CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

O ROMANCE DE AVENTURAS

___________________________________________________

Estudos Literários

 

O século XIX foi um período de descobrimentos técnicos, científicos e geográficos. Ao longo desse século se organizaram expedições científicas e militares com a finalidade de pesquisar a natureza em terras ainda desconhecidas. Alguns desses exploradores escreveram diários ou livros em que relatam suas viagens e que se tornaram muito populares. Entre eles se destacaram: As Montanhas da Lua e Em Busca das Nascentes do Nilo, de Sir Richard Burton; O Diário do Descobrimento das Nascentes do Nilo, de John Hanning e Viagem ao Marrocos, de Charles Foucauld.

Essas obras apresentavam lugares exóticos, situações extremas de sobrevivência, ações de grande coragem e inteligência, dentre outras que serviram de inspiração a ficção de aventuras. Vem daí que, no final do século XIX, surge o romance de aventuras, com o objetivo de contar aventuras de cunho fictício.

O herói desse tipo de romance é, em geral, um personagem simpático (criança, adolescente ou adulto) que é arrancado da sua vida cotidiana e se vê obrigado a confrontar circunstâncias extraordinárias de grande perigo. Ele é capaz de dominá-las com certas qualidades (coragem, astúcia, inteligência) que, muitas vezes, ignorava possuir. Mas, regra geral, não é um personagem solitário, acompanha-lhe um amigo fiel, que lhe obedece cegamente. Ou, então, é apoiado por uma figura de autoridade, geralmente paterna. Terminada a aventura o herói é compensado com valores espirituais ou materiais e se reincorpora a vida cotidiana.

No romance de aventuras não há preocupação com a verossimilhança, o que lhe permite o exagero em ações inesperadas. O desenlace também não é tão importante.

A Ilha do Tesouro (Treasure Island, 1883), de Robert Louis Stevenson (1850-1894) e As Minas do Rei Salomão (King’s Solomon Mines, 1886), de Rider Haggard (1856-1925), são consideradas as obras introdutoras do romance de aventuras; principalmente a primeira, inspirada em aventuras marítimas do século XVIII. Estas obras caracterizam-se pela sucessão de aventuras inesperadas e imprevisíveis; pela presença de piratas (bons e maus), de esconderijos, e de tesouros. Tudo, obedecendo, ainda, a tradicional seriedade dos primeiros textos de aventuras.

Joseph Conrad (1857-1924) imprimiu ao gênero de aventuras a complexidade psicológica dos personagens. Algumas de suas obras são: Um Pária nas Ilhas (1896), Lorde Jim (1900), Juventude (1902), Coração nas Trevas (1902), Nostromo (1904) e Sob Olhares Ocidentais (1911).

Em princípio do século XX, o romance de aventuras, que era desenvolvido para adultos e partilhado por adolescentes, ganha uma segunda feição: a narrativa, criada especialmente, para crianças. A origem é atribuída a Edith Nesbit (1858-1924) com A História dos Caçadores de Tesouros (The Story of the Treasure-Seekers,1899). Essa nova narrativa propõe enredos que envolvam grupos de crianças, geralmente irmãos, que chegam a um local de férias e aí se envolvem em aventuras de tipo policial ou de mistério.

Na metade do século XX, o romance de aventuras passa a desenvolver uma nova ramificação: a dos super-heróis em aventuras de ficção científica e de fantasia. Como exemplo, podemos citar: O Homem-Aranha, Batman, Super-Homem, entre outros. Daquele tempo a dias de hoje, outras vertentes do romance de aventuras foram desenvolvidas na ficção infantil, em torno de personagens adolescentes em crise; em aventuras que mesclam mitologia e magia; e em questões sociais contemporâneas. ®Sérgio.

Tópicos Relacionados (clique no link):

Diferenças entre o Romance Realista e o Naturalista.

O Romance - Tipos

O Romance - Outros Tipos

O Romance De Tese

O Romance Epistolar ou em Cartas

O Romance Desmontável

O Romance de Cavalaria

_________________________________________________

Para maiores informações a respeito deste estudo ver: Massaud Moisés. Tipos de Romance, in A Criação Literária, São Paulo, Melhoramentos, 1973, pp. 293-295.

Carlos Ceia, s.v. "Romance", E-Dicionário de Termos Literários, coord. de Carlos Ceia, ISBN: 989-20-0088-9. <http://www.fcsh.unl.pt/edtl/index.htm>

Se você encontrar omissões e/ou erros (inclusive de português), relate-me.

Agradeço a leitura e, antecipadamente, qualquer comentário. Volte Sempre!

Ricardo Sérgio
Enviado por Ricardo Sérgio em 10/06/2008
Reeditado em 13/09/2012
Código do texto: T1028497
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Ricardo Sérgio
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 66 anos
1281 textos (14407005 leituras)
7 e-livros (6028 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/09/14 11:02)