Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DEVANEIOS DE UM TOLO

Tantas foram as promessas... tão lindas!
As esperanças, então... quão divinas!
Tomaram conta de mim.
Intensa felicidade...
Era isso o que eu sentia,
Ao saber que tu já vinhas.

Como pôde, portanto, ser tão cruel...
Covardemente, e com tão falso mel,
Banhar meus sonhos assim?
Se, só querias a carne,
Só querias, na verdade,
fazer-me muito infeliz!

Tão covarde esse maldito,
Que já não suporto o castigo
De estar em seus braços, outra vez!
Tão cego e tão alienado,
Que nem se dá conta, o ingrato,
De sua própria insensatez...

Pois só um insensato trocaria
Sinceros sentimentos, por apenas sexo.
Só um tolo desperdiçaria,
Tanto amor verdadeiro, tanta paixão!

Potanto, como posso, meu Deus, aceitar
O  uso do meu corpo, sem que me pasme,
Assim, horrorizada, ao constatar
Que ele esqueceu meu coração?

Como fazê-lo entender? como não me revoltar?
Se o amo tanto e não passo de apenas carne,
Por que tinha, então, de amar?

Como fazê-lo deixar desse proceder tão louco,
Se mais vale a pena ter-me por completo,
Já que é assim, tão prisioneiro do meu corpo?!

RÚBIA BOURGUIGNON
Enviado por RÚBIA BOURGUIGNON em 14/10/2005
Reeditado em 20/10/2005
Código do texto: T59640
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
RÚBIA BOURGUIGNON
Vila Velha - Espírito Santo - Brasil, 55 anos
193 textos (20242 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 11:43)