CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Onze Homens e Um Segredo - Estratégia e Planejamento

Esta é uma análise do filme “Onze Homens e Um Segredo” que privilegia a visão administrativa. Inicialmente, com a intenção de esclarecer o contexto geral, são apresentados os acontecimento do filme de forma minuciosa. Ao longo do texto percebe-se referência a diversos temas considerados como prioritários para os teóricos contemporâneos da Administração de Empresas como: estratégia, planejamento; liderança; recursos humanos (seleção de pessoal e treinamento); trabalho em equipe; motivação; relações interpessoais; ambiente de trabalho e comunicação.

1. O ROTEIRO DO FILME

O enredo de “Onze Homens e Um Segredo” conta a história do planejamento e execução de um assalto ao cofre central de três cassinos localizados na cidade de Las Vegas. Paralelamente, são enfocados os problemas pessoais de Danny Ocean (George Clooney), sua condição de ex-presidiário em liberdade condicional e sua relação com a esposa (Tess, Julia Roberts) que o abandona devido ao seu envolvimento com práticas criminosas.

Na cena inicial Danny é interrogado por oficiais da Prisão Estadual de Jersey, que avaliam se devem conceder a ele a liberdade condicional. Quando questionado sobre os motivos que o levaram a cometer o golpe pelo qual foi condenado, Danny menciona o abandono da esposa e o sofrimento que o teria levado a um processo auto-destrutivo. Ao deixar a penitenciária, em liberdade condicional, ele recebe os pertences que foram guardados na ocasião de sua prisão, entre eles sua aliança de casamento.

Uma vez em liberdade,  o primeiro ato de Danny é localizar um antigo amigo, Rusty Ryan (Brad Pitt) e, para tanto, estabelece contato com um crupie, Frank, que trabalha sob um nome falso em um cassino. Frank também já esteve envolvido em antigos golpes e por esta razão esconde seu verdadeiro nome. Tendo conseguido informações sobre o paradeiro de Rusty e violando a liberdade condicional, que não permite sua saída do estado, Danny viaja para a Califórnia à procura do amigo. Já na Califórnia, localiza Rusty que também estava trabalhando em um cassino, treinando jovens atores de Hollywood (que faziam pesquisa de campo) na “arte” de se jogar pôquer.

Danny propõem a Rusty um  desafio: assaltarem três cassinos na cidade de Las Vegas.  “É arriscado, nunca foi feito. Precisamos de planejamento e de muita gente” (Danny para Rusty). O assalto deveria ocorrer na mesma noite em que aconteceria uma importante luta de boxe, quando o cofre estaria guardando o dinheiro das apostas.

Danny e Rusty começam a trabalhar juntos no desenvolvimento do projeto. São levantadas as informações necessárias para um plano inicial como: a planta do cassino onde se localiza o cofre central (os três cassinos a serem assaltados guardam seu dinheiro em um mesmo cofre que fica localizado em um dos três cassinos que, na verdade, é um hotel-cassino); o pessoal e as condições necessárias para o desenvolvimento do plano de ataque em bases detalhadas. “Vai precisar de muitos caras e uma combinação de ações.” (Rusty para Danny)

De acordo com as observações de Rusty, a equipe deveria ser composta por  “... um intrometido, um truculento, um motorista, dois engraçadinhos, um fracote..." Ele se referia às características de cada um dos membros de acordo com as necessidades do projeto. Rusty e Danny definem o que é necessário para se atingir o objetivo final (o roubo) e partem para a concretização da estrutura necessária. Inicialmente procuram por um “patrocinador”, uma pessoa que possa bancar os custos da empreitada e decidem procurar Rubem, um empresário que tem uma rixa pessoal com o dono dos três cassinos, Terry Benedict  (Andy Garcia) e, portanto, estaria propenso a aceitar custear o projeto. Terry havia adquirido por meios duvidosos um cassino de Rubem. “Ele torpedeou o meu cassino. Tomou o meu lugar. Agora, ele vai demolir no mês que vem para abrir espaço para uma monstruosidade qualquer.” (Rubem falando sobre Terry)

Rubem faz alertas sobre as dificuldades de se assaltar um cassino em Las Vegas, pois estes dispõem de segurança do mais alto nível, porém, quando percebe quais são os cassino a serem assaltados e quem é o dono deles aceita a proposta. A partir daí, tendo assegurado o investimento necessário, Danny e Rusty passam a se concentrar na escolha do pessoal que deverá compor a equipe e que participará do assalto. Ambos fazem considerações e definem as pessoas que parecem mais capacitadas e, então, eles passam a visitar os profissionais pretendidos.

Cada membro da nova equipe foi selecionado por seus conhecimentos específicos, necessários às diversas etapas da realização da operação, e foram convidados a se reunirem para uma primeira exposição do plano na casa do “patrocinador”, Rubem. Nesta reunião são expostos os objetivos e bases iniciais do plano em desenvolvimento. Todos concordam em realizar o assalto. Tarefas são distribuídas a todos, de acordo com as aptidões de cada um. Todos os envolvidos (onze homens) passam a trabalhar em equipe para atingir as metas definidas. Cada um tem uma função, mas trocam informações e se reúnem primando pela harmonia da equipe. O filme passa a mostrar o empenho de cada personagem para cumprir o papel que lhe foi confiado. As tarefas passam a ser cumpridas por todos, simultaneamente.

A meta inicial é descobrir todas as informações direta ou indiretamente relacionadas com o cassino (sistemas de segurança, energia, códigos, rotas de fuga, etc.)  e cada um de seus funcionários (o que fazem, o que gostam, quais seus hábitos, etc.). Linus (Matt Damon) se encarrega de levantar todas as informações sobre o dono do hotel (hábitos, horários, nível intelectual, atuação nos cassinos, etc.), enquanto Rusty segue coordenado a equipe.

Linus informa Rusty de tudo o que conseguiu descobrir sobre Terry, inclusive que ele tem uma namorada que é decoradora e trabalha em um museu. Rusty percebe que a namorada do dono do cassino é a esposa de Danny. Com a descoberta, Rusty acusa Danny de ter escolhido os cassinos para o assalto por motivos pessoais, por vingança (a esposa estava namorando o dono dos cassinos),  o que poderia comprometer toda a operação e colocar todos em risco. Danny afirma que não foi desejo de vingança o que o levou a escolher aqueles cassinos, mas que pretende recuperar a esposa.

Na seqüência Danny procura a esposa, Tess, que o recebe friamente. Ambos se encontram no restaurante do cassino-hotel, quando ela aguarda o namorado para o jantar. Danny afirma que deseja retomar o relacionamento e que havia ido buscá-la. Ela não perdoa o marido pelo seu envolvimento em crimes e diz que pediu a separação judicial, além de estar disposta a continuar seu namoro com o dono do cassino. Terry Benedict chega, Tess apresenta os dois e após breve conversa Danny se retira.

Em uma reunião da equipe, Linus diz que seguiu Danny (a pedido de Rusty) e que este estaria colocando a todos em perigo ao demonstrar interesse pela namorada do dono do cassino. Rusty informa a  todos que Tess é esposa de Danny e que a partir daquele momento ele assumiria o comando da equipe, pois Danny estava envolvido emocionalmente e colocando interesses pessoais em primeiro lugar, o que poderia prejudicar a todos.

A implosão do prédio de Rubem causa alterações nas condições da rede de suprimento de energia da cidade de Las Vegas, o que prejudica o plano inicial de  suspender o fornecimento de energia elétrica da cidade na noite da execução do assalto. Esse fato leva à realização de um roubo inicialmente não previsto. É necessário ficar de posse de um aparelho (uma bomba nuclear com características especiais) que provoca uma emanação de um campo magnético que, apesar de não causar destruição, leva à interrupção momentânea de redes de energia elétrica.

O roubo deste aparelho resulta em um acidente que provoca um ferimento na mão de um membro da equipe (justamente aquele que estaria encarregado de anular os alarmes internos do cofre do hotel-cassino na noite do roubo), além de causar um mal estar entre os membros da equipe. Linus havia desobedecido uma ordem de Danny que havia determinado que ele permanecesse no carro de fuga enquanto parte da equipe executaria o roubo da bomba. Linus entra no prédio, se desencontra da equipe quando ela sai do prédio com o objeto do roubo, chama a atenção da segurança (que até então nada havia percebido de anormal) e atrasa a fuga.

Com a conclusão das tarefas iniciais foram obtidas todas as informações necessárias para a elaboração do plano de execução do assalto. Neste plano foram considerados os obstáculos: o circuito interno de TV, os alarmes e os dispositivos de segurança que protegem o cofre, aquisição dos códigos (trocados periodicamente e apenas conhecidos pelo dono do cassino) que dariam acesso ao cofre, retirada da equipe e do dinheiro do cassino.

Realizado o levantamento de dados de todas as informações necessárias, estudado e definido o plano de ataque, adquirido todo o material necessário, feito o treinamento da equipe (foi construída uma réplica do cofre onde a ação foi treinada), chega a noite da execução do roubo, quando ocorreria a luta de boxe já prevista e o cofre conteria um valor maior do que o habitual.

O plano de ataque foi elaborado e as seguintes metas devem ser atingidas, sendo elas:

- Anular os circuitos internos de TV criando uma forma de penetrar no sistema e enviar imagens falsas para os monitores de vídeo;
- Anular as possibilidades de comunicação entre a segurança do hotel, a polícia e hospitais;
- Destacar um membro da equipe para desviar a atenção dos controladores do circuito de TV através da simulação de um ataque de coração;
- Destacar dois membros da equipe para roubar os códigos de acesso ao cofre (guardados com o dono do cassino);
- Colocar um membro da equipe dentro do cofre, sem ser percebido, com o fim de anular os alarmes internos, ajudar a explodir a porta do cofre e a prepara o dinheiro para ser levado;
- Retirar o membro (que simulou o enfarte) das dependências do cassino sem que houvessem resistências ou suspeitas sobre a conduta dele;
- Suspender a energia elétrica da cidade para anular os alarmes (infravermelho) que protegiam o cofre;
- Destacar um membro da equipe que, fazendo uso dos códigos roubados do dono do cassino, deveria acessar o cofre, explodir a sua porta do lado de fora, e ajudar o membro que já estava do lado de dentro a embalar o dinheiro que seria levado.
- Promover a retira de toda a equipe do prédio e do dinheiro por meio seguro. Optou-se por entrar em contato com o dono do cassino, simular uma fuga inicial, enviar uma falsa equipe de polícia formada, na verdade, por membros da equipe (devidamente caracterizados com uniformes, armas e veículo apropriado)  que entrariam no cofre e sairiam com as sacolas de dinheiro do cassino sem qualquer impedimento.

Na noite de execução do assalto, Danny Ocean, que foi impedido de participar da execução do plano final (ele havia sido reconhecido pela segurança do cassino como um ex-presidiário) procura novamente a esposa e diz que havia ido se despedir dela.

Após deixar Tess, Danny é abordado por dois empregados de Terry Benedict. Estes o levam para uma sala onde ele deveria ser surrado por ter procurado Tess. Danny suborna o empregado que deveria surrá-lo e consegue se ausentar da sala (através da tubulação de ar-condicionado). Ele se junta a Linus que havia sido destacado para roubar os códigos de acesso de Terry (no que foi bem sucedido), explodir a porta do cofre do lado de fora e ajudar a preparar o dinheiro que seria retirado do cofre.

A meta de viabilizar um meio de contato telefônico com Terry foi conseguida através de um aparelho celular, colocado no bolso do casaco de Tess. Ela imagina que quem colocou o aparelho em seu bolso foi o marido (enquanto se despedia dela), porém, não fica claro se isso é verdadeiro. Rubem estava próximo a Tess enquanto ela assistia a luta de boxe que se desenvolvia, acompanhada por Terry. Rubem poderia ter cumprido aquela meta e não Danny.

O plano é totalmente executado e o roubo é bem sucedido. No entanto, Danny após ter tido acesso ao interior do cofre e ter ajudado a preparar o dinheiro para a retirada, retorna à sala em que estaria sendo surrado. Terry vai até a sala e pergunta se Danny está envolvido com o roubo. Danny nega, finge que não sabe de nada, porém, em seguida, simula que faria um acordo se Terry concordasse em deixar Tess. Sem saber que Tess assistia a conversa entre os dois por meio do circuito interno de TV, Terry responde que aceita deixar Tess em troca de reaver o dinheiro roubado. Mas, Danny não admite que sabia como encontrar o dinheiro, mas que poderia pedir informações para um amigo quem tinha “boas relações” no mundo do crime.

Tess abandona Terry e decide procurar o marido. Ela o encontra no momento em que este está sendo levado pela polícia. Terry havia mandado denunciar Danny à polícia, pois ele havia infringido as regras da liberdade condicional ao deixar o estado de New Jersey. Danny é preso, porém, deixa a prisão após cumprir sua pena, quando, então, Tess e Rusty vão buscá-lo na Penitenciária. Terry, suspeitando da participação de Danny no assalto, o mantém sob vigilância.

2. ANÁLISE

Para uma análise do filme, é importante considerar a linguagem cinematográfica. A maneira como a linguagem é empregada pode levar à  uma variedade de sentidos que ocasionam interpretações diferentes da ação dos. Trata-se de um recurso artístico que os diretores podem utilizar para estimular a imaginação dos expectadores. Também podem ocorrer falhas do roteiro que não responde a todas as questões levantadas pelo filmes.

No caso de “Onze Homens e Um Segredo”, alguns pontos ficam obscuros como, por exemplo, a dúvida sobre quem teria colocado o celular no bolso de Tess ou sobre quem decidiu transmitir para Tess as imagens da conversa entre Danny e Terry (a transmissão foi planejada para ajudar Danny ou foi feita de improviso?).

2.1 Unidade de Planejamento

A idéia inicial do assalto foi concebida por Danny Ocean que formou uma equipe para concretizá-lo. Danny se caracteriza como o líder. Foi ele quem teve a idéia e decidiu concretizar o “negócio” unindo os profissionais necessários, inclusive um “relações públicas”.

Considera-se que a unidade utilizada de planejamento foi projeto com plano de metas. Foram definidos os objetivos e feito o planejamento de como se atingi-los por etapas. O plano inicial se dividiu em diversos planos de metas independentes (descobrir como suspender a energia elétrica da cidade, preparar veículo dirigido por controle remoto, levantar informações sobre o cotidiano e sobre os funcionários do cassino, etc) e o planejamento foi constantemente revisto e enriquecido ao longo do processo.

2.2 Etapas de Execução
 
Para execução do projeto, Danny refletiu sobre as ferramentas necessárias. Considerou a necessidade  financeira como condição básica para vir a se dispor de recursos materiais e humanos e criou as condições necessárias para a existência e manutenção da equipe de trabalho. Ele procurou um “patrocinador” que pudesse fazer o “investimento” no projeto. Para efeito de classificação, as etapas podem ser divididas em:

1) Concepção da idéia
2) Planejamento inicial  (orçamentos e cronogramas)
3) Definição da fonte de recursos
4) Definição dos profissionais e concretização da equipe
5) Distribuição de tarefas
6) Obtenção de informações e definição do plano de ataque
7) Treinamento
8) Execução do plano

Definida a equipe e apresentado o projeto, foram distribuídas tarefas (item 5 anterior) com o objetivo de se atingir metas:

1º) Reconhecimento – levantamento de tudo que acontece no cassino “...desde a escalação de crupiers até o caminho dos carrinhos de truco. Tudo sobre cada guarda, cada vigia, qualquer um com passe de segurança. Quero saber de onde são, quais os apelidos, de como gostam do café. Quero que todos [da equipe] conheçam os cassino. Eles são construídos como labirintos para manter as pessoas lá. Quero que conheçam a rota de fuga mais rápida.” (Danny falando para a equipe)
2º) Energia – reconhecimento completo da rede de fornecimento de energia. “Na noite da luta vamos deixar a cidade do pecado às escuras.” (Danny falando para a equipe)
3º) Segurança – reconhecimento completo do sistema de segurança do cassino-hotel. “A segurança vê e ouve tudo, então queremos ver e ouvir também...” (Danny falando para a equipe)
4º) Construção – construção de uma réplica exata do cofre a ser roubado.
5º) Informação – descobrir os códigos de segurança que são trocados periodicamente e somente o dono do cassino conhece.
6º) Transporte – escolha e compra do veículo adequado para a fuga na noite do assalto.

2.3 Trabalho de Relações Públicas

O trabalho de relações públicas esteve presente em todos os momentos do desenvolvimento do plano e foi exercido pelo personagem Rusty Ryan (Brad Pitt). Enquanto Danny era o mentor principal (o líder), o idealizador do projeto, Rusty se empenhou em trabalhar em cooperação com ele viabilizando as ferramentas necessárias.

Tendo tomado conhecimento da idéia básica, Rusty ajudou a definir as pessoas mais apropriadas para compor a equipe, manteve um permanente contato com todos os profissionais escolhidos reconhecendo necessidades, deficiências, potenciais, inclusive estando apto a assumir responsabilidades maiores quando necessário (ex. assumiu o controle da equipe no lugar de Danny quando todos se viram em situação de perigo) e mostrando, através da sua atuação, que estava acessível a todos.

A atuação do “relações públicas” pode ser considerada boa. Foram promovidas reuniões constantes da equipe e trocas de informações, foram realizados treinamentos e simulações. Fatores como diálogo, respeito pelos subordinados, preocupação com bem-estar deles e empenho pelo sucesso da equipes são itens da maior importância e que foram considerados pelo “relações públicas”. Rusty conquistou o respeito de todos e manteve a autoridade sobre o grupo sem maiores problemas.

Os resultados poderiam ter sido melhorados se fossem realizadas atividades que promovessem a conscientização dos perigos que se corria e da necessidade da adoção de uma disciplina mais rígida em momentos de maior perigo (ex.: o episódio do roubo da bomba nuclear quando Linus desobedece a ordem de permanecer no veículo de fuga; a brincadeira com o veículo dirigido por controle remoto, atrasando a explosão do veículo).

2.4 Falhas

Foram diversas as falhas observadas, sendo elas:

1) Membro da equipe se atrapalha na saída de área restrita e esquece aparelho: tomando as providencias necessárias para conseguir cumprir a tarefa de interferir no sistema de circuito interno de TV, membro da equipe acessa área restrita com um mapa do local desenhado na mão. Ele esquece um aparelho de comunicação usado pela equipe, o mapa desenhado se apaga e ele se perde. A solução: o membro da equipe deveria ter estudado melhor a planta do local, poderia ter desenhado a planta em um papel (e não na mão) e prestado mais atenção para não esquecer o aparelho.
2) O problema causado pela implosão do prédio de Rubem: as condições do fornecimento de energia foram tomadas como fatores absolutos, não sendo consideradas alternativas para resolução de problema desta ordem. Porém, o membro da equipe, que estava encarregado da suspensão da energia no dia do assalto, dispunha de conhecimento suficiente para encontrar uma alternativa (a bomba nuclear) e para se superar o problema. Isso denuncia que a escolha do profissional foi adequada. Ele estava preparado para encontrar soluções para os problemas imprevistos que poderiam surgir, embora não tenha previsto a possibilidade da ocorrência. Uma vez que todos sabiam que a implosão ocorreria o problema deveria ter sido previsto. Essa questão deveria ter sido estudada com mais cuidado.
3) O roubo da bomba nuclear: esse roubo foi necessário para solucionar um problema não previsto (item anterior) e foi mau executado. Um dos membros desobedeceu uma ordem superior (Danny ordenou que Linus ficasse no carro de fuga, no que foi desobedecido), chamou a atenção dos guardas de segurança, retardou a fuga (os membros já de posse da bomba nuclear tiveram que retornar ao local do crime para buscar Linus que havia se desencontrado dos outros membros) e ainda causou o acidente que provocou um ferimento na mão de um dos membros da equipe (o contorcionista, que por suas características físicas seria o enviado para entrar no cofre, escondido em um carrinho, e anular os sistemas internos de alarme). A solução poderia estar em realizar treinamentos e atividades que promovessem a conscientização e disciplina, especialmente voltados para momentos de grande perigo.
4) A escolha de Saul para exercer a função de representar um empresário que se hospedava no hotel a ser assaltado: Saul estava diretamente comprometido na tarefa de representar um empresário que deveria entrar na sala em que estavam os controladores do circuito interno de TV e distrair a atenção destes simulando um ataque cardíaco enquanto as imagens verdadeiras, mostradas pelos monitores, eram alteradas. Saul era considerado uma peça fundamental de todo o planejamento, porém apresentava problemas de saúde (uma úlcera) e utilizava medicação para o estômago. Tal fato poderia chamar a atenção de empregados ou freqüentadores do cassino e se constituir em uma pista na investigação para identificação dos assaltantes. Era conhecido no mundo do crime que Saul havia se aposentado devido aos problemas causados por uma úlcera. Os problemas de saúde de Saul também causaram inquietação na equipe. Deveria ter sido escolhido um outro membro da equipe para desempenhar essa função.
5) Danny foi identificado como ex-presidiário pela segurança do cassino: Ao procurar a esposa, Danny chamou a atenção de Terry que alertou a segurança do hotel. Esta o identificou como um ex-presidiário. A presença de Danny poderia ter resultado em um reforço na segurança do cassino, o que prejudicaria toda a ação do roubo. O ideal seria que Danny não tivesse encontrado a esposa e não tivesse permitido que ela o visse nas dependências do cassino.
6) Saul foi reconhecido por um antigo amigo: Saul foi reconhecido e chamado pelo verdadeiro nome na presença de Terry que, então, desconfia dele. O personagem de Saul (o empresário que se hospedava no hotel) deveria ter usado uma caracterização que o deixasse mais longe da sua imagem real. Poderiam ter sido usados bigode, barba falsa, peruca, etc.
7) Foi colocada uma maleta sobre o carrinho em que se escondia o membro da equipe: Não foi previsto que uma maleta poderia ser colocada sobre o carrinho. Se ela caísse quando o membro da equipe saísse de seu esconderijo (ele estava dentro do carrinho, sob a maleta) dispararia os alarmes do piso do cofre. Deveria ter sido estudada uma forma de fazer com que um membro da equipe levasse o carrinho até o cofre (disfarçado como um segurança) e cuidasse para que nada ficasse sobre o carrinho.
8) A operação para o roubo dos códigos de segurança de Terry: Esta foi uma operação desnecessária e imprudente que envolveu dois membros da equipe que poderiam ser identificados por Terry. Danny conseguiu acesso ao fosso que levava ao cofre através das tubulações de ar condicionado, portanto os códigos não eram necessários. A solução para esse problema seria estudar melhor a planta do cassino de forma a se usar meios mais seguros de se chegar ao cofre.
9) Cálculo errado da altura do fosso que levaria ao cofre do cassino: o fio, usado pelo membro da equipe que deveria descer pelo fosso para chegar ao cofre, era muito curto. O tamanho do fio deveria ter sido calculado melhor uma vez que a equipe dispunha das plantas do prédio.
10)  Falha de Comunicação com o membro da equipe que deveria explodir a porta do cofre do lado de fora: Foi tentada uma comunicação com esse membro da equipe (um pedido para não explodir a porta). O aparelho receptor de mensagem falhou. Uma solução seria avaliar melhor e testar toda a aparelhagem usada na ação.
11)  Falha do detonador: A porta não foi explodida do lado de fora no tempo planejado, pois foi esquecido de colocar pilhas no detonador. Uma solução seria avaliar melhor e testar toda a aparelhagem usada na ação.
12)  Material inadequado para curativo: A faixa que protegia o ferimento do contorcionista (ocorrido quando do roubo da bomba nuclear) o prendeu à porta do lado de dentro do cofre, impedindo que ele se distanciasse no momento em que a porta deveria ser detonada. Todo o material, roupas, assessórios, usados quando da execução do assalto, deveria ser rigorosamente avaliado e testado. A faixa de proteção poderia ter sido coberta por um material liso (ex. esparadrapo), ou usada uma luva apropriada.
13)  Piso do cassino: Houve uma falha de informação quando a equipe não detectou a gravação do nome “Belladio” no piso do cofre, feita poucos dias antes do assalto. As falsas imagens que foram enviadas para o monitor dos controladores do circuito interno de TV (que mostravam os assaltantes no cofre) não foram atualizadas. A solução seria uma atenção redobrada a tudo que acontecia no dia-a-dia do cassino, de forma a detectar todas as mudanças de última hora que por ventura pudessem ocorrer.
14)  A presença de Terry no cofre do cassino: Terry Benedict poderia ter visto e desconfiado das sacolas que os falsos oficiais de polícia estavam carregando ao se retirarem do cofre. Um problema deste tipo deveria ter sido previsto. Deveriam ter sido tomadas providências para que a área do cofre fosse isolada e o dinheiro pudesse ser retirado de forma mais discreta.
15)  Rusty levanta a viseira do capacete enquanto sai do cassino: Este ato foi uma imprudência, pois o rosto de Rusty poderia ter sido, filmado, fotografado ou reconhecido por alguém. Poderia ter sido feito um trabalho de conscientização dos perigos e enfatizada a delicadeza especial do momento da saída da equipe com o dinheiro do prédio.
16)  A explosão da caminhonete de fuga (a ser realizada no aeroporto): A caminhonete era movida por controle remoto e fazia parte de uma simulação de fuga dos assaltantes em posse do dinheiro retirado do cofre. A intenção era desviar a atenção do verdadeiro momento em que o dinheiro seria retirado do cassino. O manipulador do controle remoto vez brincadeiras desnecessárias (manobras) antes de explodir a caminhote. Esse fato poderia ter chamado a atenção dos perseguidores da caminhonete no sentido de observar os arredores do aeroporto e identificar os controladores do veículo explodido. A solução poderia estar em realizar treinamentos e atividades que promovessem a conscientização e disciplina, especialmente voltados para momentos de grande perigo.
17)  A participação de Danny na execução do assalto: Danny havia sido afastado, por Rusty, da execução do assalto, porém ele desobedeceu a ordem e comprometeu a segurança da equipe. A solução para essa questão teria sido tomar medidas que impedissem, realmente, que Danny estivesse na cena do crime.
18)  Danny ter sido preso por violar a liberdade condicional: o fato de um ex-presidiário, ainda em liberdade condicional, estar presente na cena do crime faz dele um forte suspeito e uma possível fonte de pistas para se chegar aos outros membros da equipe. A solução seria terem sido tomadas providências que garantissem que Danny estaria ausente da cena do crime.
19)  Envolvimento de questões pessoais com trabalho: Toda a execução do plano de assalto se caracteriza como uma operação muito arriscada que exige dedicação total. Danny tinha duas metas: assaltar o cassino e recuperar a esposa. Porém, para a equipe, havia apenas uma meta final: assaltar o cassino.  O interesse de Danny pela esposa colocava em risco a segurança e os objetivos da equipe. Não fica claro se a decisão do membro da equipe, responsável pelo circuito interno de TV, de transmitir a conversar entre Danny e Terry foi planejada (imagina-se que foi um improviso), porém este ato poderia ter retardado a saída deste membro das dependências do cassino e ter causado algum problema imprevisto. O ideal seria não permitir que questões pessoais atrapalhassem o trabalho.

Todas as falhas observadas poderiam ter sido evitadas através de uma conscientização maior dos envolvidos. Pode-se considerar que são questões que um “relações públicas” deveria ter prevenido com maior eficácia, através de treinamentos específicos que buscassem obter resultados mais precisos, excluindo-se indisciplinas em momento de perigo.

Angela Floriano
Enviado por Angela Floriano em 23/07/2007
Código do texto: T576142

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre a autora
Angela Floriano
São Paulo - São Paulo - Brasil, 41 anos
26 textos (75751 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/14 01:51)