Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Areis Claras

Há uma montanha
De areias claras
No Pirinel.
Quase inteirinha roubada
Pela ganância de construtores anônimos
Que vão ferindo, matando e roubando o belo de Deus.
No Pirinel as casas são miúdas
Como que enterradas
E trazidas à realidade
De suas ruas ternas,
Desfolhadas e forradas de pedrinhas...
Outras,
Ladeiras íngremes
Com chão de barro semi-morto
Desvirginado pela erosão
Do muito, muito tempo passado.
As casas miúdas não sorriem
Permanecem caladas.
E contemplam com olhos mortiços
Um passado branco e sem asfalto
Feito de densas dunas
De uma linda e rara areia clara
Cuja existência os homens
Aniquilaram,
Para sustento dos seus andares.
Enqunto isso
As casas miúdas e afuniladas
Olham-nos hoje
Sem sorriso e com saudades
Mutiladas que foram
Silenciosas cartas marcadas
De um passado alegre e calmo
Por causa
Do vento
Que dava forma
Àquelas lindas areias claras.
Mírian Pinto de Souza
Enviado por Mírian Pinto de Souza em 25/10/2006
Código do texto: T273157
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mírian Pinto de Souza
Alagoinhas - Bahia - Brasil, 63 anos
13 textos (296 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:42)