Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ferrugem e Primavera

A fechadura da porta do passado rangeu,
resistindo à chave de ferrugem,
cedendo afinal.
Temor imenso de que se abrisse totalmente,
e não pudesse suportar o cheiro de primavera,
cheiro de saudade.
Enorme o desejo de penetrar pela fresta,
de ser envolvida pela luz da manhã.
Luz das manhãs de ontem.
Reconhecer e rever a pureza do sorriso,
que já era um pouco triste,
mas nem tanto quanto hoje.
Impetuoso o gesto escancarando a teimosia da porta.
Corajosos passos envolvidos por algodão,
para não acordar os fantasmas.
Calor daqueles tempos retidos na memória,
Ainda agora aquecendo só um pouco,
pouquíssimo, mas quase suficiente.
No retorno necessário, súbita a decisão:
jamais trancar a porta,
encostar apenas,
dizendo um “até logo”, “até amanhã” quem sabe.
Para voltar novamente,
sem ferrugem, sem ranger e sem doer...
Izabel Martho
Enviado por Izabel Martho em 31/05/2005
Código do texto: T20984

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Izabel Martho
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil
22 textos (2712 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:38)
Izabel Martho