Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ASAS QUEBRADAS

É... Não tem jeito mesmo!
Risco, rabisco e nada se forma.
Entre linhas, não há razões, não há rimas;
Entre os anseios, não há poesia.

Procuro, vasculho, jogo tudo para o ar,
Como quem remexe uma gaveta,
tentando encontrar as luvas, ou o manto,
Tentando salvar a vida... o pulsar...

Desisto. O vazio me consome.
As rimas se foram, me abandonaram.
A inspiração permanece tão distante,
Que parece jamais ter sido presente.

Será que antes, em outros tempos,
Alguma força inexplicável me tomava?
Será que, por descuido, lá dos cèus,
Alguma benção caía e sobre mim pairava?

Ou será que existe mesmo, fada madrinha,
E que sempre ao meu lado, por algum motivo,
Comigo decepcionou-se e foi-se embora,
Com a intenção de jamais voltar?

De um jeito ou de outro, tudo acabou.
É como o tempo, que senhor dos dias,
Vem e passa, sem olhar para trás,
Deixando apenas nas lembranças... a vida!
RÚBIA BOURGUIGNON
Enviado por RÚBIA BOURGUIGNON em 11/10/2005
Código do texto: T58710
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
RÚBIA BOURGUIGNON
Vila Velha - Espírito Santo - Brasil, 55 anos
193 textos (20241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 07:01)