Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FLORES PARA UMA CONDESSA









Hoje o sol despertou mais cedo...
A claridade foi tão intensa que
As plantas sorriram, e duplicaram
os seus perfumes.
E, da minha alameda escutei o canto
dos pássaros,
E, foi tão indefinível que os céus soltaram
suas luzes de diamantes por todas as cordilheiras
e pela minha pátria.
A tua beleza eletriza a natureza...
Azuleja o dia, e o firmamento fica feliz.
Ó tu que as estrelas a admiram tanto,
Que o sol concede a delícia e a doçura de sua luz.
Que os mares encantam-se na total plenitude.
Ó tu que roubaste as chaves da minha porta e janelas.
E aprisionaste a minha noite.
Hoje o meu planeta acendeu a chama do pecado.
E a claridade dos teus olhos indicou-me o teu
Imperioso castelo, onde diante de ti estenderei,
o meu tapete vermelho, para que possas ascender-se.
de condessa a rainha dos castelos dourados.
Ó, condessa...
Trago-te flores,
E, um coração em festa, para celebrar o teu triunfante
outono e a tua indivisível primavera.

Para a poetisa que é condessa.

ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 10/11/2007
Reeditado em 19/11/2007
Código do texto: T731278
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
ALBERTO ARAÚJO
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
3130 textos (157674 leituras)
33 áudios (3188 audições)
35 e-livros (6651 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 01:10)
ALBERTO ARAÚJO

Site do Escritor