Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CONVERSA COM O RESSUSCITADO

Te amo, Ressuscitado.

Gosto de ti altivo, caminhando sobre as águas, verbo fazendo-se carne, dominando os ventos, abrindo os mares, virando mesas no templo, fazendo valer a função da casa do Pai!

Gosto de ti, menino -  correndo pelo chão da Galiléia. Usavas túnica de tecido crú abotoada nas costas? Matavas passarinho? Ou curavas suas asas feridas soltando-os para voar no céu infinito? Nenhuma arte, da mãe nunca levaste pito?

Tiveste dúvidas e tentações, ou sempre viveste sob o manto da perfeita consciência?

Gosto de ti conversando em segredo com teus discípulos, chamando-os de amigos, revelando no calor da tua presença, a intimidade do teu saber.

Gosto de ti no cenáculo, ceando junto, dividindo o pão, passando o vinho.

Perdoe-me. Não gosto de ti humilhado, ensangüentado, escarrado, xingado.

Gosto de ti desafiando escribas, adivinhando-lhes pensamentos e atitudes, desnudando suas almas, expondo fraquezas, hipocrisias.

Tua paixão me oprime. Faz-me virar o rosto, mesmo conhecendo teu sofrimento como resgate da dignidade dos homens.

Gosto de te amar livre, caminhando longas distâncias, queimado pelo sol, seguro, determinado, sábio.

Adoro-te ressuscitado, com fachos de luz irradiados do teu peito, da tua cabeça, de todo o Ser. Sou aquela mulher perplexa diante da tua aparição ao lado do túmulo onde removeste a pedra de tua missão. Transfigurado, um pouco mais, és o Deus.

Gosto de ti aparecendo a Tomé, este exercendo seu pragmatismo.

Gosto de ti promovendo as mulheres. Na companhia delas. Comendo com pecadores,  até chorando pela morte do amigo Lázaro eu te amo. Adoro-te ressuscitando-o.

Teu sofrimento me oprime, me envergonha. Seria eu o soldado a feri-lo no peito? Vejo-me na figura de Pedro em tri-negativa. Constrange-me e conforta-me quando me alcanças, mesmo covardemante escondida entre pilares, ou no meio da multidão, resgatando-me com teu olhar voltado para mim, ao peso da tua cruz. E ainda para elevar-me à altura do teu amor, me faz responder três vezes: Tu me amas? Me amas? Amas? Sim. Amo, amo, amo.

Amo-te aqui comigo, no meu coração. No coração dos Homens.

Gosto de ti perfumado por Maria.

Adoro-te junto ao Pai, uno com Ele, chegando à loucura para salvar os teus. Eternamente intercedendo por nós.

Gosto de ti – Verdade, Luz. Eu sou.

30/09/2005
DIANA GONÇALVES
Enviado por DIANA GONÇALVES em 01/10/2005
Reeditado em 01/10/2005
Código do texto: T55299
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ((Diana Gonçalves - pseudônimo) http://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=1908). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
DIANA GONÇALVES
São Paulo - São Paulo - Brasil
647 textos (753003 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 20:40)
DIANA GONÇALVES

Site do Escritor