Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Chove em mim...

Inunda chuva molhando meu ser
Umedecendo o solo do escrever
Germinando vaga a triste realidade.

Lacrimejada nos olhos de quem lê;
E chora o Poeta a tamanha saudade
Descrita no tempo do não sabe por quê.

Que nas pardacentas folhas da idade
O Vento sopra á noite ruelas de mim
Enclausuradas na cruel infelicidade...

Ateando a poeira mundana no argüir
Os traços deixados no caminhar
Rimas crivadas dum amor sem fim...

Refaz o pulsar de o imo a premunir,
A tempestade de nuvens a entoar
O redivivo borrão, chovido nanquim.

Insistem mostrar o negrume ao luar
Chuvosos versos bordando marfim
Lembrar das gotas, pérolas a tilintar...

Sussurram colchas nas eras do cetim
pros catres que te chamam sem ouvir
a vaguear pelas ruas nas noites sem fim...

Chove o peito da paixão por não sorrir
os momentos nebulosos vindo do mar
A carpirem ondas de o amargo existir.

“A Poetisa dos Ventos”
Deth Haak
Cônsul Poeta Del Mundo - RN
SPVA-RN. Sociedade dos Poetas Vivos e Afins
AVSPE

Deth Haak
Enviado por Deth Haak em 30/09/2007
Reeditado em 30/09/2007
Código do texto: T675147
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Deth Haak
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 58 anos
547 textos (67127 leituras)
50 áudios (10207 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 04:19)
Deth Haak