Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DANTE E OS CÍRCULOS INFERNAIS DA VIOLÊNCIA

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Estudos Literários

 

Na Divina Comédia, Dante Alighieri dividiu o inferno em nove círculos, de acordo com a gravidade de cada pecado. Neste artigo veremos os círculos da violência.

 

OS CÍRCULOS DA VIOLÊNCIA (6 a 8)

• Enquantonoscírculos da incontinência são punidos os pecados causados pelafalta de autocontrole; noscírculos da violência são punidos os pecados dolosos, ou seja, os que foram cometidos de forma consciente e por vontade do pecador. A violência é uma característica bestial do ser humano. Os seres mitológicos que habitam este círculo são seres meio humanos e meio animais como os Centauros, as Hárpias e o Minotauro.

Círculo Sexto — O Círculo Herético

• Neste lugar há um cemitério de tumbas abertas de onde se ouve os gritos e os lamentos de muitas vozes. São os heréticos que queimam em brasa dentro das covas que lhes servem de moradia eterna.

Círculo Sétimo — O Círculo Dos Assassinos

• O Minotauro vigia este local, onde assassinos, suicidas e ladrões violentos estão submergidos até os olhos, num rio de sangue fervente. Suas almas fervem e gritam.

• O rio de sangue cerca um bosque, não verde, mas de folhagem seca, sem frutos, sem ramos e com os troncos cobertos de espinhos.  São os suicidas, transformados em árvores. Nas árvores as Harpias (seres de grandes asas, rosto humano e pés com garras) fazem seus ninhos e dilaceram as folhas negras. Quando uma folha é dilacerada a árvore esvai-se em sangue.

• Cercado pela selva dos suicidas, assim como, o rio de sangue cercava a floresta, há um estéril deserto de areia grossa e quente; nele estão vários grupos de almas nuas. Todas choram desesperadamente, algumas permanecem deitadas de costas no chão quente. Outras se reúnem acocoradas em pequenos grupos. A grande maioria caminha sem parar. Sobre todo o areão caem brasas quentes, lentamente, como flocos de neve num dia sem vento. As brasas batem na areia e produzem faíscas que aquecem o chão arenoso, intensificando a dor dos que ali estão. Sem descanso, as almas fazem uma dança rítmica com mãos, tentando, em vão, afastar as chamas que sobre elas caem.

Círculo Oitavo — Círculo Malebolge

• Aqui estão aqueles que se envolveram em brigas por causa de mulheres de baixa reputação, indivíduos que se envolveram com freqüência em brigas, alcoviteiros (indivíduos que viveram à custa de prostitutas), gigolôs, proxenetas (indivíduos que cobram para servir de intermediário em casos amorosos), fraudadores, sedutores e cínicos. Este campo maligno é dividido em compartimentos concêntricos, unidos entre si por pontes. Em cada um deles é punido uma espécie de pecador:

Primeiro Compartimento — os gigolôs e alcoviteiros formam duas fileiras de almas nuas que andam, em sentidos opostos, no fundo da vala. Nos dois grupos, diabos chifrudos surram as almas com prazer, usando duros chicotes para que não parem. Elas gritam de dor, tropeçam, mas não ousam reduzir os seus passos.

Segundo Compartimento — um vapor nojento emana do rio de fezes podres e ácidas onde estão submersos aduladores, sedutores e mulheres cínicas. Tão funda é esta vala que só se pode ouvir as respirações ofegantes das almas que sofrem, imersas no esgoto asqueroso.

Terceiro Compartimento — os falsos religiosos e aqueles que usaram a religião para enriquecer estão enterrados em buracos, de cabeça para baixo. Nos furos, apenas os pés ficam suspensos. Nas plantas dos pés, ardem chamas, que escorrem por seus calcanhares. Os sofredores, desesperados, agitam seus pés freneticamente, na vã esperança de livrarem-se das dores causadas pelas chamas.

Quarto Compartimento — os pecadores têm o rosto e o pescoço voltados para as costas, pelo que são obrigados a andar ao contrário. Estão assim porque em vida quiseram ver adiante, demais. Foram todos adivinhos, impostores e astrólogos que agora só podem olhar para o passado.

Quinto Compartimento — estão mergulhados em piche fervente, os trapaceiros. Alguns deles, para aliviar-se, bóiam acima do piche; imediatamente vêm os diabos e os dilaceram.

Sexto Compartimento – os hipócritas, vestidos com pesadas capas de chumbo, andam em círculo.

Sétimo Compartimento — picados por terríveis serpentes, os ladrões, inflamam-se e, depois, ressurgem das cinzas para serem picados novamente, e, assim, repetindo-se eternamente.

Oitavo Compartimento — chamas infinitas queimam eternamente os maus conselheiros.

Nono Compartimento — aqui estão os falsários. São punidos com úlceras fétidas e enfermidades nauseantes.

Décimo e Último Compartimento — outras espécies de falsários são tornados hidrópicos (que incham por retenção de líquido) e constantemente atormentados por uma furiosa sede. ®Sérgio.

_______________________________________________

Fonte: Dante Alighieri, A Divina Comédia – in Inferno (canto I a XXVII).

Se você encontrar erros (inclusive de português), faça a gentileza de avisar-me.

Agradeço a leitura do texto e, antecipadamente, qualquer comentário.

Ricardo Sérgio
Enviado por Ricardo Sérgio em 04/02/2006
Reeditado em 09/03/2009
Código do texto: T107833

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Sobre o autor
Ricardo Sérgio
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 69 anos
1281 textos (21211447 leituras)
7 e-livros (8554 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 01:33)
Ricardo Sérgio