Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O FrÁgil Requinte dO SilênciO

Qualquer um pode ter um segredo. Fazer-se estar em silêncio. Coibir-se algemando as disformidades da própria verdade com a impudência da mentira alheia. Escoar-se de toda e qualquer inquirição e lançar-se na inquisição de uma liberdade apática e vigiada. Tornar a franqueza uma quimera. A confidência um veto. A confissão uma heresia. Destruir as evidências e não usar aspirinas, porque não existe um antídoto contra a penitência do calar-se inevitável.

O sigilo absoluto é o fardo que carrega o mártir.

Para que a palavra não o confunda.
O olhar nunca o denuncie.
A consciência jamais o traia.
A culpa de modo algum o persiga.
O medo em tempo algum o condene.

Espião de si mesmo, este escravo da omissão será sempre um nômade.
Lacônico, porém de muitos subterfúgios.
Constantemente preocupado em olhar para os lados e falar baixinho.
Indiferente ao humor e alérgico a telefone, cartão de crédito e animal de estimação.
Que prefere enlatados porque vive a suspeitar dos entregadores de pizza.
Que contracena com o seu próprio reflexo no espelho atrás do divã.
E faz amor com mulheres de cabaré.

Armado com cortina, abajur, controle-remoto e uísque, tudo parece perfeito.
Mas as paredes têm ouvidos.
Angello
Enviado por Angello em 13/08/2006
Código do texto: T215294
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Angello
Salvador - Bahia - Brasil, 36 anos
13 textos (432 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 17:51)
Angello