CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

ANÁLISE HISTÓRICA DO CONTEXTO DO FILME: “DAENS - UM GRITO DE JUSTIÇA”

ANÁLISE HISTÓRICA DO CONTEXTO DO FILME: “DAENS - UM GRITO DE JUSTIÇA”


1) O FILME:
O filme DAENS se passa no final do Século XIX, em Aalst – Bélgica, uma pequena cidade flamenga, onde se iniciam as primeiras rebeliões dos trabalhadores da Industria por melhores condições de trabalho. Nessa época ainda não haviam leis que garantissem os direitos trabalhistas e o papel da Igreja com sua doutrina social “Rerum Novarum” (1) era muito importante para a sociedade.

Na Bélgica não existe um idioma belga. As pessoas falam dois idiomas: na metade norte do país, o holandês e na metade sul, o francês. A explicação está em que o país abriga duas comunidades de origens diferentes, a flamenga (ao norte) e a vala (ao sul). Por esse motivo, os operários do filme falavam em idioma diferente ao da classe mais privilegiada (a burguesia), no caso o Francês.

Essa comunicação dificultava ainda mais a vida dos trabalhadores.



A história começa a mudar naquela cidade (Aalst – Bélgica) com a chegada do Padre Daens que é designado para assumir a Igreja local.

Completamente sensibilizado com as críticas condições de miséria da população, o seu lado revolucionário é aceso e ele tenta mudar a consciência que imperava entre os oprimidos da sociedade, ou seja, de total subserviência à burguesia.

Utilizava-se do jornal católico para incitar o povo a lutar por seus direitos contra as injustiças que estavam sendo submetidos, mas se mantinha em uma condição delicada entre a sua fé e sua conscientização política.



Para defender e representar o interesse do povo, o Padre Daens se candidata a deputado pelo Partido Social Cristão e instrui a população, analfabetos em sua maioria, a usar o poder do voto que, para mim, é o ponto alto do contexto histórico do filme.

A ampliação do sufrágio, ao ser adotado, permitiu que o povo exercesse sua soberania pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, nos termos da lei.

Através do voto, o povo começou a ter condição de escolher seu(s) representante(s) para o parlamento.

Nesse período, se inicia a passagem do Estado Liberal para o Estado Social garantidor dos direitos.







PESQUISA
Rerum Novarum



(1) A condição operária, a relação entre trabalho e capital, patrão e empregado, é tratada nesta encíclica de Leão XIII. Um dos marcos da doutrina social da Igreja, a Rerum Novarum reforça o direito à propriedade e a harmonia entre as classes sociais. Ela condena a solução socialista que instiga nos pobres o ódio contra os que possuem, condena os que pretendem que toda a propriedade de bens particulares deve ser suprimida, que os bens de um indivíduo qualquer devem ser comuns a todos, e que a sua administração deve voltar para os Municípios ou para o Estado.)











2) A EXPLORAÇÃO DAS MULHERES E CRIANÇAS:



Os trabalhadores eram escravizados, principalmente as mulheres e crianças que, mesmo cumprindo uma carga horária trabalhada de até 14 e 16 hrs. por dia, tinham seus salários reduzidos com o pretexto de não possuírem força física suficientes.

A mortandade ocorria em grade escala.

As mulheres formavam mais da metade da massa trabalhadora. Crianças começavam a trabalhar aos 6 anos de idade... Não havia qualquer garantia...

A mecanização (utilização de máquinas), desqualificava o trabalho, o que tendia a reduzir os salários...

Pessoas se entregavam ao alcoolismo pelo desespero da miséria que eram submetidos.

Enquanto isso, os burgueses, o governo e a Igreja organizavam uma defesa militar para proteger as empresas e o poderio desmedido.







3) O SOCIALISMO

O movimento socialista começa a incitar o povo às mudanças e a luta das classes pelos seus Direitos, através de jornais e informativos.

O Socialismo é uma doutrina que preconiza a propriedade coletiva dos meios de produção (terra e capital), e a organização de uma sociedade sem classes.





4) O PAPA LEÃO XIII



O Papa Leão XIII nega receber o Padre Daens e lhe envia uma carta com partes da Encíclica (Carta circular do Papa ao mundo católico).

Decepcionado, DAENS retorna a Aalst e tenta explicar ao povo que todos deveriam continuar a luta.

A Igreja, porém, na figura do Bispo, envolvido pelas artimanhas dos industriais, solicita o afastamento do Padre DAENS de suas funções eclesiásticas.

Mais uma vez a Igreja demonstra que protege o poder em detrimento à justiça social.



Parte da Encíclica do Papa LEÃO XIII . (PESQUISA)

"Não ajudar o socialismo - 34. Tomai ademais sumo cuidado para que os filhos da Igreja Católica não dêem seu nome nem façam favor nenhum a essa detestável seita" (Quod Apostolici Muneris, no. 34).

"Porque enquanto os socialistas, apresentando o direito de propriedade como invenção humana contrária a igualdade natural entre os homens; enquanto, proclamando a comunidade de bens, declaram que não pode tratar-se com paciência a pobreza e que impunemente se pode violar a propriedade e os direitos dos ricos, a Igreja reconhece muito mais sabia e utilmente que a desigualdade existe entre os homens, naturalmente dissemelhantes pelas forças do corpo e do espírito, e que essa desigualdade existe até na posse dos bens. 29. Ordena, ademais, que o direito de propriedade e de domínio, procedente da própria natureza, se mantenha intacto e inviolado nas mãos de quem o possui, porque sabe que o roubo e a rapina foram condenados pela lei natural de Deus" (Quod Apostolici Muneris, - Encíclica contra as seitas socialistas, no. 28/29).



5) A IGREJA



A Igreja por temer o desprestígio do povo e, conseqüentemente a entrada do Socialismo que diminuiria o seu grande poder, tendo como aliado principal os industriais e a burguesia em geral, deixava que o Padre DAENS travasse uma luta solitária sem qualquer apoio.



6) CONCLUSÃO:

Um fio de esperança e de justiça para as futuras gerações eram alimentadas através da luta do Padre DAENS.

Os oprimidos teriam esperança de que seus Direitos seriam respeitados e uma Sociedade mais justa se ergueria das cinzas que representavam a dor, a miséria e a infelicidade dos povos.

MEG KLOPPER
Enviado por MEG KLOPPER em 03/09/2006
Código do texto: T231481

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Enviando um e. mail solicitando autorização.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre a autora
MEG KLOPPER
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
310 textos (898992 leituras)
38 áudios (68520 audições)
3 e-livros (3123 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/08/14 06:05)