Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O CANTO DO CISNE

Adeus Amiga — não é mais querida —,
Aquele termo que empolgava a vida
Agora não me é dado pronunciar.
Não mais teremos “xõ”, “pera”, “zilhões”,
Nem “tricôs”, “amuado” nem chavões,
Tantos risos e um doce bem-estar.

Tudo acabou. Foi tímida ilusão.
É muito triste. Explode coração!!
Agora é noite escura, tenebrosa.
Pra uma vida tão curta, sem alento,
É tão longo e nefasto o sofrimento
Ao fim de fantasia tão gostosa!

Liberta agora, minha doce amiga,
Não tem mais meu ciúme à moda antiga
E tantas brigas que a chateavam muito.
Vai retornar ao vin e ao que quiser,
Pois é livre, rainha e mais mulher.
O mundo lhe será leve e gratuito.

A mim resta nadar sozinho e triste,
Se é que meu coração inda resiste,
No lago azul onde a água já se tisne,
Qual cisne que perdeu sua parceira
E nunca nada mais, a vida inteira,
Nem canta alegre ao lado de outro cisne!
Lucan
Enviado por Lucan em 07/10/2006
Código do texto: T258561
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lucan
Salesópolis - São Paulo - Brasil, 85 anos
1985 textos (86939 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 20:55)
Lucan