Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PSEUDO-POLÍTICO

Balança pra lá, balança pra cá
Nem cai, nem sai
Sobe no muro, fica em cima
Não desce nem toma partido
A não ser que isso lhe beneficie
Tira proveito de tudo
Não trabalha em prol do povo
Mas do seu próprio bem
Promete mundos e fundos
Vive no luxo e na mordomia
Suga o dinheiro público
Se aproveita do nepotismo
Entope as instituições públicas
Da incompetência familiar
Promove um festival de absurdos
Faz tudo o que não deveria
Termina o mandato
Com sorriso nos lábios
Na certeza de ser reeleito
Pela bondade e ingenuidade
Do povão “despolitizado”
Porque no Brasil
A balança só pende
E a corda só rompe
Do lado mais fraco.
As leis foram criadas
Para permanecerem no papel.
A justiça existe para punir
Pobres, negros e índios.

* * *

Publicado na seção Fotopoemas no Planeta Literatura.


Selma Amaral
Enviado por Selma Amaral em 01/03/2006
Reeditado em 02/03/2006
Código do texto: T117124
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Selma Amaral
Arcoverde - Pernambuco - Brasil
275 textos (56056 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 22:39)
Selma Amaral