

   Não abdicarei [de] meus direitos. [prefira esta regência]

   Eu não abdico de minha autoridade.

Aconselhar (alguém, alguma coisa) é TD: O pai aconselhou o filho.

Aconselhar (alguma coisa a alguém ou alguém a alguma coisa) é TDI. Use-o com a preposição [a]: Aconselhou repouso [ao doente].

   Todos o aconselharam [a esperar].

Advertir (= refletir, considerar, notar, deduzir) é TD:

   Adverti que valeria a pena... / Mas adverti que ele era manhoso.

   O pai advertiu severamente os filhos.

Advertir (= reparar, atentar, observar) é TI:

   É preciso advertir nos inconvenientes.

   Não adverti num pormenor.

Advertir (= repreender, avisar, prevenir) é TDI:

   Adverti o aluno da dificuldade da prova.

   O governo adverte o país dos riscos da recessão.

Observação: Com as preposições para, sobre e contra, use alertar.

Agradar (= satisfazer, contentar) e DESAGRADAR são TI, quando o sujeito da oração é nome de coisa. Use-o com a preposição [a]:

   A canção agradou ao público.

   O jogo está agradando ao torcedor.

   O Jogo desagradou ao torcedor.

Agradar (= fazer carinho, acariciar, mimar, afagar) é TD quando o sujeito da oração é nome de pessoa. Use-o sem preposição:

   O pai agrada os filhos. [alguém agrada alguém]

Agradecer é TI para pessoa (prep. "a"), e TD para coisa:

   Agradeço a audiência (coisa) aos ouvintes (pessoa).

Também é possível usar agradecer a alguém por algo. Neste caso, o verbo é TI pessoa, acompanhado do adjunto adverbial de causa (o motivo pelo qual se agradece): Agradeça a Deus por estar vivo.

Frases há que só apresentam o objeto direto de coisa ou só o objeto indireto de pessoa: Já agradeci aos que me ajudaram. Já agradeci o presente.

Almejar e Amar são transitivos diretos: Ele amava o pai.

   Carlos almejava uma carreira melhor.

Ajudar (alguém, prestar ajuda, auxiliar) é TD: Antônio ajudou o pai.

   Sempre ajuda os amigos. Óculos ajudam a leitura.

Ajudar (alguém a, em) é TDI: Ajudou a mãe [a sair].

   Ajudou o escritor [nas pesquisas].

   Ele o ajudou a conseguir emprego.

Ansiar (= desejar ardentemente) é TI. Use-o com a preposição [por]:

   Ansiou por ir ao seu encontro. / Ansiava por me ver fora de casa.

Ansiar (= causar mal-estar, angustiar) é TD:

   Todos ansiamos dias melhores.

   O cansaço ansiava o trabalhador.

Apelar – Use-o com a preposição [a] ou [para]:

   Ele apelou aos amigos. Quando precisa, apela para os amigos.

Na área jurídica, no sentido de interpor recurso, use-o com a preposição [de]; [de... para]: O réu apelou da sentença para o juiz.

Aspirar (= desejar, pretender) é TI. Use-o com a preposição [a]:

   Nunca aspirei a esse cargo. / O rapaz aspira a uma promoção.

Aspirar (= inalar, sorver, tragar, absorver) é TD: Aspirou o ar cálido.

   Há máquinas que aspiram o pó do assoalho.

Importante: Se for usar um pronome, use apenas a ele(s); a ela(s), e não lhe, lhes: O cargo ficou vago, mas não aspiro a ele. (e não: lhe aspiro)

Assistir (= socorrer, ajudar) é TD. Use-o sem preposição:

   O médico assiste o doente. / Enfermeiras assistiam as vítimas.

Assistir (= presenciar, estar presente a, ver, caber) é TI. Use-o com a preposição [a]: Por que não assiste às aulas?

   Assiste ao prefeito o dever de resolver esse problema.

A exemplo de aspirar, o verbo assistir não aceita [lhe] nem [lhes].

Atingir é TD: O frio atingiu o (e não ao) nível mais intenso.

   A novela ainda não atingiu o clímax. ®Sérgio.

Para ter acesso a primeira Parte dos Exercícios, clique AQUI!

Para a Segunda Parte, clique AQUI!

Veja Também (clique no Link):

Regência Verbal (2) - Verbos e Regências.

Regência Verbal (3) – Verbos e Regências.

Regência das Formas Pronominais

O Verbo Transitivo na Regência Verbal.

________________________________________

Ajudaram na elaboração deste trabalho: CEGALLA, Domingos Paschoal. Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa. Ed. Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 1996. / LUFT, Celso Pedro. Dicionário Prático de Regência Verbal. São Paulo, Ática, 1987.

Se você encontrar omissões e/ou erros (inclusive de português), relate-me.

Agradeço a leitura e, antecipadamente, qualquer comentário. Volte Sempre!

Ricardo Sérgio
Enviado por Ricardo Sérgio em 21/12/2005
Reeditado em 12/08/2012
Código do texto: T88821
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Ricardo Sérgio
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 66 anos
1281 textos (14386103 leituras)
7 e-livros (6020 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 30/08/14 21:15)