Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Seis lustros sem Maria Callas

'Ce qu’il nous faut pleurer sur ta tombe hâtive,
Ce n’est pas l’art divin, ni ses savants secrets:
Quelque autre étudiera cet art que tu créais;
C’est ton âme, Ninette, et ta grandeur naïve,
C’est cette voix du coeur qui seule au coeur arrive,
Que nul autre, après toi, ne nous rendra jamais.'
“À la Malibran” (1836), de Alfred de Musset

Há seis lustros nos deixaste
(Foi contigo a tua voz),
Mas os discos que gravaste
São consolo a todos nós.

Ao Bel Canto tu trouxeste
Nova vida, nova glória.
Tal presente que nos deste
Certamente entrou p’r’a História.

Tu, Divina, és magnífica,
Deusa augusta sem rivais.
Com tua voz mais que específica
Cada dia encantas mais.

Não morreste de verdade,
Pois jamais tu morrerás.
E no cor da Humanidade
Para sempre viverás!

Itatiba, 16 de Março de 2007
José Luiz Águedo Silva
Enviado por José Luiz Águedo Silva em 23/09/2007
Código do texto: T665591

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Luiz Águedo Silva
Itatiba - São Paulo - Brasil, 35 anos
33 textos (768 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 04:10)
José Luiz Águedo Silva