Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Risco

Tenho em mim o desejo de desvendar os mistérios da humanidade.  Retirar todas as máscaras que escondem e fingem proteger as pessoas umas das outras.
Sou condenado por expor o que sinto;
Sou traído por minha própria franqueza, mas não desisto.
Continuo me transparecendo em sentimentos, intenções e desejos.
Seria muito covarde e simplesmente impossível reter essa fonte incessante de afeto e carinho e amor e saudade e esperança que trago em meu peito.
Externo todo o sentimento contido para mais tarde não me tornar uma caldeira purgadora de arrependimentos e frustrações.
Me ofereço inteiro, nu e cristalino, pois é assim que vivo.
De outra maneira, eu não seria exatamente Eu.
A vida está aí para isso:
Tentar, tentar e tentar.
Tenho pena de quem desiste na primeira encruzilhada, no primeiro “talvez” e prefere adotar o “não” como uma bela máscara que o impeça de sofrer.  Sofrimento maior é de quem sucumbe ao medo e fica estagnado, pára no tempo e, o que é inevitável, perde a sua identidade.
Por mais que me arrisque, por mais que mergulhe nas possibilidades, ainda assim continuo tentando, até achar o que realmente aspiro, que não sei onde está, mas certamente saberei o que é, quando o for.
Como diz a “poeta”:  Quem sabe o que procura, compreende o que encontra.” *
*Frase de Elisa Lucinda

José Abbade, in BAGAGEM DE MÃO - poesia em verso e prosa,
Editora CEPA, Salvador, 2007

José Abbade
Enviado por José Abbade em 13/01/2006
Reeditado em 26/01/2008
Código do texto: T98149

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (José Abbade). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Abbade
Salvador - Bahia - Brasil, 41 anos
16 textos (516 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 16:11)
José Abbade